Proteção, prevenção e convívio: analisando práticas com educadores sociais

  • Leila Ribeiro Rubini Psicóloga na Prefeitura Municipal de São José dos Pinhais
  • Nair Iracema Silveira dos Santos Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Palavras-chave: educador social, práticas, mecanismos de segurança

Resumo

Este artigo é parte da análise desenvolvida em uma dissertação de mestrado sobre as práticas do educador social na política pública da Assistência Social. Partindo do conceito operador práticas, nos lançamos em uma pesquisa-intervenção, com base nos referenciais da Análise Institucional, propondo a criação de espaços coletivos de análise para problematização e desnaturalização das práticas do educador social. Dialogando com Michel Foucault, elegemos um conjunto de enunciados que conformam campos de práticas em que se articulam educação e proteção/assistência social. Iniciamos o artigo buscando responder a questões históricas da emergência das práticas socioeducativas; posteriormente tecemos uma análise, colocando em relação enunciados mapeados nos documentos dos serviços socioeducativos e analisadores construídos com os educadores sociais. Evidenciaram-se traçados de estratégias de segurança, em seu caráter de regulação, através da educação moral, do aconselhamento, da vigilância protetiva.

Palavras-chave: Educador social; práticas; mecanismos de segurança.

 

Biografia do Autor

Leila Ribeiro Rubini, Psicóloga na Prefeitura Municipal de São José dos Pinhais
Psicóloga, trabalhadora do SUAS Prefeitura Municipal de São José dos Pinhais. Mestre em Psicologia Social e Institucional.
Nair Iracema Silveira dos Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Doutora em Educação, professora do Programa de Pós-graduação em Psicologia Social e Institucional da UFRGS

Referências

AGUIAR, Katia Faria de; ROCHA, Marisa Lopes da. A micropolítica e o exercício da pesquisa-intervenção: referenciais e dispositivos em análise. Psicologia: Ciência & Profissão, Brasília, v. 27, n. 4, p. 648-663, dez. 2007.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA): Lei Federal n. 8069, de 13 de julho de 1990. Brasília, DF, 1990.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. PNAS, 2004. Brasília, DF: MDS, 2005.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações Técnicas Sobre o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Crianças e Adolescentes de 6 a 15 anos. Brasília, DF: MDS, 2010.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Reordenamento do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos: passo a passo. Brasília, DF: MDS, 2013a.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Concepção de convivência e fortalecimento de vínculos. Brasília, DF: MDS, 2013b.

CARVALHO, Maria do Carmo Brant de; AZEVEDO, Maria Júlia. Ações socioeducativas no âmbito das políticas públicas. In: CARVALHO, Maria do Carmo Brant de (Coord.). Avaliação: construindo parâmetros das ações socioeducativas. São Paulo: CENPEC, 2005. p. 25-33.

CASTEL, Robert. A gestão dos riscos: da antipsiquiatria à pós-psicanálise. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1987.

CONSELHO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (CNAS). Resolução n. 9, de 15 de abril de 2014. Brasília, DF: CNAS, 2014.

DONZELOT, Jacques. A polícia das famílias. 2. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1986.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Trabalhar com Foucault: arqueologia de uma paixão. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

FONSECA, Claudia. Quando cada caso não é um caso: pesquisa etnográfica e educação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 10, p. 58-78, abr. 1999.

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, Hubert L.; RABINOW, Paul. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: (para além do estruturalismo e da hermenêutica). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995. p. 231-249.

______. Mesa-redonda em 20 de maio de 1978. In: FOUCAULT, Michel. Estratégia, poder-saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003. p. 335-351.

______. Segurança, território e população: curso dado no Collège de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

GOHN, Maria da Glória. Educação não formal e o educador social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, 2010.

GRACIANI, Maria Stela Santos. Pedagogia social de rua: análise e sistematização de uma experiência vivida. São Paulo: Cortez/Instituto Paulo Freire, 1997.

HECKERT, Ana Lúcia Coelho; BARROS, Maria Elizabeth Barros de. Desafios metodológicos para a pesquisa no campo da psicologia: o que pode uma pesquisa? In: MARCONDES, Adriana et al. Novos possíveis no encontro da psicologia com a educação. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007. p. 87-116.

LARROSA, Jorge. Tecnologias do eu e educação. In: SILVA, Tomaz Tadeu (Org.). O sujeito da educação: estudos foucaultianos. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994. p. 35-86.

LOURAU, René. Análise institucional e práticas de pesquisa. In: RODRIGUES, Heliana de Barros Conde (Org.). René Lourau na UERJ. Rio de Janeiro: UERJ, 1993. p. 7-114

MOURA, Eliana Perez Gonçalves de; ZUCCHETTI, Dinora Tereza. Educação além da escola: acolhida a outros saberes. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 40, n. 140, ago. 2010.

OLIVEIRA, Walter Ferreira de. Educação social de rua: as bases políticas e pedagógicas para uma educação popular. Porto Alegre, RS: Artmed, 2004.

RUBINI, Leila Ribeiro. Diário de Campo. São José dos Pinhais, PR, 2014.

SÃO PAULO [Município]. Parâmetros socioeducativos: proteção social para crianças, adolescentes e jovens: igualdade como direito, diferença como riqueza. Caderno 1: síntese. São Paulo: SMADS/CENPEC/Fundação Itaú Social, 2007.

SCHUCH, Patrice. Práticas de justiça: antropologia dos modos de governo da infância e juventude no contexto pós-ECA. Porto Alegre, RS: Editora da UFRGS, 2009.

SILVA, Roberto et al. Pedagogia social: contribuições para uma teoria geral da educação social. São Paulo: Expressão & Arte, 2011.

SPOSITO, Marília Pontes; CARRANO, Paulo César Rodrigues. Juventude e políticas públicas no Brasil. Revista Brasileira de Educação, n.24, p. 16-39, set./dez. 2003,.

SPOSITO, Marília Pontes et al. Juventude e poder local: um balanço de iniciativas públicas voltadas para jovens em municípios de regiões metropolitanas. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 32, p. 238-257, 2006.

Publicado
2016-09-12
Seção
Dossiê