O colapso da formação: da Universitas sapiens para a Universitas economica

From Universitas sapiens to Universitas economica

Palavras-chave: universidade, formação, instrumentalização, economia

Resumo

O uso do termo colapso no título pode parecer estranho. Como colapso se as instituições, e, no caso aqui em questão, a universidade, continuam a operar normalmente? De acordo com a lógica do senso comum, e com certa razão, a universidade não deixou de fazer aquilo que ela é “obrigada” a fazer, leia-se, restituir à sociedade pessoas profissionalmente preparadas. Ela continua a fazê-lo, ainda que (1) sob novas regras, (2) sob novas condições e ainda que (3) sob outro signo. Colapso não significa o congelamento de seu funcionamento, i.e., a interrupção abrupta de suas funções, ou mesmo o impedimento de cumprir com sua finalidade. É, antes de mais nada, deixar de se pautar por sua própria história, esquecendo-se de atentar para aquilo que, desde suas origens, lhe é mais caro. Nosso objetivo neste presente texto é pensar a universidade, por conseguinte, a formação per se. Isso exige localizarmos no tempo um modelo de universidade que, a nosso ver, caracteriza bem a crise de identidade que nossa formação vive no momento. Last but not least, queremos mostrar que a crise da modernidade é, em larga escala, crise do pensamento, mais ainda, crise de um modelo institucional de pensamento.

Biografia do Autor

Fabio Caires Correia, Centro Universitário Católica do Tocantins (UNICATÓLICA)

Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Pesquisador associado à Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade. 

Gillianno José Mazzetto de Castro, Centro Universitário Católica de Tocantins (UNICATÓLICA)

Pós-doutorando em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Doutor e mestre em Psicologia pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), com estágio doutoral na Universidade da Califórnia, Berkeley (EUA). Pós-graduação em Growth Hacking & Agile Mindset pela HSM University. Graduado em Filosofia pela UCDB. Pesquisador da Cátedra UNESCO da Juventude.

Referências

ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. Tradução de Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

BARRIENTOS, O. P.; ZAROR, C.; HERNÁNDEZ, J. R. La Universidad de Concepción y su aporte al desarrollo de la región del Biobío y el país. Revista NUPEM, Campo Mourão, v. 12, n. 27, p. 180-99, set./dez. 2020.

BAUMAN, Z. Modernidade Líquida. Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BRITO, J. R. M. O mercado fast-food do ensino jurídico brasileiro: análise econômica do direito e a eficiência das políticas públicas. Londrina: Thoth, 2020.

CARDOSO, C. A.; FERREIRA, V. A.; BARBOSA, F. C. G. (Des)igualdade de acesso à educação em tempos de pandemia: uma análise do acesso às tecnologias e das alternativas de ensino remoto. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, [s.l.], v. 7, n. 3, p. 38-46, ago. 2020.

CHAUÍ, M. A universidade pública sob nova perspectiva. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 5-15, set./dez. 2003.

CORREIA, F. C. Universidade e inconformismo: a crítica ao pensamento instrumental. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Sorocaba, Sorocaba, São Paulo, 2016.

CORREIA, J. A. Construção político-cognitiva da exclusão social no campo educativo. In: Bianchetti, L.; Correia, J. A. In/exclusão no trabalho e na educação: aspectos mitológicos, históricos e conceituais. Campinas: Papirus, 2011. p. 217-46.

COSTA, F. N. Comportamento dos investidores: do homo economicus ao homo pragmaticus. Texto para discussão IE/UNICAMP, Campinas, n. 165, ago. 2009. Disponível em: https://www.eco.unicamp.br/images/arquivos/artigos/1795/texto165.pdf. Acesso em: 22 abr. 2021.

CLARKE, R. N. Ensuring the education and skills needed for ICT employment and economic growth. In: PUPILLO, L.; NOAM, E.; WAVERMAN, L. (Ed.). Digitized Labor, [s.l.], Palgrave Macmillan, p. 201-14, 2018. Doi: https://doi.org/10.1007/978-3-319-78420-5_12

DIAS SOBRINHO, J. Universidade fraturada: reflexões sobre conhecimento e responsabilidade social. Avaliação, Sorocaba; Campinas, São Paulo, v. 20, n. 3, p. 581-601, nov. 2015

DIAS SOBRINHO, J. Educação Superior: Bem público, equidade e democratização. Avaliação, Sorocaba; Campinas, São Paulo, v. 18, n. 1, p. 107-26, mar. 2013.

DIAS SOBRINHO, J. Dilemas da Educação Superior no mundo globalizado: sociedade do conhecimento ou economia do conhecimento? São Paulo: Casa do Psicólogo, 2005.

DIAS SOBRINHO, J. Avaliação ética e política em função: da educação como direito público ou como mercadoria? Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 88, p. 703-25, out. 2004.

DIAS SOBRINHO, J. Universidade e avaliação: entre ética e o mercado. Florianópolis: Insular, 2002.

FERNANDES, F. As mudanças sociais no Brasil. In: IANNI, O. (Org.). Florestan Fernandes: sociologia crítica e militante. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

FERNANDES, F. Universidade brasileira: reforma ou revolução? São Paulo: Alfa-Ômega, 1975.

FREITAG, M. Le naufrage de l'université et autres essays d'épistémologie politique. Paris: Editions de la écouverte, 1995.

GOERGEN, P. Educação como direito de cidadania e responsabilidade do Estado. Educação e Sociedade, Campinas, v. 34, n. 124, p. 723-42, jul./set. 2013.

GOERGEN, P. Educação para a responsabilidade social: pontos de partida para uma nova ética. In: SEVERINO, F. E. S. Ética e formação de professores: política, responsabilidade e autoridade em questão. São Paulo: Cortez, 2011. p. 93-129.

GOERGEN, P. Educação instrumental e formação cidadã: observações críticas sobre a pertinência social da universidade. Educar, Curitiba, n. 37, p. 59-76, maio/ago. 2010.

HABERMAS, J. O discurso filosófico da modernidade. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

HABERMAS, J. Pensamento pós-metafísico. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1990.

HABERMAS, J. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.

HUMBOLDT, W. V. Schriften zur Politik und zum Bildungswesen. Werke IV, 2010.

HUMBOLDT, W. V. Sobre a organização interna e externa das instituições científicas superiores em Berlim. In: CASPER, G.; HUMBOLDT, W. V. Um mundo sem universidades? 2. ed. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2003. p. 15-34.

MARTINS, A. S. Burguesia e a nova sociabilidade: estratégias para educar o consenso no Brasil contemporâneo. 2007. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, 2007.

MONTEIRO, J. C. S. Os processos formativos na sociedade da Informação. Revista Ensaios e Pesquisa em Educação e Cultura, Rio de Janeiro, v. 5, n. 8, p. 140-53, 2020. Doi: https://doi.org/10.29327/211303.5.8

NEVES, L. M. W. A sociedade civil como espaço estratégico de difusão da nova pedagogia da hegemonia. In: NEVES, L. M. W. (Org.). A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005, p. 85-125.

NEVES, L. M. W. (Org.). O empresariamento da educação. São Paulo: Xamã, 2002.

OLIVEIRA, Romualdo Portela de. A Transformação da Educação em Mercadoria no Brasil, Educação & Sociedade, Campinas, v. 30, n. 108, p. 739-60, out. 2009

ROSA, H. Aceleração: a transformação das estruturas temporais na modenidade. São Paulo: UNESP. 2019.

RODRIGUES, J. Os empresários e a educação superior. Campinas: Autores Associados, 2007.

RODRIGUES, J. O moderno príncipe industrial: o pensamento pedagógico empresarial da Confederação Nacional da Indústria. Campinas: Autores Associados, 1998.

TEIXEIRA, A. Uma perspectiva da educação superior no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Rio de Janeiro, v. 50, n. 11, p. 21-82, jul./set. 1968.

TEIXEIRA, A. A universidade de ontem e de hoje. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Rio de Janeiro: INEP; CBPE, v. 42, n. 95, p. 27-47, jul./set. 1964.

SGUISSARDI, V. Educação superior no Brasil. Democratização ou massificação mercantil? In: Educação &. Sociedade, Campinas, v. 36, n. 133, p. 867-89, out./dez., 2015.

SILVA, C. R. S.; NUNES, J. V.; TEIXEIRA, T. M. C. Do conceito de informação ao discurso sobre competência em informação. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, [s.l.], v. 11, n. 2, p. 185-205, 2020. Doi: 10.11606/issn.2178-2075.v11i2p185-205.

Publicado
2022-02-17
Como Citar
Caires Correia, F., & Mazzetto de Castro, G. J. (2022). O colapso da formação: da Universitas sapiens para a Universitas economica: From Universitas sapiens to Universitas economica. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, 26(58), 341-357. https://doi.org/10.20435/serie-estudos.v26i58.1541
Seção
Artigos