“A chave está na troca” − estudantes de mobilidade como vetores da internacionalização em casa

Palavras-chave: Internacionalização da Educação Superior, Internacionalização pela Mobilidade, Internacionalização em Casa

Resumo

A internacionalização pela mobilidade é dominante no contexto latino-americano. Todavia observa-se que três tendências afetam diretamente seus avanços: 1) o baixo número de estudantes estrangeiros que escolhem a América Latina como local de estudos; 2) a carência de políticas estratégicas nacionais e institucionais para internacionalização das Instituições de Educação Superior; e 3) a escassez de recursos para o envio de estudantes locais para o exterior. Assim, faz-se necessário ampliar a perspectiva de mobilidade, buscando novas alternativas de internacionalização que atinjam um público mais amplo e tragam benefícios para a sociedade como um todo. O presente trabalho tem por objetivo compreender como a experiência de estudantes brasileiros que realizaram mobilidade foi aproveitada no contexto local de suas instituições de origem. A metodologia é caracterizada como qualitativa. Foram conduzidas entrevistas com estudantes de Instituições de Educação Superior privadas e as análises foram produzidas com princípios de Análise Textual Discursiva (ATD). Os resultados apontam para o interesse dos estudantes em compartilhar suas vivências e a atuação em projetos diferenciados e interdisciplinares adquiridos no exterior. Todavia observa-se a falta de estratégias organizacionais para a utilização das competências adquiridas pelos estudantes em suas experiências de mobilidade.

Biografia do Autor

Caroline Baranzeli, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS

Doutorado-sanduíche na Newcastle University (bolsa CAPES/PSDE), bolsista CAPES/PROEX da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Doutoranda e mestra em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Especialista em História Africana e Afro-Brasileira pela Faculdade Porto-Alegrense (FAPA ). Bacharel e licenciada em História pela PUCRS. Membro da Rede UNIVERSITAS/RIES e do Centro de Estudos em Educação Superior (CEES). Atua como professora nas disciplinas de História, Geografia, Seminário Integrado e Metodologia da Pesquisa Científica

Marília Costa Morosini, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS

Pós-doutorado no LLILAS/Universidade do Texas. Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mestrado em Sociologia Educacional. Licenciatura e bacharelado em Ciências Sociais. Coordenadora do Centro de Estudos em Educação Superior (CEES) da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS); da Rede Sulbrasileira de Investigadores da Educação Superior (RIES) − Núcleo de Excelência em C, T&I, CNPq/FAPERGS/PRONEX; coord. do Observatório de Educação Qualidade do Ensino Superior (CAPES/INEP) e da Rede UNIVERSITAS ligada ao GT Política de Educação Superior/ANPED; coord. do programa Conjunto de Pesquisa CAPES/UTEXAS/CEES. Qualidade na Educação Superior; e coord. da Rede CEES/PUCRS − School of Education/Newcastle University; coord. e membro do Comitê Assessor da Cooperação Internacional FAPERGS e membro do CA Educação e Psicologia. Membro da Associação Ibero-Americana de docência Universitária (AIDU) e vice-presidente do XCIDU; da Latin American Studies Association (LASA). Membro representante da área de Ciências Humanas da CTAA/INEP/MEC; bolsista de produtividade 1A do CNPq, integra o CA − ad hoc de Educação da CAPES.  Coordenadora de projeto CAPES PRINT com USA e UK. Participa de projetos nacionais INEP/CNE e internacionais IAU/UNESCO/CNPq/CAPES/UTexas; CPLP: INNOVACESAL (UE), ACRO; Alfa-Guia (UE); Newcastle (British Council); NEIES/Mercosul. É professora aposentada da UFRGS. É professora titular da PUCRS. Foi diretora da Faculdade de Educação da PUCRS e coordenadora do PPGEDu. 

Vanessa Gabrielle Woicolesco, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS
Doutoranda em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Mestre em Educação, especialista em Fundamentos Filosóficos e Políticos da Educação e Gestão de Centros de Socioeducação pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Especialista em Educação: Métodos e Técnicas de Ensino pela Universidade Federal Tecnológica do Paraná (UTFPR). Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Referências

ALMEIDA, J; ROBSON, S; MOROSINI, M; BARANZELI, C. Understanding internationalization at home: perspectives from the global north and south. European Educational Research Journal, v. 18, n. 2, p. 200-17, 2018. Doi: https://doi.org/10.1177/1474904118807537

ALTBACH, P. G., REISBERG, L., RUMBLEY, L.E. Trends in Global Higher Education. Leiden, The Netherlands: Brill | Sense, 2010.

BARANZELI, C. Modelo de Internacionalização em Casa (IaH). In: MOROSINI, M. C. (Org.). Guia para a internacionalização universitária. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2019.

BEELEN, J. Internationalisation at Home and how to internationalise the curriculum. Entrevista cedida a Huerta-Jimenez, C. S.; Sanchez, J. The Hague University. Netherlands, mar. 2018a. Disponível em: http://www.revistahsm.com.br/coluna/gary-hamel-e-gestao-na-era-da-criatividade/. Acesso em: 23 jun. 2019.

BEELEN, J. Watering a hundred flowers; institutional leadership for internationalisation at home. In: Beelen, J.; Walenkamp, J. (Ed.), Leading internationalisation in higher education: people and policies. The Hague University of Applied Sciences, 2018b.

BEELEN, J; JONES, E. Redefining internationalization at home. In: CURAI, L; MATEI, R; PRICOPIE; J. SALMI; SCOTT P. (Ed.). The European higher education area: between critical reflections and future policies. Dordrecht: Springer, 2015.

BITTENCOURT, Z. A. Mobilidade acadêmica e Engagement estudantil como estratégia de internacionalização. In: MOROSINI, M. C. (Org.). Guia para a internacionalização universitária. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Censo da Educação Superior 2018: notas estatísticas. Brasília, 2019.

CASTRO, A. A.; NETO, A. C. O ensino superior: a mobilidade estudantil como estratégia de internacionalização na América Latina. Revista Lusófona de Educação, [s.l.], v. 21, n. 21, p. 69-96, out. 2012. Disponível em: https://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/3082. Acesso em: 8 dez. 2019.

CLEMENTE, F. A. S.; MOROSINI, M. C. Competências Interculturais: interlocuções conceituais e uma proposta de releitura para a Educação Superior. Revista Educação e Pesquisa, USP, São Paulo, 2019. (no prelo).

DE WIT, H.; HUNTER, F.; HOWARD, L.; EGRON-POLAK, E. Internationalization of higher education. Study. European Parliament Committee on Culture and Education. Brussels: European Union, 2015.

DOMENCH, P; MARRONE, L; WERNICKE, F. Internacionalización de la Educación Superior. Oportunidades y desafíos de una universidad del siglo XXI: el caso de la Universidad Nacional de Avellaneda. In: TANGELSON, G. (Ed.). Desde el sur: miradas sobre la internacionalización. Buenos Aires: Ediciones de la UNLa, 2014.

DUARTE, R. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Educar em Revista, Curitiba, n. 24, p. 213-25, jul./dez. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/n24/n24a11.pdf . Acesso em: 14 nov. 2019.

GACEL-ÁVILA, J.; RODRIGUES-RODRIGUES, S. La internacionalización de la educación terciaria en América Latina y el Caribe: avances, tendencias y visión a futuro. In: GACEL-ÁVILA, J. (Org.). Educación superior, internacionalización e integración en América Latina y el Caribe − balance regional y prospectiva. Caracas: UNESCO-IESALC y Córdoba: Universidad Nacional de Córdoba, 2018.

GEOCAPES. Sistema de Informações Georreferenciadas da CAPES. 2019. Disponível em: https://geocapes.capes.gov.br/geocapes/. Acesso em: 14 nov. 2019.

HUDZIK, J. Resumen ejecutivo − internacionalización integral: del concepto a la acción. Washington, DC: NAFSA, 2011. Disponível em: https://www.nafsa.org/_/File/_/comprehensive_izn_spanish.pdf. Acesso em: 24 jun. 2019.

HUDZIK, J. Comprehensive internationalization: institutional pathways to success. New York: Routledge, 2015.

JONES, E. From Mobility to Internationalization of the Curriculum at Home. In: GODWIN, K. A; DE WIT Wit, H. (Eds.). Intelligent Internationalization. Leiden, The Netherlands: Brill Sense, 2019.

KNIGHT, J. Student Mobility and Internationalization: trends and tribulations. Research in Comparative and International Education, v. 7, n. 1, p. 20-33, 2012a.

KNIGHT, J. Concepts, rationales, and interpretive frameworks in the internationalization of higher education. In: DE WIT, H.; HEYL, J. D. (Ed.). The SAGE handbook of International higher education. London, England: Sage, 2012b.

KNIGHT, J. Updating the definition of internationalization. International Higher Education, v. 33, n. 6, p. 2-3, 2003. Disponível em: https://doi.org/10.6017/ihe.2003.33.7391. Acesso em: 14 nov. 2019.

LEASK, B. Internationalizing the Curriculum. London: Routledge, 2015.

LEASK, B. Internationalisation of the curriculum (IoC) in Action – A Guide. IOC Global, 2012. Disponível em: http://ioc.global/wp-content/uploads/2017/06/IoC-brochure.pdf. Acesso em: 14 nov. 2019.

LEASK, B. Using formal and informal curricula to improve interactions between home and international students. Journal of Studies in International Education, v. 13, n. 2, p. 205-21, 2009.

LECHINI, G. O “Sul” para além da Geografia, a acepção política e econômica do termo. IHU, Porto Alegre, n. 459, p. 20-3. 2014.

MARCHAND, M.; RODRÍGUEZ, H. E. M. Poscolonialismo / Estudios Decoloniales y las Relaciones Internacionales. In: SCHIAVON, J. A.; ORTEGA RAMÍREZ, A. S.; LÓPEZ-VALLEJO OLVERA, M. et al. Teorías de relaciones internacionales en el siglo XXI : interpretaciones críticas desde México. [s.l.: s.n.], 2014.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva. 2. ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2011.

MORÉ, C. L. O. O. A “entrevista em profundidade” ou “semiestruturada”, no contexto da saúde: dilemas epistemológicos e desafios de sua construção e aplicação. Revista do Congresso Ibero-Americano de Investigação Qualitativa, v. 3, 126-31, jul. 2015. Disponível em: https://proceedings.ciaiq.org/index.php/ciaiq2015/article/view/158. Acesso em: 14 nov. 2019.

MOROSINI, M. C. (Org.) Guia para a internacionalização universitária. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2019.

MOROSINI, M. C. Internacionalização do currículo: produção em organismos multilaterais. Roteiro, v. 42, n. 1, p. 115-32, jan./abr. 2018. Disponível em: http://editora.unoesc.edu.br/index.php/roteiro/article/view/13090. Acesso em: 14 nov. 2019.

MOROSINI, M. C. Internacionalização da Educação Superior e integração acadêmica. Conferências UFRGS, Porto Alegre: UFRGS, dez. 2017.

MOROSINI, M. C.; DALLA CORTE, Marilene Gabriel. Teses e realidades no contexto da internacionalização da educação superior no Brasil. Revista Educação em Questão, Natal, v. 56, n. 47, p. 97-120, jan./mar. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/14000. Acesso em: 8 dez. 2019.

MOROSINI, M. C.; BARANZELI, C. Internacionalização em Casa – IaC e redes investigativas: possibilidades segundo docentes brasileiros. In: FRANCO, S. R. K; FRANCO, M. E. D. P; LEITE, D. B. C. (Org.). Educação superior e conhecimento no centenário da reforma de Córdoba: novos olhares em contextos emergentes. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2018.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Transformative competencies for 2030. OECD Publishing, 2019. Disponível em: http://www.oecd.org/education/2030-project/teaching-and-learning/learning/transformative-competencies/in_brief_Transformative_Competencies.pdf. Acesso em: 14 nov. 2019.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Education at a Glance 2018: OECD Indicators, 2018. Brazil − Country Note. Tradução de Walkíria de Moraes Teixeira da Silva. OECD Publishing, 2018. Disponível em: http://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/estatisticas_educacionais/ocde/education_at_a_glance/Country_Note_traduzido.pdf. Acesso em: 14 nov. 2019.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Trends Shaping Education 2016. Paris: OECD Publishing, 2016.

ROBSON, S. Internationalization at home: internationalizing the university experience of staff and students. Educação, Porto Alegre, v. 40, n. 3, p. 368-74, 2017.

RUMBLEY, L. E. Intelligent Internationalization: a 21st Century Imperative. International Higher Education, n. 80, p. 16-17, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.6017/ihe.2015.80.6146. Acesso em: 14 nov. 2019.

STALLIVIERI, L. As dinâmicas de uma nova linguagem intercultural na mobilidade acadêmica internacional. 2009. Orientador: Héctor Valencia. Tese (Doutorado em Línguas Modernas) - Universidad del Salvador, Buenos Aires. [Mediante acordo de Cooperação Internacional firmado com a Universidade de Caxias do Sul]. Caxias do Sul, RS, 2009.

UNESCO. Educação para a cidadania global: preparando alunos para os desafios do século XXI. Brasília: UNESCO, 2015. 44 p. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000234311. Acesso em: 9 jul. 2019.

Publicado
2020-04-01
Seção
Dossiê