Criações e usos das Artes como tecelãs de “conhecimentossignificações” curriculares

Palavras-chave: artes, criação, redes educativas

Resumo

Este texto é um apanhado de criações, cocriações, afetos, afecções e relações entre artes, mundos, vivências, experiências, memórias e conhecimento. Apontando para a multiplicidade de existências possíveis através das imagens e dos sons, apresentaremos neste trabalho algumas criações que conferem às artes novas possibilidades de “praticarpensar”[1] o currículo escolar e tessituras de “conhecimentossignificações” improváveis e singulares nos “dentrofora” das escolas, lançando mão da arte como um caminho de sensibilidade e afetações nas redes educativas que formamos e que nos formam. A arte como manifestação criativa humana e intrínseca aos fenômenos culturais, quando articulada aos componentes curriculares, acessa as transversalidades entre as diferentes áreas de conhecimentos, diante da pedagogia de sons, de cheiros, de imagens, gostos e gestos. Como narrativas, nos ajudam a expressar e criar outras maneiras de compreensão do mundo vivido, dialogando de forma ética, estética e política com os “praticantespensantes” dos cotidianos e “espaçostempos” escolares.

 

Biografia do Autor

Noale Toja, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Doutora em Educação e Cotidianos pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (ProPEd/UERJ). Mestre em Educação, Comunicação, Cultura e Periferias pela UERJ. Participante do GRPesq Currículos e Cotidianos: Redes Educativas, Imagens e Sons, na linha de pesquisa “Cotidianos, Redes Educativas e Processos Culturais”. Colabora em projetos de Educomunicação na articulação da educação, comunicação, artes e tecnologias.

Rafaela Rodrigues da Conceição, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Doutoranda em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Mestre em Educação pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Pedagoga pela UFRRJ. Atua como docente dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental na rede particular de ensino e no Colégio Pedro II. Integrante do GrPesq Currículos Cotidianos: Redes Educativas, Imagens e Sons, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

Talita Malheiros, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Mestranda em Educação na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Especialista em Arte, Educação e Tecnologias Contemporâneas pela Universidade de Brasília (UnB). Professora de Artes Visuais da Educação Básica (SME/RJ). Integrante do GrPesq Currículos Cotidianos: Redes Educativas, Imagens e Sons, da UERJ.

Referências

ALVES, Nilda. Sobre as redes educativas que formamos e que nos formam. In: ALVES, Nilda. Práticas pedagógicas em imagens e narrativas: memórias de processos didáticos e curriculares para pensar as escolas hoje. São Paulo: Cortez, 2019. p. 115-33.

CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano – artes do fazer. Petrópolis: Vozes, 2014.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Tradução de Aurélio Guerra Neto e Cecília Pinto Costa. Rio de Janeiro: Ed. 34, São Paulo, 2007. V. 1.

DELEUZE, Gilles. A imagem-movimento. Tradução de Stela Senra. São Paulo: Brasiliense, 1983. (Cinema 1).

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Tratado de nomadologia: a máquina de Guerra. In: DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia 2. São Paulo: Editora 34, 2012. V. 5.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. O que é Filosofia? São Paulo: Ed. 34, 1993.

GUÉRON, Rodrigo. Da imagem ao clichê, do clichê à imagem: Deleuze, cinema e pensamento. Editora Nau: Rio de Janeiro, 2011.

MACHADO, Arlindo. O quarto iconoclasmo e outros ensaios hereges. Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos, 2001.

RANGEL, Leonardo; SANTOS, Edméa. O caminhar na educação: narrativas de aprendizagens, pesquisa e formação. Editora Atena: Paraná, 2020

Publicado
2022-02-17
Como Citar
Toja, N., Rodrigues da Conceição, R., & Malheiros, T. (2022). Criações e usos das Artes como tecelãs de “conhecimentossignificações” curriculares. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, 26(58), 265-284. https://doi.org/10.20435/serie-estudos.v26i58.1603
Seção
Dossiê: Currículo, resistência e criação com as artes