O encontro com os signos artísticos do cinema produzindo movimentos aberrantes nas redes de conversação com professores e professoras

Palavras-chave: Currículos, formação continuada, signos artísticos

Resumo

Apresenta uma experimentação provocada em processos de formação inventiva − de professores e professoras da escola pública − no encontro com os signos artísticos do cinema, no intuito de produzir movimentos aberrantes em redes de conversações. Argumenta que o pensamento – por meio do encontro com os signos artísticos − pode ser constrangido ao estranhamento, ao desconhecido, instaurando processos de subjetivação e criação de mundos nos quais outros pensamentos são possíveis. O campo problemático, delineado nos encontros com os signos artísticos e corpos e fluxos e intensidades, pode ser assim enunciado: de que modo os movimentos aberrantes fazem liberar a potência da vida, engendrando modos outros de subjetivação? Apresenta a cartografia como aporte teórico-metodológico para acompanhar as redes de conversações que fazem proliferar afetos e afecções na constituição de movimentos aberrantes do pensamento no encontro com os signos artísticos. Deleuze, Guattari, Lapoujade e Carvalho são os intercessores convidados para essa composição com professores e professoras de duas escolas públicas de Educação Infantil da Serra, ES. Afirma os encontros de formação inventiva de professores e professoras como experimentação, nos quais os percursos, tempos e fluxos são inventados, compartilhados e, por serem intensivos, reverberam movimentos aberrantes do pensamento que dão a falar currículos, docências, aprendizagens.

Biografia do Autor

Tânia Mara Zanotti Guerra Frizzera Delboni, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Professora adjunta do Departamento de Teorias Educacionais e Práticas de Ensino da UFES; do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE); e do Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Educação.

Carlos Pereira de Melo, Secretaria Municipal de Educação de Serra; Secretaria Municipal de Cariacica

Mestre em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Professor da Rede Municipal de Educação de Serra, ES, e professor da Educação Infantil da Rede Municipal de Cariacica, ES.

Referências

CARVALHO, Janete Magalhães. Currículo e práticas cotidianas em redes de conversações: o falar. In: LIMA, Maria do Socorro Lucena; CAVALCANTE, Maria Marina Dias; SALES, José Albio Morreira; FARIAS, Isabel Maria Sabino (Org.). Didática e a prática de ensino na relação com a escola. Fortaleza: EdUECE, 2011.

CARVALHO, Janete Magalhães. O cotidiano escolar como comunidade de afetos. Petrópolis/Brasília: CNPq, 2009.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Tradução de Luiz Orlandi e Roberto Machado. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2018.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Tradução de Peter Pál Pelbart e Janice Caiafa. São Paulo: Ed. 34, 2012. V. 5.

DELEUZE, Gilles. Proust e os signos. 2. ed. Tradução de Antonio Piquet e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

DELEUZE, Gilles. Conversações. Tradução de Peter Pál Pelbart. São Paulo: Ed. 34, 1992.

DELEUZE, Gilles. A dobra: Leibniz e o barroco. Campinas, SP: Editora Papirus, 1991.

DELBONI, Tânia Mara Zanotti Frizzera; GONÇALVES, Camilla Borini Vazzoler; REIS, Eliana Aparecida de Jesus. As imagens-cinema como máquinas de guerra do pensamento: currículos e docências e... In: CARVALHO, Janete Magalhães; SILVA, Sandra Kretli; DELBONI, Tânia Mara Zanotti Guerra Frizzera (Org.). Currículo e estética da arte de educar. Curitiba: CRV, 2020.

DIAS, Rosimeri de Oliveira. Formação inventiva de professores e políticas de cognição. Informática na Educação: Teoria & Prática, Porto Alegre, v. 12, n. 2, p. 164-74, jul./dez. 2009.

DIAS, Rosimeri de Oliveira; PELUSO, Marilena dos Reis; BARBOSA, Márcia Helena Uchôa. Conversas entre micropolítica e formação inventiva de professores. Mnemosine, [s.l.], v. 9, n. 1, p. 224-37, 2013.

KASTRUP, Virgínia. Aprendizagem, arte e invenção. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 6, n. 1, p. 17-27, jan./jun. 2001.

LAPOUJADE, David. Deleuze e os movimentos aberrantes. Tradução de Laymert Garcia dos Santos. São Paulo: Editora n-1, 2015.

SILVA, Sandra Kretli. As imagens-cinematográficas como força que impulsiona o devir-pensamento no cotidiano escolar. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 20, n. 59, p. 283-300, out./dez. 2019.

TADEU, Tomaz. A arte do encontro e da composição: Spinoza + Currículo + Deleuze. Educação & Realidade, Porto Alegre, RS, v. 27, n. 2, p. 47-57, jul./dez. 2002.

TÓTORA, Silvana. Quid vitae? Uma política dos movimentos aberrantes. Aurora: Revista de Arte, Mídia e Política, São Paulo, v. 9, n. 27, p. 108-13, out. 2016/jan. 2017.

Publicado
2022-02-17
Como Citar
Mara Zanotti Guerra Frizzera Delboni, T., & Pereira de Melo, C. (2022). O encontro com os signos artísticos do cinema produzindo movimentos aberrantes nas redes de conversação com professores e professoras. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, 26(58), 111-128. https://doi.org/10.20435/serie-estudos.v26i58.1583
Seção
Dossiê: Currículo, resistência e criação com as artes