Construindo cenários de mobilidade acadêmica: o processo de internacionalização em uma universidade comunitária

Palavras-chave: Internacionalização, Mobilidade acadêmica, Educação superior.

Resumo

O artigo em tela retrata os resultados parciais de uma pesquisa quali/quantitativa sobre o processo de internacionalização no âmbito de uma universidade comunitária do Rio Grande do Sul, RS, situada na região noroeste do estado. O projeto, financiado pela Fapergs, foi desenvolvido no Núcleo de Estudos e Pesquisas em Processos de Educação Superior (NEPPES), o qual integra a Rede GIEPES (Grupo Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação Superior), e teve por objetivo: “Investigar como a URI tem construído seu processo de internacionalização, levando em consideração os documentos oficiais da universidade, os Projetos Pedagógicos dos Cursos de Graduação, os Projetos dos Programas Stricto Sensu, tendo em vista que a internacionalização vem sendo considerada, hoje, a quarta missão da universidade”. Ao investigar a temática, foi possível concluir que houve um avanço no conceito de internacionalização e uma maior integração por meio de ações e convênios com universidades latino-americanas, contrariando os primeiros indícios de internacionalização que apontavam para um número muito mais expressivo de convênios assinados com universidades europeias; e, por fim, que, mesmo que o número de acadêmicos e professores que vivenciaram processos de mobilidade acadêmica pareça ser baixo em relação a grandes universidades, ele foi muito significativo se considerarmos o locus onde desenvolvemos a pesquisa.

Biografia do Autor

Silvia Regina Canan, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI

Doutorado em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Professora da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) − Campus de Frederico Westphalen. Docente da Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação − Nível Mestrado e Doutorado. Participou de inúmeros eventos na área da Educação como ouvinte e também apresentando trabalhos, possui publicações em anais de eventos com textos completos e resumos, e livros editados pela Editora da URI, pela Editora CRV, pela Mercado de Letras e Pela Editora Livre da Clacso e alguns capítulos em outros livros. Atualmente, é Diretora-geral da URI − Campus de Frederico Westphalen.
Edite Maria Sudbrack, URI
Doutorado e mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Estágio pós-doutoral pela UFRGS, com o projeto: “Assistência financeira da União aos estados e municípios na educação básica: política e políticas”. Em estágio pós-doutoral na Universidade de Aveiro, Portugal. Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Santa Maria. Pró-reitora de Ensino da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI). Docente do PPGEDU e professora na URI. Atua como coordenadora local do DINTER - UNISINOS/URI.
Thais Campos da Silva, URI

Acadêmica do Curso de Pedagogia da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Campus de Frederico Westphalen, RS. Estagiária no Setor de Avaliação Externa dos Cursos de Graduação da URI, Campus de Frederico Westphalen. Bolsista PROBIC/CNPq, desenvolvendo pesquisa sobre o tema “Internacionalização em processo: um estudo a partir da perspectiva da extensão”, no Núcleo de Estudos e Pesquisas em Processos de Educação Superior (NEPPES).

Referências

AZEVEDO, M. L. N. Internacionalização ou transnacionalização da educação superior: entre a formação de um campo social global e um mercado de ensino mundializado. Crítica Educativa, Sorocaba, v. 1, n. 1, p. 56-75, jan./jun. 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de pessoal de Nível Superior. A internacionalização na Universidade Brasileira: resultados do questionário aplicado pela Capes. Brasília, 2017. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/diversos/A-internacionalizacao-nas-IES-brasileiras.pdf. Acesso em: 12 abr. 2018.

CASTRO, A. A.; NETO, A. C. O ensino superior: a mobilidade estudantil como estratégia de internacionalização na América Latina. Revista Lusófona de Educação, Portugal, v. 21, p. 69-96, 2012. Disponível em: revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/3082. Acesso em: 26 maio 2018.

CHARLE, C.; VERGER, J. História das universidades. São Paulo: UNESP, 1996.

CUNHA, M. I. da. Internacionalização e democratização: uma tensão na qualidade da Educação Superior? São Leopoldo: Oikos, 2016.

KNIGHT, J. A Time of Turbulence and Transformation for Internacionalization. CBIE Research, n. 14, p. 1-17, 2007. Disponível em: https://eric.ed.gov/?id=ED549870. Acesso em: 5 ago. 2018.

KNIGHT, J. Internationalization: elements&checkpoints. Ottawa: Canadian Bureau for International Education, 1994.

KNIGHT, J.; DE WIT, H. Internationalization remodeled: definition, approaches end rationales. Journal of Studies in Education, Washington, v. 8, n. 1, p. 5-31, jan./mar. 2004.

KNIGHT, J. Entrevista com Jane Knight: Universidades apostam na internacionalização. Jornal Extra Classe, edições impressas, jul. 2014. Disponível em: https://www.extraclasse.org.br/edicoes/2014/07/Universidades-apostam-na-internacionalizacao/. Acesso em: 25 jul. 2018.

LIMA, M. C.; CONTEL, F. B. Internacionalização da educação superior, nações ativas, nações passivas e a geopolítica do conhecimento. São Paulo: Alameda, 2011.

LIMA, M. C.; MARANHÃO, C. M. S. A. O sistema de educação superior mundial: entre a internacionalização ativa e passiva. Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas, v. 14, n. 3, p. 583-610, nov. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-40772009000300004&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 26 abr. 2018.

MAUÉS, O. C. BASTOS, R. dos S. As políticas de educação superior na esteira dos organismos internacionais. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 32, n. 3, p. 699-717, set./dez. 2016. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/rbpae/article/view/68570. Acesso em: 5 abr. 2018.

MORGADO, J. C. Processo de Bolonha e Ensino Superior num mundo globalizado. Educação e Sociedade, Campinas, v. 30, n. 106, p. 37-62, jan./abr. 2009.

MOREIRA, A. Prefácio. In.: SANTOS, F. S.; ALMEIDA FILHO, N. A quarta missão da Universidade: internacionalização universitária na sociedade do conhecimento. Brasília: Editora Universidade de Brasília; Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2012.

MOROSINI, M. C. Estado do conhecimento sobre internacionalização da educação superior: conceitos e práticas. Educar, Curitiba, n. 28, p. 107-24, 2006.

NASCIMENTO, M. E. M. A internacionalização do ensino superior e a formação inicial de professores: um estudo do Programa Licenciaturas Internacionais na UFRN (2010-2013). Natal, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/24569/1/MariaEmanueleMacedoDoNascimento_DISSERT.pdf. Acesso em: 3 maio 2018.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Education at a Glance. OCDE, 2012. Disponível em: Disponível em: http://ww.oecd.org/edu/highlights.pdf. Acesso em: 13 jun. 2018.

SANTOS, F. S.; ALMEIDA FILHO, N. A quarta missão da Universidade: internacionalização universitária na sociedade do conhecimento. Brasília: Editora Universidade de Brasília; Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2012.

SANTOS FILHO, J. C. Internacionalización de la educación superior: redefiniciones, justificativas y estrategias. Espaço Pedagógico, Passo Fundo, v. 25, n. 1, p. 168-89, jan./abr. 2018. Disponível em: www.upf.br/seer/index.php/rep. Acesso em: 15 jan. 2019.

SPEARS, E. O valor de um intercâmbio: mobilidade estudantil brasileira, bilateralismo & internacionalização da educação. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 8, n. 1, p. 151-63, 2014. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/1026. Acesso em: 3 ago. 2018.

STALLIVIERI, L. As Dinâmicas de uma nova linguagem intercultural na mobilidade acadêmica internacional. Argentina: Universidad Del Salvador; Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2009. Disponível em: https://racimo.usal.edu.ar/52/1/Stellivieri.pdf. Acesso em: 21 abr. 2019.

STALLIVIERI, L. O processo de internacionalização nas instituições de ensino superior. Caxias do Sul: Assessoria de Relações Interinstitucionais e Internacionais, 2003. Disponível em: https://www.ucs.br/site/midia/arquivos/processo_internacionalizacao.pdf. Acesso em: 16 nov. 2017.

STALLIVIERI, L. Estratégias de internacionalização das universidades brasileiras. Caxias do Sul: Educs, 2004.

TREVISOL, M. G.; FÁVERO, A. A. As diversas faces da internacionalização: análise comparativa entre duas instituições comunitárias do sul do Brasil. Rev. Inter. Educ. Sup., Campinas, v. 5, 1-22, 2019.

UNESCO. Declaração mundial sobre Educação Superior no século XXI: visão e ação - 1998. Paris, 9 out. 1998.

UNESCO. Desafios da Universidade na Sociedade do Conhecimento. Brasília: UNESCO, 2008. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001344/134422por.pdf. Acesso em: 25 jul. 2018.

UNIVERSIDADE REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES. Conselho Universitário. Resolução n. 2114/CUN/2015. Dispõe sobre Programa de Internacionalização da URI. Erechim: URI, 2 out. 2015a.

UNIVERSIDADE REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES. Resolução n. 2107/CUN/2015. Plano de Desenvolvimento Institucional – 2016-2020: URI. Documentos oficiais. Erechim: URI, 31 de julho de 2015b. Disponível em: http://www.reitoria.uri.br/. Acesso em: dez. 2018.

UNIVERSIDADE REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES. Resolução n. 2107/CUN/2015. Plano de Desenvolvimento Institucional – 2016-2020: URI. Documentos oficiais. Erechim: URI, 31 de julho de 2015b. Disponível em: http://www.reitoria.uri.br/. Acesso em: dez. 2019.

Publicado
2020-04-01
Seção
Dossiê