A revisão de literatura em teses de doutorado: análise de condução e redação

Palavras-chave: revisão de literatura, teses de doutorado, educação

Resumo

Analisou-se a qualidade das revisões de literatura em teses de doutorado, cujas datas de defesa estão no interstício temporal 2013-2016 e são vinculadas ao Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia (PPGEduC/UNEB). Neste ensaio, mostram-se os resultados relativos a uma das linhas de pesquisa desse Programa. A demanda é ancorada numa abordagem mista ou quali-quantitativa, com adoção do método de pesquisa documental. As teses, consideradas documentos da pesquisa, foram obtidas no Catálogo de Teses e Dissertações da CAPES. Erigiram-se as análises com amparo na adaptação da Rubrica de Pontuação da Revisão de Literatura de Boote e Beile (2005), tomando-se quatro categorias: Cobertura, Síntese, Significância e Retórica. Os resultados desvelam que as teses examinadas fornecem aportes férteis e instigantes para estruturar a revisão de literatura na produção do conhecimento científico, porque apontam aspectos importantes que devem estar envolvidos para conduzir e escrever uma revisão de literatura de qualidade.

Biografia do Autor

Eliziane Rocha Castro, Universidade Estadual do Ceará

Doutoranda e mestra em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (PPGE/UECE). Coordenadora do Núcleo de Formação Continuada da Secretaria Municipal de Educação de Raposa, MA. Bolsista da Fundação Cearense de Apoio à Pesquisa (FUNCAP).

João Batista Carvalho Nunes, Universidade Estadual do Ceará

Doutor em Filosofia e Ciências da Educação pela Universidade de Santiago de Compostela (Espanha). Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Francisco Jeovane do Nascimento, Universidade Estadual do Ceará (UECE).

 Doutorando e mestre em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (PPGE/UECE). Professor da Rede Estadual de Ensino do Ceará (SEDUC/CE). Bolsista da Fundação Cearense de Apoio à Pesquisa (FUNCAP).

Francy Sousa Rabelo, Universidade Estadual do Ceará

Doutoranda e mestra em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (PPGE/UECE). Professora Adjunta do Departamento de Educação I da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Referências

ALVES-MAZZOTTI, A. J. A “revisão de literatura” em teses e dissertações: meus tipos inesquecíveis – o retorno. In: BIANCHETTI, L.; MACHADO, A. M. N. (Org.). A bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. São Paulo: Cortez, 2002, p. 25-44.

BAKHTIN, M. O romance de educação na história do realismo. In: BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Tradução de Maria Ermantina G. Gomes Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1997. Cap. 2, p. 221-76.

BERLAND, N.; PIOT, C.; STOLOWY, H. La revue de littérature: état de l’état de l’art. Comptabilité – Contrôle – Audit, Paris, v. 19, n. 3, dez. 2013. Disponível em: https://www.cairn.info/revue-comptabilite-controle-audit-2013-3-page-3.htm. Acesso em: 18 jun. 2018.

BOOTE, D. N.; BEILE, P. Scholars before researchers: on the centrality of the dissertation literature review in research preparation. Educational Researcher, v. 34, n. 6. ago. 2005. Disponível em: http://journals.sagepub.com/doi/10.3102/0013189X034006003. Acesso em: 18 jun. 2018.

CARDOSO, T.; ALARCÃO, I.; CELORICO, J. A. MAECC®: um caminho para mapear investigação. Indagatio Didactica, v. 5, n. 2, out. 2013. Disponível em: http://revistas.ua.pt/index.php/ID/article/view/2452/2323. Acesso em: 27 jun. 2018.

FITT, M. H.; WALKER, A. E, LEARY, H. M. Assessing the quality of doctoral dissertation literature reviews in instructional technology. Instructional Technology & Learning Sciences, 2009. Disponível em: https://digitalcommons.usu.edu/itls_facpub/8/. Acesso em: 6 jul. 2018.

KRATHWOHL, D. R.; SMITH, N. L. How to prepare a dissertation proposal: suggestions for students in education and the social and behavioral sciences. Syracuse, NY: Syracuse University Press, 2005.

MAXWELL, J. A. Literature Reviews of, and for, educational research: a commentary on Boote and Beile’s “scholars before researchers”. Educational Researcher. v. 35, n. 9, set. 2006. Disponível em: http://journals.sagepub.com/doi/10.3102/0013189X035009028. Acesso em: 6 jul. 2018.

MINAYO, M. C. S. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, mar. 2012. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S141381232012000300007. Acesso em: 9 jul. 2018.

MOSKAL, B. M. Scoring Rubrics: what, when and how? Practical Assessment, Research & Evaluation. v. 7, n. 3, mar. 2000. Disponível em: https://pareonline.net/getvn.asp?v=7%26n=3. Acesso em: 6 jul. 2018.

RUDESTAM, K. E.; NEWTON, R. R. Surviving your dissertation: a comprehensive guide to content and process. 2. ed. Thousand Oaks: Sage Publications, 2001.

SILVA, L. R. C. S.; DAMASCENO, A. D.; MARTINS, M. C. R.; SOBRAL, K. M.; FARIAS, I. M. S. Pesquisa documental: caracterização e interface na produção acadêmica em Educação. In: NÓBREGA-THERRIEN, S.; FARIAS; I. M. S.; NUNES, J. B. C. (Org.). Pesquisa Científica para iniciantes: caminhando no labirinto. Fortaleza: EdUECE, 2011, p. 55-66. v. 3.

Publicado
2020-08-20
Seção
Artigos