Passos para acionar e efetivar um currículo-dançante

Palavras-chave: Dança., Currículo, Filosofia da Diferença

Resumo

Este artigo trata dos passos dados no território de um currículo, em uma investigação, para acionar e efetivar um currículo-dançante, composto de experimentações com dança. A pesquisa, realizada em uma escola pública da Grande Belo Horizonte, em turmas do 8º e do 9º ano do ensino fundamental, trabalhou com conceitos e compreensões dos estudos curriculares pós-críticos e da filosofia da diferença. A investigação criou e utilizou como metodologia o dançarilhar, isto é: uma composição feita de cartografia + dança e que se inspira tanto nos estudos de Gilles Deleuze e Félix Guattari como no “Andarilho” de Nietzsche para apostar em um currículo que faz experimentações com a dança. Este artigo traz resultados dessa investigação e mostra toda a movimentação para a criação de um currículo-dançante que convida corpos a dançar no espaço entre um currículo-maior e um currículo-menor, subverte o senso comum em relação à dança e à demanda por dança como um “currículo turístico” e, desde os seus primeiros passos, produz resistências e desencadeia devires.

Biografia do Autor

Carla Char, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutoranda e mestre em Educação e Pedagoga com ênfase em Dança pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Artista da dança, membro do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Currículos e Culturas (GECC), FaE/UFMG – CNPq, e do grupelho Grupo de Estudos e Ações em Filosofia e Educação, FaE/UFMG – CNPq.

Marlucy Alves Paraíso, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Professora titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (FaE/UFMG). Pesquisadora 1C do CNPq. Fundadora e Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Currículos e Culturas (GECC) da FaE/UFMG.

Referências

ASPIS, Renata P. L. Criação de bando como movimento de resistência. Youtube, transmitido em 16 jul. 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4UJsAPGYsLo&ab_channel=agenciamentos. Acesso em: 25 set. 2020.

ASPIS, Renata P. L. Notas esparsas sobre filosofias da diferença e currículos. Currículo sem Fronteiras [on-line], [s.l.], v. 16, n. 3, p. 429-39, set./dez. 2016.

BIATO, Emília C. L. Cores, sabores e texturas: fantasias do corpo em cena. In: RODRIGUES, Carla G. (Org.). Caderno de nota 5: oficina de escrileituras. Pelotas: Editora Universitária; UFPEL, 2013.

DELEUZE, Gilles. Conversações. Tradução de Peter Pál Pelbart. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora 34, 2013.

DELEUZE, Gilles. Espinosa: filosofia prática. Tradução de Daniel Lins e Fabien Pascal Lins. São Paulo: Escuta Editora, 2002.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia 2. Tradução de Suely Rolnik. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2012. V. 4.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? Tradução de Bento Prado Jr. e Alberto Alonzo Muñoz. 3. ed. São Paulo: Editora 34, 2010.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Féliz. Kafka: por uma literatura menor. Tradução Júlio Castañon Guimarães. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1977.

FERNANDES, Ciane. Pina Bausch e o Wuppertal dança-teatro: repetição e transformação. São Paulo: Annablume, 2007.

GIL, José. Movimento total: o corpo e a dança. Tradução de Miguel Serras Pereira. Lisboa: Relógio D’Água Editores, 2002.

MUNHOZ, Angélica V. Imagens de um pensamento-dança. Caderno Pedagógico, Lajeado, v. 8, n. 1, p. 23-30, 2011.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Currículo e gênero: agenciamentos da diferença em relatos de si mesmos/as de docentes/as. [Projeto de pesquisa com bolsa PQ do CNPq.], 2020.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Currículo e relações de gênero: entre o que se ensina e o que se pode aprender. Revista Linhas, Florianópolis, v. 17, n. 33, p. 194-225, jan./abr. 2016.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Currículo, desejo e experiência. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 277-293, maio/ago. 2009. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/download/9355/5545. Acesso em: 17 maio 2020.

SPINOZA, Benedictus de. Ética. Tradução e notas de Tomaz Tadeu. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

TADEU, Tomaz. A arte do encontro e da composição: Spinoza + Currículo + Deleuze. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 27, n. 2, p. 47-57, jul./dez. 2002.

TADEU, Tomaz; CORAZZA, Sandra; ZORDAN, Paola. Linhas de escrita. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

ZOURABICHVILI, François. Deleuze: uma filosofia do acontecimento. Tradução de Luiz B. L. Orlandi. São Paulo: Editora 34, 2016.

Publicado
2022-02-22
Como Citar
Char, C., & Alves Paraíso, M. (2022). Passos para acionar e efetivar um currículo-dançante. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, 26(58), 33-54. https://doi.org/10.20435/serie-estudos.v26i58.1596
Seção
Dossiê: Currículo, resistência e criação com as artes