Afirmar a vida no encontro entre o cinema e uma formação de professoras

Palavras-chave: Currículo, Apego à vida, Imagem-cinema

Resumo

Objetiva problematizar os modos de pensar e praticar os currículos no cotidiano escolar em direção ao fortalecimento do apego à vida na escola a partir de discussões e ideias decorrentes de uma pesquisa-formação no contato com dois curtas-metragens. Metodologicamente, foram criadas redes de conversações com professoras de uma Rede Municipal de Ensino, para tensionar o limite do corpo-indivíduo em direção à produção de coletivos verdadeiramente implicados com os pensamentos curriculares, partindo de dois curtas-metragens como elementos disparadores para as conversações: L3.o (2014) e Piirongin Piiloissa (2011). Por meio das imagens-cinema apresentadas, notou-se uma movimentação do pensamento das professoras, ao atualizarem enunciações acerca da vida escolar e de seus limites, destacando as rasuras produzidas pela emoção criadora que expandem o apego à vida. Por fim, conclui que o apego à vida é necessário para liberar a vida e permitir a passagem da pulsão vital que dá acesso à potência de criação e, assim, das problematizações e criações docentes.

Biografia do Autor

Steferson Roseiro, Prefeitura Municipal de Cariacica

Doutorando em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Professor da Rede Municipal de Ensino de Cariacica, ES.

Suzany Lourenço, Universidade Vila Velha (UVV)

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo. Professora da Universidade Vila Velha (UVV) e da Rede Municipal de Ensino de Serra, ES.

Janete Carvalho, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Referências

BERGSON, Henri. Matéria e memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

CARVALHO, Janete Magalhães. Fabulando currículos entre imagens dos sonhos de Kurosawa. In: ANDRADE, Nívea; ALVES, Nilda (Org.). Sonhos de escolas: conversas com Kurosawa. Rio de Janeiro; Petrópolis: FAPERJ/DP et Alii, 2014. p. 74-97.

CARVALHO, Janete Magalhães. O cotidiano escolar como comunidade de afetos. Petrópolis: DP et Alii; Brasília: CNPq, 2009.

CARVALHO, Janete Magalhães; ROSEIRO, Steferson Zanoni. Inventando tempos outros com Bergson e Deleuze em coletivos escolares: a potência da imagem-movimento e da imagem-tempo nas produções curriculares. Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação, Brasília, v. 25, p. 83-96, 2015.

DELEUZE, Gilles. Nietzsche e a filosofia. Tradução de Mariana de Toledo Barbosa e Ovídio de Abreu Filho. São Paulo: n-1 Edições, 2018.

DELEUZE, Gilles. Tornar audíveis forças não-audíveis por si mesmas. In: DELEUZE, Gilles. Dois regimes de loucos: textos e entrevistas (1975-1995). Tradução de Guilherme Ivo. São Paulo: Ed. 34, 2016.

DELEUZE, Gilles. A imagem-tempo. Tradução de Eloísa de Araújo Ribeiro. São Paulo: Brasiliense, 2013.

DELEUZE, Gilles. A concepção da diferença em Bergson. In: DELEUZE, Gilles. A ilha deserta e outros textos. São Paulo: Editora Iluminuras, 2004, p. 43-72.

DELEUZE, Gilles. A imagem-movimento. Tradução de Stella Senra. São Paulo: Brasiliense, 1985.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Como criar para si um corpo sem órgãos. Tradução de Aurélio Guerra Neto. In: DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Editora 34, 1996. p. 9-29.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Um só ou vários lobos? In: DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia 2, v. 1. Tradução: Aurélio Guerra Neto. São Paulo: Ed. 34, 1995.

FUTURE. Piirongin Piiloissa | Future Shorts. YouTube, 18 jun. 2016. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=HwUZ2kH1id0. Acesso em: 22 ago. 2021.

ISARTDIGITAL. L3.o. YouTube, 12 set. 2014. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=dQT3wD9gweE. Acesso em: 22 ago. 2021.

LAPOUJADE, David. Potências do tempo. Tradução de Hortensia Santos Lencastre. 2. ed. São Paulo: n-1 Edições, 2017.

LAPOUJADE, David. Deleuze, os movimentos aberrantes. Tradução de Laymert Garcia dos Santos. São Paulo: n-1 Edições, 2015.

LAZZARATO, Maurizio. As revoluções do capitalismo. Tradução de Leonora Corsini. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

LINS, Daniel. Bob Dylan: a liberdade que canta. São Paulo: Edições Ricochete, 2018.

LOURENÇO, Suzany Goulart. A força do riso como máquina de luta entre a atenção e o apego à vida: cartografias das aprendências em uma escola pública. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, ES, 2019.

MACHADO, Roberto. Deleuze, a arte e a filosofia. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2009.

Publicado
2022-02-17
Como Citar
Roseiro, S., Lourenço, S., & Carvalho, J. (2022). Afirmar a vida no encontro entre o cinema e uma formação de professoras. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, 26(58), 67-88. https://doi.org/10.20435/serie-estudos.v26i58.1574
Seção
Dossiê: Currículo, resistência e criação com as artes