A energia criativa em favor da educação: tecnologia e arte para a disrupção curricular

Palavras-chave: Arte, TDIC, currículo

Resumo

Neste trabalho, apresenta-se uma construção teórica fundamentada em uma perspectiva crítica da educação escolar brasileira, da atual Base Nacional Comum Curricular e das novas abordagens de formação dirigidas particularmente aos jovens das classes sociais menos favorecidas. A Arte e suas potencialidades propiciadas pelas tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) são apresentadas como possibilidade de resistência, a partir de uma apropriação criativa dos novos currículos. A construção teórica desenvolvida apoia-se nas ideias e análises de Luis Althusser, Antonio Gramsci, Michael Apple, Paulo Freire e Demerval Saviani, tomando obras de Candido Portinari, Graciliano Ramos, João Cabral de Melo Neto e Chico Buarque como exemplo para uma abordagem criativa do currículo. Deste modo, espera-se que o presente trabalho sirva como contribuição aos debates em torno das novas abordagens curriculares, ao apontar alternativas possíveis de ruptura com os condicionamentos ideológico-culturais implícitos no currículo vigente através da Arte e do uso assertivo da tecnologia.

Biografia do Autor

Rosimari Ruy, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)

Doutoranda em Educação Escolar na Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp). Mestra em Educação pela Unesp. Especialista em Educação: Ciência, Tecnologia e Sociedade pelo Instituto Federal de São Paulo (IFSP). Graduada em Ciências Exatas pela Universidade de São Paulo (USP), e Pedagogia pela Universidade Nove de Julho (Uninove).

Francisco Rolfsen Belda, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)

Doutor em Engenharia de Produção e mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP). Graduado em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCCamp). Docente na Faculdade de Arquitetura, Artes, Comunicação e Design (FAAC/Bauru) da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp).

Vitor Machado, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Mestre e graduado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp). Docente na Faculdade de Ciências (FC/Bauru) da Unesp.

Referências

ALTHUSSER, Louis. Aparelhos ideológicos do Estado. In: ALTHUSSER, Louis. Aparelhos ideológicos do Estado. Rio de Janeiro: Graal, 1983. p. 53-107.

APPLE, Michael. Educação e poder. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular – Educação é a base. Brasília-DF: MEC, 2019.

BRASIL. Lei n. 9610, de 19 de fevereiro de 1998. Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 20 fev. 1998. Disponível em: https://is.gd/iWCz83. Acesso em: 27 ago. 2021.

CASTRO, Josué. Geografia da fome. 8. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

CASTRO, Josué. Geopolítica da fome. 8 ed. São Paulo, Brasiliense, 1968.

CUNHA JUNIOR, José Eustáquio Rodrigues. Os desafios da BNCC e o novo ensino médio: rumo a uma formação aligeirada. 2021. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Docência do Ensino Superior) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano, Ipameri, GO, 2021. Disponível em: https://is.gd/BNTAoy. Acesso em: 28 ago. 2021.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 12. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1983.

GARCIA, Walter. Apontamentos sobre uma canção para teatro: “Funeral de um lavrador”. Literatura e Sociedade, [s.l.], v. 16, n. 15, p. 160-73, 2011. https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i15p160-173

GONÇALVES, Amanda Melchiotti; DEITOS, Roberto Antonio. Competências gerais da base nacional comum curricular (BNCC): aspectos teóricos e ideológicos. EccoS – Revista Científica, São Paulo, n. 52, p. 1-19, 2020. https://doi.org/10.5585/eccos.n52.10678

GRAMSCI, Antonio. A organização da escola e da cultura. In: GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. 9. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995. p. 117-57.

MELO NETO, João Cabral. Morte e vida severina. São Paulo: TUCA, 1955.

MORTE e vida severina. Direção: Zelito Viana. Produção: Mapa Produções Cinematográficas Ltda.; K. M. Eckstein; Embrafilme - Empresa Brasileira de Filmes S.A.; Zelito Viana. Rio de Janeiro: Embrafilme - Empresa Brasileira de Filmes S.A., 1977. Filme 35mm. Disponível em: https://is.gd/EZhccO. Acesso em: 27 ago. 2021.

MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO ASSIS CHATEAUBRIAND (MASP). São Paulo: [s.d.]. Disponível em: https://masp.org.br/acervo. Acesso em: 27 ago. 2021.

PUCCI, Bruno. Ensaios estético-filosóficos: teoria crítica e educação. São Carlos: Pedro & João Editores, 2021. V. 2.

RAMOS, Graciliano. Vidas secas. São Paulo/Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1938.

REVISTA PROSA VERSO E ARTE. Os ‘Retirantes’ de Portinari e a ‘Geografia da fome’ de Josué de Castro. Publicado em out. 2017, modificado em abr. 2018. Disponível em: https://is.gd/Nyh7EM. Acesso em: 27 ago. 2021.

ROCHA NETO, Manuel Alves. Possibilidades de leitura na obra “Retirantes” de Candido Portinari. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura e Bacharelado em Artes Plásticas) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, 2006. Disponível em: https://is.gd/WNqNQ7. Acesso em: 27 ago. 2021.

SANTOS, José Douglas Alves; MELO, Aísha Kaderrah Dantas; LUCIMI, Marizete. Uma breve reflexão retrospectiva da educação brasileira (1960‐2000): implicações contemporâneas. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS “HISTÓRIA, SOCIEDADE E EDUCAÇÃO NO BRASIL” – UFP, 9., João Pessoa, 31 jul.- 3 ago. 2012. Anais [...]. João Pessoa: UFP, 2012. Disponível em: https://is.gd/jXel4a. Acesso em: 12 ago. 2021.

SAVIANI, Demerval. A Pedagogia histórico-crítica e a educação escolar. In: SAVIANI, Demerval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 32. ed. Campinas: Autores Associados, 1999a. p. 75-88.

SAVIANI, Demerval. Escola e democracia. 32. ed. Campinas: Autores Associados, 1999b.

TAFFAREL, Celi Nelza Zulke; BELTRÃO, José Arlen. Destruição de forças produtivas e o rebaixamento da formação da classe trabalhadora: o caso da reforma da BNCC do ensino médio. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 11, n. 1, p. 103-15, abr. 2019. http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v11i1.32000

VIDAS SECAS. Direção: Nelson Pereira dos Santos. Produção: Produções Cinematográficas Herbert Richers S.A.; Luiz Carlos Barreto; Herbert Richers; Danilo Trelles. Rio de Janeiro: Produções Cinematográficas Herbert Richers S.A.; Sinofilmes, 1963. Filme 35mm. Disponível em: https://is.gd/FOrITa. Acesso em: 27 ago. 2021.

Publicado
2022-02-17
Como Citar
Ruy, R., Belda, F. R., & Machado, V. (2022). A energia criativa em favor da educação: tecnologia e arte para a disrupção curricular. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, 26(58), 285-304. https://doi.org/10.20435/serie-estudos.v26i58.1577
Seção
Dossiê: Currículo, resistência e criação com as artes