Complexo de formação de professores: espaço-tempo produtor de políticas de currículo

Palavras-chave: política de formação de professores, política de currículo, currículo de licenciaturas

Resumo

Este texto tem por objetivo refletir sobre a articulação que vem sendo produzida entre políticas de currículo e políticas de formação docente da educação básica, no âmbito de uma experiência de construção de um novo arranjo institucional, atualmente em curso, nomeada Complexo de Formação de Professores (CFP). Assumindo a postura epistêmica pós-fundacional e em diálogo com a literatura especializada, tanto da área do currículo quanto da de formação de professores, ele busca explorar possibilidades de pensar essa articulação, tal como mobilizada nessa experiência. Sublinha, assim, os entrecruzamentos de fluxos de sentidos particulares de currículo de licenciatura e de docência, os quais essa articulação busca hegemonizar em meio às lutas de significação desses termos, travadas no cenário político-educacional de nosso presente. A análise de documentos produzidos pelo próprio CFP, dos conteúdos veiculados em suas redes sociais, nesse processo, permite destacar potencialidades insurgentes e elementos desafiadores na produção de políticas (inter)institucionais, que podem contribuir para fazer avançar o debate político-educacional das áreas envolvidas.

Biografia do Autor

Carmen Teresa Gabriel, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Pós-doutorado na Université des Sicences Humaines de Lille 3 (França). Doutorado e mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). Pós-graduação em Estudos do Desenvolvimento pelo Institut dÉtudes du Développement (IUED–Genebra). Bacharel e licenciada em História pela Universidade Federal Fluminense. Professora titular de Currículo na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e professora no Programa de Pós-Graduação em Educação dessa mesma instituição (PPGE/UFRJ). Coordenadora do Laboratório de Núcleo de Estudos de Currículos da UFRJ (LaNEC) e do Grupo de Estudos Currículo, Conhecimento e Ensino de História (Gecceh). Coordenadora do Comitê Permanente do Complexo de Formação de Professores da UFRJ.

Bruna Senna, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Doutoranda e mestre em educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGE/UFRJ). Membro do Grupo de Estudos Currículo, Conhecimento e Ensino de História (Gecceh) e bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Referências

BOURDONCLE, Raymond. Professionnalisation, formes et dispositif. Recherche et Formation, Paris, n. 35, p. 117-32, 2000.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Complexo de Formação de Professores Docentes. O Complexo de Formação de Professores na UFRJ: um lugar compartilhado para formar professoras e professores da educação básica. [Documento Interno]. Rio de Janeiro: UFRJ, 2018a.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Complexo de Formação de Professores Docentes. Termo de Referência. Rio de Janeiro: UFRJ, 2018b.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Conselho Universitário da UFRJ. Resolução n. 20, de 20 de dezembro de 2018. Aprova o Regimento do Complexo de Formação de Professores da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: UFRJ, 2018c.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Conselho Universitário da UFRJ. Resolução n. 19, de 20 de dezembro de 2018. Institui o Complexo de Formação de Professores na Estrutura Média da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: UFRJ, 2018d.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Conselho Universitário da UFRJ. Rio de Janeiro: UFRJ, [s.d.]. Disponível em: https://consuni.ufrj.br/. Acesso em: 10/12/2020.

FORMOSINHO, João. A academização da formação de professores. In: FORMOSINHO, João (Org.). Formação de professores: aprendizagem profissional e acção docente. Porto: Porto Editora, 2009. p. 73-92.

GABRIEL, Carmen Teresa. Docência, demanda e conhecimento escolar: articulações em tempos de crise. Currículo sem Fronteiras, v. 15, n. 2, p. 425-444, maio/ago. 2015.

GABRIEL, Carmen Teresa. Relação com o saber: uma proposta de releitura pós-fundacional. In: LOPES, Alice Casimiro; OLIVEIRA, Ana Luiza A. R. Martins; OLIVEIRA, Gustavo Gibon Souza (Org.). A Teoria do Discurso na pesquisa em Educação. Recife: Editora UFPE, 2018. p. 217-50.

LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal. Hegemonía y estrategia socialista: hacia una radicalización de la democracia. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica de Argentina, 2004.

MARCHART, Oliver. La política y la diferencia ontológica: cerca de lo “estrictamente filosófico” en la obra de Laclau. In: CRITCHLEY, Simon; MARCHART, Oliver (Org.). Laclau: aproximaciones críticas a su obra. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2008. p. 77-97.

MARCHART, Oliver. El pensamiento político posfundacional: la diferencia política en Nancy, Lefort, Badiou y Laclau. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2009.

MAUES, Olgaíses Cabral. Reformas internacionais da educação e formação de professores. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 118, p. 89-118, mar. 2003.

NÓVOA, António. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 47, n. 166, p. 1106-33, dez. 2017a.

NÓVOA. António. Um novo modelo institucional para a formação de professores na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Relatório Final. Rio de Janeiro, 2017b.

RETAMOZO, Martin. Lo político y la política: los sujetos políticos, conformación y disputa por el orden social. México: Revista Mexicana de Ciencias Políticas y Sociales, v. 51, n. 206, p. 69-91, 2009.

SARTI, Flávia. O triângulo da formação docente: seus jogadores e configurações. Educação e Pesquisa, v. 38, n. 2, p. 323-38, jun. 2012.

SHULMAN, Lee. Conhecimento e ensino: fundamentos para a nova reforma. Cadernos Cenpec, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 196-229, dez., 2014.

TARDIF, Maurice. A profissionalização do ensino passados trinta anos: dois passos para a frente, três para trás. Educação & Sociedade, Campinas, v. 34, n. 123, p. 551-71, abr./jun., 2013.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

ZEICHNER, Kenneth. Repensando as conexões entre a formação na universidade e as experiências de campo na formação de professores em faculdades e universidades. Educação, Santa Maria, v. 35, n. 3, p. 479-504, set./dez. 2010.

Publicado
2020-09-11
Seção
Dossiê: As (novas) políticas curriculares para formação docente: paradoxos e pro