Educação indígena: da tutela à emancipação

  • Telmo Marcon Universidade de Passo Fundo

Resumo

O presente texto objetiva analisar as políticas de educação indígena no contexto de uma tensão entre emancipação e tutela. Para tanto, faz-se uma análise das políticas de educação nas constituições brasileiras e na documentação pós-LDB de 1996, destacando as mudanças legais que demarcam a passagem da tutela para uma perspectiva emancipatória. Na sequência, são analisadas algumas ideias de Boaventura de Sousa Santos, Paulo Freire e Alberto Memmi na perspectiva dos desafios de uma educação emancipatória. Seguem algumas considerações sobre as condições das comunidades indígenas Kaingang, no sul do Brasil, e os desafios que se evidenciam na passagem da tutela para uma perspectiva emancipatória e cidadã. Por fim, algumas ponderações, salientando os desafios que persistem para concretizaros pressupostos legais.

Biografia do Autor

Telmo Marcon, Universidade de Passo Fundo
Doutor em História Social pela PUC/SP; pós-doutorado em educação intercultural pela UFSC; professor e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Passo Fundo, RS.

Referências

AZEVEDO, Fernando. O sentido da educação colonial. In: AZEVEDO, Fernando. A cultura brasileira. 6. ed. Brasília: Ed. UnB; Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1996. p. 495-544.

BECKER, Ítala Irene Basile. O índio kaingáng no Rio Grande do Sul. São Leopoldo: Instituto Anchietano, 1976.

BRASIL. CNE. Resolução n. 03/99. Fixa Diretrizes Nacionais para o funcionamento das escolas indígenas e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 nov. 1999b.

______. Constituição (1824). Constituição Política do Império do Brazil. Rio de Janeiro, 1824.

______. Constituição (1891). Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro: Congresso Constituinte, 1891.

______. Constituição (1934). Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro: Assembléia Nacional Constituinte, 1934.

______. Constituição (1937). Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro: Presidência da República, 1937.

______. Constituição (1946). Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro: Assembléia Constituinte, 1946.

______. Constituição (1967). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Congresso Nacional, 1967.

______. Lei n. 4.024. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 27 dez. 1961.

______. Lei n. 5.371. Autoriza a instituição da Fundação Nacional do Índio e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 6 dez. 1967.

______. Lei n. 5.692/71. Fixa as Diretrizes e Bases para o ensino de 1o e 2o graus e dá outras providências. Diário oficial da União, Brasília, DF, 12 ago. 1971.

______. Lei n. 6.001. Dispõe sobre o Estatuto do Índio. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1973.

______. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Congresso Nacional, 1988.

______. Lei n. 9.394. Estabelece as Diretrizes e Base da Educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 dez. 1996.

______. Decreto n. 26. Dispõe sobre a educação indígena no Brasil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 fev. 1991.

______. Resolução do Conselho de Educação Básica n. 3. Fixa Diretrizes Nacionais para o funcionamento das escolas indígenas e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 10 nov. 1999a.

______. CNE/CEB. Parecer n. 14. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação escolar indígena. Diário Oficial da União, Brasília, 19 out. 1999b.

CUNHA, Manuela Carneiro da. História dos índios no Brasil. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

D’ANGELIS, Wilmar. Toldo Chimbangue: história e luta kaingáng em Santa Catarina. Xanxerê: CIMI/SUL, 1984. (mimeo).

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 9. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

LOEBENS, Guenter Francisco. Movimento e organizações indígenas no Brasil, 2008. Disponível em: <http://www.cimi.org.br/?system=news&action=read&id=3308&eid=245>. Acesso em: 13 ago. 2009.

MABILDE, Perre François Alpnhonse Booth. Apontamentos sobre os indígenas selvagens da Nação Coroados dos Matos da Província do Rio Grande do Sul - 1836-1866. São Paulo: IBRASA; Brasília: INL/Fundação Nacional Pró-Memória, 1983.

MARCON, Telmo (Org.). História e cultura Kaingang no sul do Brasil. Passo Fundo: Gráfica UPF, 1994.

MEMMI, Albert. Retrato do colonizado precedido pelo retrato do colonizador. 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

PORTO, Aurélio. História das Missões Orientais do Uruguai. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1943.

SANTOS, Sílvio Coelho dos. Os índios sobreviventes do Sul. Porto Alegre: Guaratuja, 1978.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

TESCHAUER, Carlos. Porarandúba Riograndense. Porto Alegre: Globo, 1929.

Publicado
2013-05-29
Seção
Ponto de Vista