Economia do conhecimento e a questão do aprendizado para o trabalho competitivo

  • Jefferson Carriello do Carmo UNISO

Resumo

Este trabalho faz parte da pesquisa em andamento intitulada Economia do Conhecimento e aprendizado: contínua degradação do trabalho no limiar do século XXI. O objetivo deste trabalho é investigar, por meio da economia do conhecimento, a associação do aprendizado ao processo de acumulação capitalista, nessa nova fase industrial marcada pela inovação tecnológica. Tal preocupação foi conduzida por ­pesquisa de cunho teórico-bibliográfico. Verificou-se que os argumentos que evidenciam e constatam esse novo seguimento econômico acentuam a sua harmonização em torno da revolução tecnológica com as tecnologias de informação em que o conhecimento e a informação são indicados como principais características desse novo princípio econômico e educativo. Nessa economia, o aprendizado está agregado a uma ação cumulativa para a ampliação do conhecimento. É um processo para aperfeiçoar os procedimentos na busca e no refinamento das habilidades do trabalhador. Este aprendizado viabiliza não apenas a incorporação de inovações incrementais, relacionadas à maior eficiência dos processos produtivos, mas também a exploração de novas oportunidades produtivas e tecnológicas, possibilitando a expansão para novos mercados, a partir de novas formas de exploração do trabalhador nos vários níveis de sinergia em relação aos produtos gerados e às técnicas previamente empregadas.

Biografia do Autor

Jefferson Carriello do Carmo, UNISO
Doutor em Educação pela UNICAMP. Prof. da Universidade de Sorocaba.

Referências

ALMEIDA, Lemos Marilis; QUADROS, Ruy. Educação e desenvolvimento econômico: uma questão recolocada. In: CONGRESSO LATINO AMERICANO DE SOCIOLOGIA DO TRABALHO. Anais... Buenos Aires, 2000. v. 3.

ALVES, Giovanni. O novo (e precário) mundo do trabalho: reestruturação produtiva e crise do sindicalismo. São Paulo: Boitempo, 2000

ASSMANN, Hugo. Redes digitais e metamorfose do aprender. Petrópolis: Vozes, 2005.

BENKO, Georges. Economia, espaço e globalização: na aurora do século XXI. 3. ed. São Paulo: Hucitec, 2002.

BONELLI, R. Ganhos de produtividade na economia brasileira na década de 90: um retrato de corpo inteiro. Rio de Janeiro: IPEA/DIMAC, jul. 2000. (Série Seminários, 2001

BRITTO, Jorge. Cooperação Tecnológica e Aprendizado Coletivo em Redes de Firmas: sistematização de conceitos e evidências empíricas. Disponível em: <www.anpec.org.br/encontro2001/artigos/200104313.pdf>. Acesso em: 05 out. 2007.

CAMPOS, Renato Ramos et al. Aprendizagem por interação: pequenas empresas em sistemas produtivos e inovativos locais. In: LASTRES, Helena M. M. et AL (Coords.). Proposição de políticas para a promoção de sistemas produtivos locais de micro, pequenas e médias empresas. Rio de Janeiro: UFRJ, 2002

CARVALHO, Ruy de Quadros. Tecnologia e trabalho industrial: as explicações sociais da automação microeletrônica na indústria automobilística. Porto Alegre: L&PM, 1987.

CASSIOLATO, José Eduardo. A economia do conhecimento e as novas políticas indústrias e tecnológicas. LASTRES, Helena M. M.; ALBAGLI, Sarita (Orgs). Informação globalização na era do conhecimento. Rio de Janeiro: Campus 1999.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: a era da informação: economia, sociedade e cultura. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999. v. 1.

______. A cidade na nova economia. In: MACHADO, Jorge Alberto (Org.). Trabalho, economia e tecnologia: novas perspectivas para a sociedade global. São Paulo: Tendenz; Bauru: Praxis, 2003.

COUTINHO; Luciano; FERRAZ, João Carlos (Coord.). Estudo da competitividade da indústria brasileira. 3. ed. São Paulo: Campinas: Papirus, 1995.

DRUCKER, Peter Ferdinand. Sociedade pós-capitalista. 6. ed. São Paulo: Pioneira, 1997. (Coleção novos umbrais)

FLEURY, Afonso Carlos Corrêa; FISCHER, Nilton (Orgs.). Organização do trabalho: uma abordagem interdisciplinar: sete casos brasileiros para estudo. São Paulo: Atlas, 1994.

FLEURY, Maria Tereza Leme, VARGAS, Rosa Maria (Orgs.). Processos e relações do trabalho no Brasil. São Paulo: Atlas, 1994.

FREEMAN, C.; SOETE, L. The economics of industrial innovation. London: Pinter, 1994.

FRIGOTTO, Gaudêncio (Org.). Educação e crise do trabalho. 2. ed. Petrópolis: Vozes,1998.

______; CIVIATTA, Maria (Orgs.).Teoria e educação no labirinto do capital. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

GARVIN, David A. Construção da organização que aprende. Harvard Businnes Reviw. Gestão de conhecimento on knowlwdge monagement. 4. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

GIBSON, Rowan. Repensando o futuro. São Paulo: Makron, 1998.

GUIMARÃES, Nadya Araújo; MARTINS; Scott. Competitividade e desenvolvimento: atores e instituições locais. São Paulo: Senac, 2001.

KIN, Linsu. Da imitação à inovação: a dinâmica do aprendizado tecnológico da Coréia. Campinas: Unicamp, 2005.

KIN, Linsu; NELSON, Richard R. (Orgs.). Tecnologia, aprendizado e inovação: as experiências das economias de industrialização recente. Campinas: Unicamp, 2005.

KUPFER, David. Economia industrial: fundamentos teóricos e práticos no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2002

KUPFER, David. Padrões de concorrência e competitividade. Disponível em: <http://www.ie.ufrj.br/gic/pdfs/1992-2_Kupfer.pdf>. Acesso em: 05 abr. 2007.

LASTRES, Helena M., M.; ALBAGLI, Sarita (Orgs). Informação globalização na era do conhecimento. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

LEITE, Marcia de Paula. Trabalho e sociedade em transformação: mudanças produtivas e atores sociais. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2003.

LEMOS, Cristina. Inovação na era do conhecimento. LASTRES, Helena M. M.; ALBAGLI, Sarita (Orgs.). Informação globalização na era do conhecimento. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

LENHARI; Luciana Cristina; QUADROS, Ruy. Recursos humanos nas economias baseadas no conhecimento. Revista Inteligência Empresarial, Rio de Janeiro, n. 12, p. 30-38, julho, 2002.

LOJKINE, Jean. A revolução informacional. São Paulo: Cortez, 1995.

MARKERT, Werner. Trabalho, comunicação e competência: contribuições para a construção crítica de um conceito e para a formação profissional transformativo. Campinas, SP: Autores Associados, 2004.

MUNIZ, Suely. Investimento recente, capacitação tecnológica e competitividade. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 14, n. 3, 2000.

NELSON, Richard R.; WINTER, Sidney G. Uma teoria evolucionária da mudança econômica. Campinas: Unicamp, 2005.

NONAKA, Ikujiro; TAKEUCHI, Hirotaka. Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Campus, 1997

NONAKA, Ikujiro. A empresa criadora de conhecimento. Harvard Businnes Reviw. Gestão de conhecimento on knowlwdge monagement. 4. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

PASSOS, Carlos Artur Küger. Novos modelos de gestão e as informações. LASTRES, Helena M. M.; ALBAGLI, Sarita (Orgs). Informação globalização na era do conhecimento. Rio de Janeiro, 1999.

RAMOS, Marise Nogueria. A pedagogia das competências: autonomia ou adaptação. São Paulo: Cortez, 2001.

SANTANA, Marco Aurélio, RAMALHO, José Ricardo (Orgs). Além da fábrica: trabalhadores, sindicatos e a nova questão social. São Paulo: Boitempo, 2003.

SAPIRO, Arão. Inteligência empresarial: a revolução informacional da ação competitiva. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 33, n. 3, p. 106-24, maio/jun. 1993.

SCHUMPETER, Joseph A. A teoria do desenvolvimento econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1982. (Os economistas)

TEECE, David. et al. Dynamic capabilities and strategic management. Strategic Management Journal, EBSCO Industries, v. 18, n. 7, p. 509-33. 1997

TIGRE, Paulo Bastos. Inovação e teorias da firma em três paradigmas. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, n. 3, p. 67-111, 1998.

______. Paradigmas tecnológicos e teorias econômicas da firma. Revista Brasileira de Inovação, Rio de Janeiro, v. 4, n.1, p. 187-233, 2005.

WOLFF, Simone. Informatização do trabalho e reificação. Campinas, SP: Editora Unicamp; PR: EDUEL, 2005.

Publicado
2013-06-10
Como Citar
Carmo, J. C. do. (2013). Economia do conhecimento e a questão do aprendizado para o trabalho competitivo. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, (26). Recuperado de https://serie-estudos.ucdb.br/serie-estudos/article/view/240
Seção
Artigos