As tecnologias de informação e comunicação em cursos de licenciatura em matemática

  • Monica Fürkotter Unesp/Presidente Prudente-SP
  • Maria Raquel Miotto Morelatti Unesp/Presidente Prudente-SP

Resumo

Neste artigo, apresentamos os resultados de uma pesquisa qualitativa, tipo estudo de caso, que teve por objetivo analisar a inserção das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) no processo de formação inicial de professores de Matemática. Partimos de um levantamento bibliográfico sobre formação inicial de professores de Matemática, das abordagens de uso das TIC em Educação e, também, da análise da legislação vigente sobre formação de professores. Esse referencial fundamentou a análise da proposta de formação de professores de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) Unesp/Campus de Presidente Prudente, em prática a partir de 2005.

Biografia do Autor

Monica Fürkotter, Unesp/Presidente Prudente-SP
Doutora em Matemática pela USP/São Carlos. Docente do Departamento de Matemática, Estatística e Computação e do Programa de Pós-graduação em Educação da FCT/Unesp/Presidente Prudente-SP.
Maria Raquel Miotto Morelatti, Unesp/Presidente Prudente-SP
Doutora em Educação pela PUC/SP. Docente do Departamento de Matemática, Estatística e Computação e do Programa de Pós-graduação em Educação da FCT/Unesp/Presidente Prudente-SP.

Referências

BARTH, Britt-Mari. O saber em construção: para uma pedagogia da compreensão. Lisboa: Instituto Piaget, 1993. 255 p.

BORBA, Marcelo de Carvalho; PENTEADO, Miriam Godoy. Informática e educação matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. 99 p.

CHERVEL, André. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação. Porto Alegre, n.2, 1990, p. 177-223.

FIORENTINI, Dario; SOUZA JÚNIOR, Arlindo José de; MELO, Gilberto Francisco Alves de. Saberes docentes: um desafio para acadêmicos e práticos. In: GERALDI, Corinta Maria Grisolia; FIORENTINI, Dario; PEREIRA, Elisabeth Monteiro de Aguiar. Cartografias do trabalho docente: professor(a)-pesquisador(a). Campinas: Mercado de Letras, 1998. p. 307-35.

GARCÍA BLANCO, Maria Mercedes. A formação inicial de professores de Matemática: fundamentos para a definição de um curriculum. In: FIORENTINI, Dario. (Org.). Formação de professores de matemática: explorando novos caminhos com outros olhares. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003. p. 51-86.

GOMES, Nilza Godoy. Computador na escola: novas tecnologias e inovação educacionais. In: BELLONI, Maira Luiza (Org.). A formação na sociedade do espetáculo. São Paulo: Loyola, 2002. p. 119-134.

GONÇALVES, Tadeu Oliver; GONÇALVES, Terezinha Valim Oliver. Reflexões sobre uma prática docente situada: buscando novas perspectivas para a formação de professores. In: GERALDI, Corinta Maria Grisolia; FIORENTINI, Dario; PEREIRA, Elisabeth Monteiro de Aguiar. Cartografias do trabalho docente: professor(a)-pesquisador(a). Campinas: Mercado de Letras, 1998. p. 105-134.

LAVE, Jean; WENGER, Etienne. Situated learning. Legitimate peripheral participation. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

MASETTO, Marcos Tarciso. Professor universitário: um profissional da educação na atividade docente. In: MASETTO, Marcos Tarciso (Org.). Docência na universidade. Campinas: Papirus, 1998. p. 9-26.

MASETTO, Marcos Tarciso. Mediação pedagógica e o uso da tecnologia. In: MORAN, José Manuel; MASETTO, Marcos Tarciso; BEHRENS, Marilda Aparecida. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 5. ed. Campinas: Papirus, 2000. p. 133-173.

MATOS, João Filipe Lacerda. Aprendizagem e prática social. In: PONTE, João Pedro da; SERRAZINA, Maria de Lurdes (Orgs.). Educação Matemática em Portugal, Espanha e Itália. Actas da Escola de Verão – 1999. Lisboa: SEM-SPCE. p. 65-92.

PAPERT, Seymour. Logo: computadores e educação. Trad. José A. Valente, Beatriz Bitelman e Afira Vianna Ripper. São Paulo: Brasiliense, 1985.

PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Trad. Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

PIRES, Célia Maria Carolino. Reflexões sobre os cursos de Licenciatura em Matemática, tomando como referência as orientações propostas nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores da Educação Básica. Educação matemática em revista. Revista da Sociedade Brasileira de Educação Matemática. São Paulo, n. 11a, p. 44-56, abr. 2002.

PONTE, João Pedro da; OLIVEIRA, Hélia; VARANDAS, José Manuel. O contributo das tecnologias de informação e comunicação para o desenvolvimento do conhecimento e da identidade profissional. In: FIORENTINI, Dario (Org.). Formação de professores de matemática: explorando novos caminhos com outros olhares. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003. p. 159-92.

SHULMAN, Lee S. Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher. v. 15, n. 2, p. 4-14, 1986.

SZTAJN, Paola. O que precisa saber um professor de matemática? Uma revisão da literatura americana dos anos 90. Educação matemática em revista. Revista da Sociedade Brasileira de Educação Matemática. São Paulo, n. 11a, p. 17-28, abr. 2002.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Trad. Francisco Pereira. Petrópolis: Vozes. 2002, 325 p.

VALENTE, José Armando. Computadores e conhecimento: repensando a educação. Campinas: Gráfica Central da UNICAMP, 1993. 418 p.

______. Análise dos diferentes tipos de software usados na educação. In: VALENTE, José Armando. O computador na sociedade do conhecimento. Campinas: UNICAMP/NIED, 1999. p. 89-110.

Publicado
2013-06-07
Como Citar
Fürkotter, M., & Morelatti, M. R. M. (2013). As tecnologias de informação e comunicação em cursos de licenciatura em matemática. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, (26). Recuperado de https://serie-estudos.ucdb.br/serie-estudos/article/view/204
Seção
Dossiê