Internacionalização e seus reflexos na gestão da qualidade da pós-graduação em Educação

Palavras-chave: internacionalização, avaliação, pós-graduação

Resumo

Este texto tem como objetivo analisar os indicativos de internacionalização consubstanciados na avaliação da pós-graduação em Educação. Trata-se de uma pesquisa documental, que tem como base de análise os Documentos de Área da Educação 2009, 2013, 2016 e 2019, bem como os respectivos Relatórios das Avaliações 2010, 2013 e 2017. A pesquisa evidenciou que a política nacional de educação superior está alinhada a uma agenda globalmente estruturada para educação (DALE, 2004), fazendo com que o processo de internacionalização deixe de ser uma opção e passe a ser obrigatoriedade para as universidades. A internacionalização tem ocupado um crescente espaço na política de avaliação da pós-graduação. Para além da produção intelectual, o que tem balizado a qualidade na pós-graduação são as ações de internacionalização, pois esta, além de ser elemento que distingue os programas 6 e 7, passou a compor a ficha avaliativa para o quadriênio 2017-2020, tornando-se um indicador de qualidade a ser considerado por todos os programas.

Biografia do Autor

Eliane Souza de Carvalho, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Doutoranda em Educação na Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Técnica de Nível Superior/Editora na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Giselle Cristina Martins Real, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Pós-doutora e doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professora e pesquisadora da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), atuando na graduação e pós-graduação stricto sensu. Coordenadora do Programa de  Pós-Graduação em Educação da UFGD.

Referências

AFONSO, A. J. Avaliação Educacional: regulação e emancipação. São Paulo: Cortez, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Documento da Área de Educação 2019. Brasília, DF: CAPES, 2019a. Disponível em: http://capes.gov.br/images/educacao_doc_area_2.pdf Acesso em: 10 maio 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Ficha de avaliação. Brasília, DF: CAPES, 2019b. Disponível em: http://capes.gov.br/images/educacao_doc_area_2.pdf. Acesso em: 10 maio 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Relatório da Avaliação Quadrienal 2016. Brasília, DF: CAPES, 2017a. Disponível em: http://capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao/100-dav/9532-educacaomemoria-da-area. Acesso em: 5 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Comissão especial de acompanhamento do PNPG 2011-2020. Relatório final 2016: sumário executivo. Brasília, DF: CAPES, 2017b. Disponível em: https://www.capes.gov.br/plano-nacional-de-pos-graduacao. Acesso em: 5 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Documento da Área de Educação 2016. Brasília, DF: CAPES, 2016. Disponível em: http://capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao/100-dav/9532-educacaomemoria-da-area. Acesso em: 10 maio 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Documento da Área de Educação 2013. Brasília, DF: CAPES, 2013a. Disponível em: http://capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao/100-dav/9532-educacaomemoria-da-area. Acesso em: 10 maio 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Relatório da Avaliação Trienal 2013. Brasília, DF: CAPES, 2013b. Disponível em: http://capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao/100-dav/9532-educacaomemoria-da-area. Acesso em: 5 mar. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Relatório da Avaliação Trienal 2010. Brasília, DF: CAPES, 2010. Disponível em: http://capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao/100-dav/9532-educacaomemoria-da-area. Acesso em: 5 mar. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Documento da Área de Educação 2009. Brasília, DF: CAPES, 2009. Disponível em: http://capes.gov.br/avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao/100-dav/9532-educacaomemoria-da-area. Acesso em: 10 maio 2018.

CELLARD, A. A análise documental. In: POUPART, J.; DESLAURIERS, J. P.; GROULX, L. (Org.). A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 295-334.

DALE, R. Globalização e educação: demonstrando a existência de uma “cultura educacional mundial comum” ou localizando uma “agenda globalmente estruturada para a educação”? Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 87, p. 423-60, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v25n87/21464.pdf. Acesso em: 10 maio 2019.

DALLA CORTE, M. G.; SARTURI, R. C. Políticas públicas para a formação de professores e contextos emergentes na educação superior. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, v. 1, n. 2, p.160-81, out./dez. 2015. Disponível em: https://www.fe.unicamp.br/revistas/ged/RIESup. Acesso em: 09 out. 2019.

DE WIT, H.; HUNTER, F.; HOWARD, L.; EGRON-POLAK, E. (Org.). Internationalisation of Higher Education, Milão, 2015. Disponível em: http://www.europarl.europa.eu/RegData/etudes/STUD/2015/540370/IPOL_STU(2015)540370_EN.pdf. Acesso em: 20 maio 2019.

DIAS SOBRINHO, J. Avaliação da educação superior: regulação e emancipação. Avaliação. Revista da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior, Campinas, ano 8, v. 8, n. 2, p. 31-47, 2003. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/avaliacao/article/view/1221. Acesso em: 30 out. 2018.

EUROPEAN ASSOCIATION FOR INTERNATIONAL EDUCATION. What’s in a name? Refocusing internationalisation of higher education. EAIE, 2015. Disponível em: https://www.eaie.org/blog/whats-in-a-name-refocusing-internationalisation-of-higher-education.html. Acesso em: 10 maio 2019.

FERREIRA, J. S. Revelações do Sinaes: (des)caminhos da avaliação da qualidade nos cursos de Pedagogia no Brasil. 2017. 310 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2017.

FERREIRA, S; OLIVEIRA, J. F. As reformas da educação superior no Brasil e na união europeia e os novos papéis das universidades públicas. Nuances: estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 17, n. 18, p. 50-67, jan./dez. 2010. Disponível em: http://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/724. Acesso em: 09 de out. 2019.

FRANÇA, I. A. Avaliação da Capes e gestão de programas de excelência na área de Educação. 2014. 249 p. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2014.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere: os intelectuais; o princípio educativo; jornalismo. 8. ed. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016. v. 2.

KNIGHT J. The changing landscapes of higher education internationalisation – for better or worse? Perspectives: Policy and Practice in Higher Education, London, v. 17, p. 84-90, 2013. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/13603108.2012.753957?scroll=top&needAccess=true. Acesso em: 9 out. 2019.

KNIGHT, J. Cinco verdades a respeito da internacionalização. International Higher Education, Campinas, n. 69, out. 2012. Edição brasileira (Revista Ensino Superior Unicamp) publicada mediante acordo de cooperação entre Unicamp e Boston College. Disponível em: https://www.revistaensinosuperior.gr.unicamp.br/international-higher-education/cinco-verdades-a-respeito-da-internacionalizacao. Acesso em: 12 jun. 2019.

KNIGHT, J. Comercialización de servicios de educación superior: implicaciones del AGCS. In: GARCÍA-GUADILLA, C. (Org.). El difícil equilibrio: la educación superior como bien público y comercio de servicios Implicaciones del AGCS (GATS). Lima: Universidad de Lima - Columbus, 2004. p. 37-63. Disponível em: https://www.columbus-web.org/es/nuestros-activos/publicaciones/item/64-el-dif%C3%ADcil-equilibrio-la-educaci%C3%B3nsuperior-como-bien-p%C3%BAblico-y-comercio-de-servicios.html. Acesso em: 10 maio 2019.

KNIGHT, J. Updating the Definition of Internationalization. International Higher Education, v. 33, p. 2-3, 2003. Disponível em: https://scholar.google.com.br/scholar?q=Knight,J.(2003).Update+Internationalization+Definition.International+Higher+Education,33,23.&hl=pt-BR&as_sdt=0&as_vis=1&oi=scholart. Acesso: 14 maio 2019.

KNIGHT, J. Internationalization: elements and checkpoints (Research Monograph, n. 7). Canadian Bureau for International Education (CBIE), Canadá, v. 7, p. 1-15, 1994. Disponível em: https://files.eric.ed.gov/fulltext/ED549823.pdf. Acesso em: 10 out.

LEITE, D. Reformas universitárias: Avaliação Institucional Participativa. Petrópolis: Vozes, 2005. 141 p. Disponível em: http://www.ufrgs.br/inov/docs/refrmasuniv_avaliainstpartic. Acesso em: 12 jun. 2019.

MIRANDA, J. A. A.; STALLIVIERI, L. Para uma política pública de internacionalização para o ensino superior no Brasil. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Sorocaba, v. 22, n. 3, p. 589-613, 2017. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/avaliacao/article/view/3135. Acesso em: 18 out. 2018.

MOROSINI, M. C. Estado do conhecimento sobre internacionalização da educação superior Conceitos e práticas. Educar em Revista, Curitiba, v. 22, n. 28, p. 107-24, 2006. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/7614. Acesso em: 30 out. 2018.

MOROSINI, M. C.; DALLA CORTE, M. G. Teses e realidades no contexto da internacionalização da educação superior no Brasil. Revista Educação em Questão, Natal, v. 56, n. 47, p. 97120, 12 abr. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/14000. Acesso em: 18 out. 2018.

MOROSINI, M. C.; FERNANDES, C. M. B.; LEITE, D.; FRANCO, M. E. D. P.; CUNHA, M. I; ISAIA, S. M. A. A qualidade da educação superior e o complexo exercício de propor indicadores. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 21, n. 64, p. 13-37, jan./mar. 2016. Disponível em: http://www.anped.org.br/news/rbe-revista-brasileira-de-educacao-v-21n-64-jan-mar-2016. Acesso em: 18 out. 2018.

MOROSINI, M. C.; NASCIMENTOL, L. M. Internacionalização da educação superior no Brasil: a produção recente em teses e dissertações. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 33, 2017. Disponível em: http://educacaoemrevistaufmg.com.br/edio-anterior/educacaoem-revista-vol-33-ano-2017. Acesso em: 18 out. 2018.

NETO, A. C.; CASTRO, A. M. D. A. A expansão da pós-graduação em cenários de globalização: recortes da situação brasileira. Inter-Ação, Goiânia, v. 38, n. 2, p. 339-62, maio/ago. 2013. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/interacao/article/view/26108. Acesso em: 9 out. 2019.

REAL, G. C. M. A qualidade revelada na educação superior: impactos da política de avaliação no Brasil. 2007. 206 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

ROBL, F. Quo vadis Educação Superior na Colômbia? Expansão, acreditação e internacionalização. 2015. 240 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

SANTOS, B. S. A universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. 3a. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

SOUSA, J. V. Internacionalização da Educação Superior como indicador do Sinaes: de qual qualidade estamos falando? Educação, Porto Alegre, v. 40, n. 3, p. 343-56, set./dez., 2017. Porto Alegre. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/28979. Acesso em: 9 out. 2019.

SOUZA, S. Z. L; OLIVEIRA, R. P. Políticas de avaliação da educação e quase mercado no Brasil. Educação & Sociedade. Campinas, v. 24, n. 84, p. 873-95, set. 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302003000300007&ln g=en&nrm=iso>. Acesso em: 9 out. 2019.

THIENGO, L. C. Universidade de classe mundial e o consenso pela excelência: tendências globais e locais. 2018. 449 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2018.

THIENGO, L. C; BIANCHETTI, L; ALMEIDA, M. L. P. Rankings: estratégia de defesa da universidade pública? Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 28, n. 55, p. 28-42, maio/ago. 2019. Disponível em: http://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/7167. Acesso em: 9 out. 2019.

Publicado
2020-08-20
Seção
Artigos