“Caderno do Gestor”, “Caderno do Professor” e “Caderno do Aluno”: considerações sobre o currículo oficial do estado de São Paulo

  • Catarina André Hand UNISO
  • Vicente de Paula Almeida Júnior Universidade de Sorocaba (UNISO).

Resumo

Apresentamos, neste texto, algumas considerações acerca do currículo oficial do Estado de São Paulo. Especificamente, voltamos a nossa atenção para os Cadernos produzidos para materializar a concepção e a proposta curricular no Estado a partir do ano de 2008, entre eles Caderno do Gestor, Caderno do Professor e Caderno do Aluno. A nosso ver, os Cadernos editados pelo Governo do Estado têm, na sua origem, relação com as políticas educacionais formuladas desde os anos 90, período em que foi definido um conjunto de diretrizes calcadas no conceito de gestão enquanto (i) racionalização organizacional, (ii) padrão de gestão e (iii) melhoria de qualidade. Nesse âmbito, as orientações educacionais propostas e implementadas revelam uma visão interessada nos aspectos gerenciais e administrativos do trabalho ducativo, complementada com uma paulatina transferência das responsabilidades estatais com relação à educação para a escola e a comunidade local.

Biografia do Autor

Catarina André Hand, UNISO
Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação
na Universidade de Sorocaba (UNISO).

Vicente de Paula Almeida Júnior, Universidade de Sorocaba (UNISO).
Professor da Universidade de Sorocaba (UNISO).

Referências

ALMEIDA JÚNIOR, Vicente de P. A avaliação da educação superior no contexto das políticas educacionais. IN: DIAS SOBRINHO, J.; RISTOFF, D. Avaliação democrática: para uma universidade cidadã. Florianópolis, SC: Insular, 2002.

APPLE, Michael W. Educando à direita: mercados, padrões e desigualdade. Tradução de Dinah de Abreu Azevedo; revisão técnica de José Eustáquio Romão. São Paulo: Cortez/Instituto Paulo Freire, 2003. Prefácio à edição brasileira.

BOBBIO, N. et al. Dicionário de política. 5.ed. Brasília: Editora UnB, 1983.

CAMPOS, R. F. Construindo o professor competente: as determinações do campo do trabalho na reforma da formação de professores. In: Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. Minas Gerais, 2002

ENGUITA, M. F. A ambigüidade da docência: entre o profissionalismo e a proletarização. Teoria & Educação, Porto Alegre, n. 4, 1991

HADDAD, S. Os bancos multilaterais e as políticas educacionais no Brasil. In: VIANNA JR., Aurélio et al. (Org.). As estratégias dos bancos multilaterais para o Brasil: análise crítica e documentos inéditos. Rede Brasil sobre Instituições Multilaterais. Secretaria Executiva da Rede, Brasília, DF, março de 1998, p. 43.

HYPOLITO, Álvaro L. Moreira. A natureza do trabalho docente. In: ______. Trabalho docente, classe social e relações de gênero. Campinas, SP: Papirus, 1997. (Coleção Magistério: Formação e trabalho pedagógico).

MARX, K. Contribuição para a crítica da economia política. Lisboa: Estampa, 1973.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria de Estado da Educação. Comunicado SEE 22 mar. 1995. Diretrizes da política educacional para o período de dezembro de 1994 a dezembro de 1998. Diário Oficial do Estado de São Paulo, São Paulo, 23 mar. 1995. Seção 1, p.08-10.

______. Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. Proposta Curricular do Estado de São Paulo. Coordenação, Maria Inês Fini. São Paulo: SEE, 2008.

______. Cadernos do Professor: gestão do currículo na escola. Coordenação, Maria Inês Fini; elaboração, Lino de Macedo, Maria Eliza Fini, Zuleika de Felice Murrie. São Paulo: SEE, 2008. Vol 2 e 3.

______. Resolução SE – 76, de 07 de Novembro de 2008. Dispões sobre a implementação da Proposta Curricular do Estado de São Paulo para o Ensino Fundamental e para o Ensino Médio, nas escolas da rede estadual. Diário Oficial do Estado de São Paulo, São Paulo, SP, 08 Nov. Executivo I, p.29

SAVIANI, Nereide. Políticas Curriculares. Elementos para a discussão da estrutura e organização do currículo para a rede estadual de educação de São Paulo. Revista Educação e Cidadania, Campinas: v. 8, n.1, 2009.

SHIROMA. E. O. O eufemismo da profissionalização. In: MORAES, Maria Célia Marcondes de (Org.). Iluminismo às avessas: produção de conhecimento e políticas de formação docente. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

Publicado
2013-06-04
Seção
Artigos