Professores de Educação Infantil: concepções e práticas pedagógicas relacionadas à inserção das Tecnologias

  • Denise Tomiko Arakaki Takemoto Secretaria Municipal de Educação (SEMED)
  • Marta Regina Brostolin Universidade Católica Dom Bosco

Resumo

Este texto apresenta um recorte dos resultados de uma pesquisa de mestrado e tem por objetivo analisar as concepções relacionadas à inserção das tecnologias nas práticas pedagógicas dos professores da Educação Infantil. Os sujeitos da pesquisa foram onze professoras que atuam em salas de pré-escola, em duas escolas municipais de Campo Grande, MS. Os resultados apontaram que as concepções das professoras quanto ao termo tecnologia refere-se ao conceito de Tecnologias da Comunicação e Informação (TIC). Identificamos que, mesmo não possuindo formação para integrar as TIC ao currículo, as professoras as utilizam em suas práticas pedagógicas. Nas atividades desenvolvidas pelos sujeitos, detectamos a preferência em utilizar a televisão e o vídeo. Inferimos que, além de fortalecer o processo de aprendizagem da criança, o uso das TIC na escola pode contribuir com a inclusão digital e social, porém há a necessidade de políticas de investimentos em infraestrutura e em formação continuada.

Palavras-Chave: Educação infantil; Tecnologias; Concepções e práticas pedagógicas.

Biografia do Autor

Denise Tomiko Arakaki Takemoto, Secretaria Municipal de Educação (SEMED)
Mestre em Educação. Secretaria Municipal de Educação (SEMED) de Campo Grande, MS.
Marta Regina Brostolin, Universidade Católica Dom Bosco

Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE) – Mestrado/Doutorado

Universidade Católica Dom Bosco

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília: MEC; SEB, 2009.

BELLONI, Maria Luiza. Crianças e mídias no Brasil: cenários de mudanças. Campinas, SP: Papirus, 2010.

DORNELLES, Leni Vieira. Infâncias que nos escapam: da criança na rua à criança cyber. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

______. Artefatos culturais: ciberinfâncias e crianças zappiens. In: ______ (Org.). Educação e infância na era da informação. Porto Alegre: Mediação, 2012. p. 79-101.

DORNELLES, Leni Vieira; BUJES, Maria Isabel Edelweiss. Alguns modos de significar a infância. In: ______ (Org.). Educação e infância na era da informação. Porto Alegre: Mediação, 2012. p. 11-28.

FANTIN, Monica. O mito do Sísifo ao voo de Pégaso: as crianças, a formação de professores e Escola Estação Cultura. In: FANTIN, Monica; GIRARDELLO, Gilka (Orgs). Liga, roda, clica: Estudos em mídia, cultura e infância. Campinas, SP: Papirus, 2008. p. 145–171.

GIRARDELLO, Gilka. Produção cultural infantil diante da tela: da TV à Internet. In: FANTIN, Monica; GIRARDELLO, Gilka (Org). Liga, roda, clica: estudos em mídia, cultura e infância. Campinas, SP: Papirus, 2008. p. 127-144.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial e a distância. 2. ed. Campinas: Papirus, 2003.

______. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas: Papirus, 2008.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MOMO, Mariangela. Midia, consumo e os desafios de educar uma infância pós-moderna. In: ______ (Org.). Educação e infância na era da informação. Porto Alegre: Mediação, 2012. p. 29-49.

MORAN, José Manuel. Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias audiovisuais e telemáticas. In: MORAN, J. M; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. (Org.). Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas: Papirus, 2000. p. 11-65.

PRENSKY, Marc. Nossos filhos não são como nós: eles são nativos, nós somos imigrantes. In: ______. “Não me atrapalhe, estou aprendendo”. Tradução de Ligia Bergo. São Paulo: Phorte, 2010.

SANCHO, Juana María. De tecnologias da informação e comunicação a recursos educativos. In: SANCHO, J. M; HERNÀNDEZ, F. (Org.). Tecnologia para transformar a educação. Tradução de Valério Campos. Porto Alegre: Artmed, 2006. p. 15-41.

VEEN, Wim; WRAKKING, Bem. Conhecendo o homem zappiens. In: ______. Homem Zappiens: educando na era digital. Tradução de Vinicius Figueira. Porto Alegre: Artmed, 2009. p. 26-49.

Publicado
2015-06-25
Seção
Artigos