Sobre o trabalho e suas implicações na educação: uma abordagem histórica – avanços e retrocessos

  • Maria de Lourdes Pinto de Almeida UNIPLAC, SC
  • Silvia Andrea de Pieri de Oliveira SESI

Resumo

O sistema capitalista, sob a égide da globalização econômica e das políticas neoliberais, influencia diretamente o processo produtivo nas empresas e estabelece mudanças nas relações sociais e na sociedade civil e política como um todo. Mudanças também ocorrem na educação e esta, para atender às necessidades do sistema, procura preparar o trabalhador para o novo mundo do trabalho. Neste artigo, apresentamos a temática do trabalho e os modelos de produção, analisando suas relações de interdependência e complementaridade com a educação, com o objetivo de estabelecer interfaces com o trabalhador, mais propriamente aquele que está no ‘chão de fábrica’.

Biografia do Autor

Maria de Lourdes Pinto de Almeida, UNIPLAC, SC
Pedagoga e Historiadora. Mestre e Doutora em História, Filosofia e Educação pela FE da UNICAMP. Estágio Pós-Doutoral pela Universidade do Estado de São Paulo (USP), 2005, e pelo IGE da UNICAMP em julho de 2011. Coordenadora do PPGE na UNIPLAC, SC, campus de Lages.
Silvia Andrea de Pieri de Oliveira, SESI
Pedagoga. Mestre pelo PPGE da UNIPLAC, SC, campus de Lages. Supervisora do SESI.

Referências

ALVES, A. E. S. Qualificação e trabalho no capitalismo. Revista da FAEEBA: Educação e contemporaneidade, Salvador, v. 15, n. 26, p. 45-56, jul./dez. 2006.

ALVES, G. O novo (e precário) mundo do trabalho – reestruturação produtiva e crise do sindicalismo. São Paulo: Boitempo, 2000.

ANDERSON, P. Balanço do neoliberalismo. In: SADER, E.; GENTILI, P. (Org.). Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o estado democrático. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

ANTUNES, R. O caracol e sua concha: ensaios sobre a nova morfologia do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2005.

______. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo Editorial, 1999.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTILLO, N. I. Alguns questionamentos sobre a hipótese da requalificação do trabalho. Educação e sociedade, Campinas, n. 58, p. 55-82, jul. 1997.

CASTRO, R. P. A questão do trabalho. São Carlos: UFScar, 1988.

CATTANI, A. D.. As desigualdades recriadas pelo trabalho. In: MORETTO, C. F. (Org.). Trabalho e trabalhadores: significados e significâncias. Ijuí: Unijuí, 2006.

______ (Org.). Trabalho e tecnologia: dicionário crítico. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

DRAIBE, S. M. As políticas sociais brasileiras: diagnósticos e perspectivas. Rio de Janeiro: Ipea, 1990.

FERREIRA, A. D. O. Desemprego: de sonho a pesadelo. Revista da FAEEBA: Educação e contemporaneidade, Salvador, v. 15, n. 26, p. 67-79, jul./dez. 2006.

GRAMSCI, A.; BORDIGA, A. Conselhos de fábrica. São Paulo: Brasiliense, 1981.

HARVEY, D. A condição pós-moderna. 6. ed. São Paulo: Loyola, 1996.

IANNI, O. A sociedade global. 13. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

KUENZER, A. Z. Pedagogia da fábrica: as relações de produção e a educação do trabalhador. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1989.

LIMA, A. B. Estado, políticas públicas e educação no Brasil. In: LUCENA, C. (Org.). Capitalismo, estado e educação. Campinas, SP: Alínea, 2008.

MARX, K. O Capital. São Paulo: Abril Cultural. 1983. v. 1, t. 1.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2000.

PAIVA, V. Inovação tecnológica e qualificação. Educação e Sociedade, Campinas, n. 50, p. 70-92, abr. 1995.

PALANGANA, I. C.; BIANCHETTI, L. A controvérsia da qualificação no debate sobre trabalho e educação. Perspectiva, Florianópolis, v. 10, n. 18, p. 133-163, ago./dez. 1992.

RAGO, L. M.; MOREIRA, E. F. P. O que é taylorismo? 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1984.

TAYLOR, F. W. Princípios de administração científica. 8. ed. São Paulo: Atlas, 1990.

TUPPY, M. I. N.; ARRUDA, C. D. Escolaridade, competências e inserção profissional. Revista da FAEEBA: Educação e contemporaneidade, Salvador, v. 15, n. 26, p. 35-43, jul./dez. 2006.

VARGAS, N. Gênese e difusão do taylorismo no Brasil. Ciências Sociais Hoje. São Paulo: Cortez/ANPOCS, 1985, p. 155-189.

Publicado
2013-05-31
Seção
Artigos