Apontamentos sobre a relação ontogenética entre trabalho e conhecimento

  • Helena Araújo de Freres Universidade Estadual do Ceará (UECE)
  • Susana Jimenez Universidade Estadual do Ceará (UECE)
  • Jackline Rabelo Universidade Estadual do Ceará (UECE)
  • Maria das Dores Mendes Segundo Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Resumo

Este artigo busca analisar a função ontológica do conhecimento científico sistematizado historicamentepelos homens, reafirmando que esse conhecimento tem sua gênese articulada com o trabalho, modelode toda a práxis social. Tentamos, nesse sentido, demonstrar que o conhecimento científico é fundamentalno processo de transformação da natureza para o atendimento das necessidades humanas,transformando, por conseguinte, o próprio homem. Em contraposição aos paradigmas dominantes nacontemporaneidade, que apelam à fragmentação, ao empobrecimento e ao imediatismo no plano doconhecimento, defendemos, à luz da ontologia marxiano/lukacsiana, que a apropriação do patrimôniocultural produzido historicamente torna os indivíduos enriquecidos e, assim, capazes de contribuir para a elevação do próprio gênero humano.

Biografia do Autor

Helena Araújo de Freres, Universidade Estadual do Ceará (UECE)
Doutoranda em Educação pela Universidade Federaldo Ceará (UFC). Pesquisadora do Instituto de Estudos ePesquisas do Movimento Operário (IMO/UECE. Professora substituta da Universidade Estadual do Ceará (UECE).
Susana Jimenez, Universidade Estadual do Ceará (UECE)
Ph.D em Educação. Professora da UECE. Diretora do IMO/UECE.
Jackline Rabelo, Universidade Estadual do Ceará (UECE)
Doutora em Educação. Professora da UFC. Pesquisadorado IMO/UECE.
Maria das Dores Mendes Segundo, Universidade Estadual do Ceará (UECE)
Doutora em Educação. Professora da Faculdade de FilosofiaDom Aureliano Matos da UECE (FAFIDAM/UECE). Pesquisadorado IMO/UECE.

Referências

LUKÁCS, G. As bases ontológicas do pensamento e da atividade do homem. Temas de Ciências

Humanas. São Paulo: Ciências Humanas, 1978.

______. Per uma Ontologia dell’Essere Sociale. Roma: Riuniti, 1981. v. 2.

______. Por uma ontologia do ser social. O trabalho. Tradução de Ivo Tonet. Mimeo.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. Lisboa: Edições 70, 1964.

______. Manuscritos econômico-filosóficos. Tradução de Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo, 2006.

______. O Capital – crítica da economia política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004. Livro 1.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

______. A ideologia alemã. São Paulo: Editora Hucitec, 1999.

MÉSZÁROS, István. Para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2002.


Publicado
2015-12-07
Seção
Artigos