Modelagem matemática de fenômeno ambiental e as práticas escolares de professores das séries iniciais do litoral do Paraná

  • Ademir Donizeti Caldeira UFSC
  • Maria Tereza Carneiro Soares UFPR

Resumo

Desenvolvida no litoral do Paraná com professoras das séries iniciais do Ensino Fundamental de escolas públicas, esta pesquisa relata o estudo de uma forma de assessoramento desenvolvida na Ilha das Peças, iniciada a partir da necessidade de compreensão de fenômeno ambiental e interpretada à luz de modelos aritméticos e geométricos. Ela foi realizada em duas etapas: Diagnóstico Ambiental Participativo (DAP) e interpretação quantitativa de problema escolhido no diagnóstico, com pressuposto teórico-metodológico da Modelagem Matemática. Os resultados indicam a possibilidade de compreensão conceitual e do desenvolvimento de práticas escolares inovadoras no processo de modelar matematicamente situações específicas, identificadas no entorno social da escola.

Biografia do Autor

Ademir Donizeti Caldeira, UFSC
Dr. em Educação pela UNICAMP. Prof. do Centro de Ciências da Educação/UFSC.
Maria Tereza Carneiro Soares, UFPR
Dra. em Educação pela USP. Profa. da Universidade Federal do Paraná.

Referências

BIEMBENGUT, Maria Salete & HEIN, Nelson. Modelagem Matemática no ensino. São Paulo: Contexto, 2000

BARBOSA, Jonei C. Modelagem matemática: concepções e experiências de futuros professores. Tese (Doutorado) - UNESP/Rio Claro, 2001.

BORSSOI, Adriana; ALMEIDA, Lourdes Maria Werle. O Processo de ensino e aprendizagem acontecendo num ambiente de modelagem matemática e tecnologias informáticas: buscando uma aprendizagem significativa. In: VII EPREM – ENCONTRO PARANAENSE DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA. Anais eletrônicos... Foz do Iguaçu, PR, 2002.

CALDEIRA, Ademir Donizeti. Educação Matemática e Ambiental: um contexto de mudanças. Tese (Doutorado) - FE/UNICAMP, Campinas-SP, 1998.

CORTELLA, Mario Sergio A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológicos e políticos. São Paulo: Cortez, 2001.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Educação Matemática: da teoria à prática. Campinas-SP: Papirus, 1996.

GIROUX, Henri. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

______. Teoria crítica e resistência em educação: para além das teorias de reprodução. Petrópolis: Vozes, 1986.

GUTIÉRREZ, Francisco; Prado, Cruz. Ecopedagogia e cidadania planetária. São Paulo: Cortez, 1999.

IBAMA/SMA/UNICAMP. Diagnóstico ambiental participativo do Vale do Ribeira e Litoral Sul de São Paulo: subsídios para a discussão do plano de ação governamental para o desenvolvimento sustentável. São Paulo: Secretaria de Estado do Meio Ambiente, 1998.

MAGALHÃES, Paulo Canedo. O custo da água gratuita. Ciência Hoj,. v. 35, n. 211, p. 45-49, dez. 2004.

MEYER, João Frederico da Costa; CALDEIRA, Ademir Donizete. Educação Matemática e Ambiental: uma proposta de formação continuada – e de mudanças. Zetetiké – CEMPEM – FE/UNICAMP, v. 9, n. 15/16, p. 155-170, jan./dez. 2001.

MONTEIRO, Alexandrina. O ensino de matemática para adultos através do método Modelagem Matemática. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 1991.

MOYSES, Lucia. Aplicação de Vygostsky à educação matemática. Campinas, SP: Papirus, 1997.

PADILHA, Paulo Roberto. Currículo intertranscultural: novos itinerários para a educação. São Paulo: Cortez/Instituto Paulo Freire, 2004.

SKOVSMOSE, Ole. Educação matemática crítica: A questão da democracia. Trad. Abgail Lins e Jussara Loiola Araújo. Campinas-SP: Papirus, 2001. (Coleção Perspectiva em Educação Matemática).

Publicado
2013-06-10
Como Citar
Caldeira, A. D., & Soares, M. T. C. (2013). Modelagem matemática de fenômeno ambiental e as práticas escolares de professores das séries iniciais do litoral do Paraná. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, (26). Recuperado de https://serie-estudos.ucdb.br/serie-estudos/article/view/221
Seção
Dossiê