A complexidade da docência: a percepção de estagiários de Pedagogia sobre os desafios para a promoção do bem-estar docente

Palavras-chave: estágio supervisionado, narrativas autobiográficas, bem-estar/mal-estar docente

Resumo

Este artigo apresenta os desafios da docência nos anos iniciais do Ensino Fundamental, na percepção de seis acadêmicas do curso de Pedagogia, durante o período de Estágio Supervisionado (ES), realizado em cinco escolas municipais de uma cidade do interior de Mato Grosso do Sul (MS). A metodologia, de abordagem qualitativa, utilizou como dados para as análises as narrativas autobiográficas produzidas nos relatórios finais do Estágio Supervisionado. Com objetivo de compreender quais as percepções que as estagiárias tiveram sobre os desafios da profissão docente e se permaneciam motivadas para a docência após a realização do estágio, as narrativas foram analisadas por meio da análise temática de conteúdo, proposta por Fritz Schütze. Constatou-se que, apesar de terem percebido alguns desafios e ou fatores dificultadores do bem-estar docente, como a superlotação e a indisciplina na sala de aula, a complexa relação entre família e escola, a falta de recursos materiais e a inclusão de crianças com deficiências, essas estagiárias continuaram motivadas e determinadas a abraçar a profissão docente.

Biografia do Autor

Eliane Terezinha Tulio Ferronato, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS)

Doutorado e mestrado em Educação pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Especialização em Educação Infantil pela Universidade do Estado de Mato Grosso do Sul (UEMS). Graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado de Mato Grosso do Sul (UEMS). Professora da Universidade do Estado de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Flavines Rebolo, Universidade Católica Dom Bosco (UCDB)

Doutorado e mestrado em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Graduação em Psicologia pela Universidade do Sagrado Coração (USC). Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

Referências

BATISTA, A. S.; ODELIUS, C. C. Infraestrutura das escolas e burnout dos professores. In: CODO, W. (Coord.). Educação: carinho e trabalho. Petrópolis: Vozes, 1999. p. 324 32.

CASTRO, J. M.; REGATTIERI, M. Interação escola-família: subsídios para práticas escolares. Brasília: UNESC/MEC, 2010.

ESTEVE, J. M. O mal-estar docente: a sala de aula e a saúde dos professores. Bauru: EDUSC, 1999.

GUERRA, M. A. S. A escola que aprende. Porto: ASA, 2000.

HARGREAVES, A.; EARL, L.; MOORE, S.; MANNING, S. Aprendendo a mudar: o ensino para além dos conteúdos e da padronização. Porto Alegre: Artmed, 2002.

JESUS, S. N. Professores sem stress: realização profissional e bem-estar docente. Porto Alegre: Mediação, 2007.

JESUS, S. N. Desmotivação e crise de identidade na profissão docente. Katálysis, Florianópolis, v. 7, n. 2, p. 192-202, 2004.

JESUS, S. N. Bem-estar dos professores: estratégias para realização e desenvolvimento profissional. Porto: Porto Editora, 1998.

KRUG, H. N.; CONCEIÇÃO, V. J. S.; KRUG, R. R.; TELLES, C. A complexidade da docência nos anos iniciais do ensino fundamental: a percepção dos acadêmicos de Educação Física em situação de Estágio Curricular Supervisionado. Revista Série-Estudos, Campo Grande, n. 39, p. 117-36, 2015.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão escolar: O que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

MARCHESI, Á. O bem-estar dos professores: competências, emoções e valores. Porto Alegre: Artmed, 2008.

MONTEIRO, R. A. Pesquisa em educação: alguns desafios da abordagem qualitativa. In: MONTEIRO, R. A. Fazendo e aprendendo pesquisa qualitativa em educação. Juiz de Fora, MG: FEME Edições, 1998.

NÓVOA, A. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

NÓVOA, A. Os professores e as histórias da sua vida. In: NÓVOA, A. (Org.). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 1995.

OLIVEIRA, C. B. E. de; MARINHO-ARAÚJO, C. M. A relação família-escola: intersecções e desafios. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 27, n. 1, p. 99-108, 2010.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004.

ESCOLA MUNICIPAL IRMÃ DE LIMA MATTOS [EMILM]. Projeto Político Pedagógico [PPP]. Maracajú, MS, 2016.

RABELO, A. O. O estágio docente e a prática pedagógica no ensino público: um elo entre a teoria e a prática, a experiência e a inovação. Teoria e Prática da Educação, Maringá, PR, v. 22, n. 2, p. 182-201, 2019.

SAMPAIO, A. A.; STOBÄUS, C. D. Elementos de mal-estar docente na formação acadêmica e início da docência: potenciais fontes, consequências e estratégias de enfrentamento. Linguagens, Educação e Sociedade, Teresina, v. 22, n. 36, p. 240-63, 2017.

SCHÜTZE, F. Biography analysis on the empirical base of autobiographical narratives: How to analyse autobiographical narrative interviews-Part 1. Module B.2.1. INVITE-Biographical counseling in rehabilitative vocational training- further education curriculum, 2007. Disponível em: http://www.biographicalcounselling.com/download/B2.1.pdf; Acesso em 30/09/2008.

SCHÜTZE, F. Biography analysis on the empirical base of autobiographical narratives: How to analyse autobiographical narrative interviews-Part 2. Module B.2.2. INVITE-Biographical counseling in rehabilitative vocational training- further education curriculum, 2007. Disponível em: http://www.biographicalcounselling.com/download/B2.2.pdf ; Acesso em

/09/2008.

SILVA, M. O. E. da. Educação inclusiva − um novo paradigma de Escola. Revista Lusófona de Educação, Lisboa, v. 19, n. 19, p. 119-34, 2011.

VEENMAN, S. Perceived problems of beginning teachers. Review of Educational Research, Los Angeles, v. 54, n. 2, p. 143-78, 1984.

Publicado
2021-06-10
Como Citar
Terezinha Tulio Ferronato, E., & Rebolo, F. (2021). A complexidade da docência: a percepção de estagiários de Pedagogia sobre os desafios para a promoção do bem-estar docente. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, 26(56), 195-217. https://doi.org/10.20435/serie-estudos.v26i56.1449
Seção
Artigos