Implicações da implementação do Programa Mais Alfabetização: reflexões a partir da gestão escolar

Palavras-chave: Programa Mais Alfabetização, Políticas Públicas, Avaliação.

Resumo

O Programa Mais Alfabetização, proposto pelo Ministério da Educação, tem o objetivo de fortalecer e amparar técnica e financeiramente as unidades escolares no processo de alfabetização de estudantes matriculados nos dois primeiros anos do ensino fundamental. Nessa perspectiva, esta pesquisa objetiva analisar a percepção de gestores das escolas municipais de uma cidade do Vale do Itajaí (SC), sobre a implementação do Programa Mais Alfabetização (PMALFA). Para tal, foi realizada uma pesquisa qualitativa de caráter descritivo. Foram entrevistados dez gestores que atuam no Ensino Fundamental, em dez escolas municipais. Para os gestores, parece bem evidente que são vários os desafios encontrados diante do desenvolvimento do programa. Entre eles, destacam-se os de cunho econômico, técnicos e administrativos, perpassando pela formação de professores; aplicação de provas com os alunos em processo inicial de alfabetização e a continuidade das políticas públicas, que, com frequência, passam por mudanças em nosso país. Contudo, apesar dos desafios, é notório e almeja-se que o programa se prolongue e se efetive por mais tempo que os programas anteriormente existentes. Mais do que nunca, é tempo de (re)pensar e de (re)organizar as políticas públicas no Brasil, especialmente às destinadas ao processo de alfabetização.

Biografia do Autor

Juliana Pedroso Bruns, Centro Universitário de Brusque (UNIFEBE)

Doutoranda em Educação no Programa de Pós-Graduação da Universidade Regional de Blumenau (PPGE-FURB). Bolsista do Programa de Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior (CAPES). Integrante da Linha de Pesquisa Formação de Professores, Políticas Educacionais e Práticas Educativas e do Grupo de Pesquisa Formação de Professores e Práticas Educativas (GPFORPE). Especialista em Educação pelo Centro Universitário de Brusque (UNIFEBE), em que foi bolsista pela UNIEDU (Programa de Bolsas Universitárias de Santa Catarina (2017/2018). Mestra em Educação pela FURB. Pedagoga, licenciada pelo UNIFEBE.

Camila da Cunha Nunes, Centro Universitário de Brusque (UNIFEBE)

Doutora em Desenvolvimento Regional pela Universidade Regional de Blumenau (FURB). Mestre em Educação e em Desenvolvimento Regional pela FURB. Especialista em Psicopedagogia Institucional pela Faculdade de Administração, Ciências, Educação e Letras e especialista em Docência no Ensino Superior pela Universidade Gama Filho. Graduada em Educação Física pela FURB. Atualmente, é professora titular no Centro Universitário de Brusque (UNIFEBE). Integra o Banco de Avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (BASis) do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Líder do grupo de pesquisa LESEL − Leituras sobre Educação, Saúde, Esporte e Lazer. 

Referências

ARAÚJO, Roberta Negrão; REIS, Sandra Regina. A formação continuada e sua contribuição para o professor alfabetizador. In: ANPED SUL, 10., 26-29 out. 2014, Florianópolis. Anais [...]. Florianópolis: UDESC, 2014. p. 1-20.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução n. 7, 22 de março de 2018. Autoriza a destinação de recursos financeiros para cobertura de despesas de custeio, nos moldes operacionais e regulamentares do Programa Dinheiro Direto na Escola [...]. Diário Oficial da União, 23 mar. 2018. Brasília-DF, 2018a. Disponível em: https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/7712467/do1-2018-03-23-resolucao-no-7-de-22-de-marco-de-2018-7712463. Acesso em: 5 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 142, de 22 de fevereiro. Programa Mais Alfabetização. Brasília-DF, 2018b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/abril-2018-pdf/86401-portaria-142-2018-pmalfa002/file. Acesso em: 5 mar. 2019.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. 2017a. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/06/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 11 mar. 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb). 2017b. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/educacao-basica/saeb. Acesso em: 20 out. 2018.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Avaliações da educação básica em debate: ensino e matrizes de referência das avaliações em larga escala. Brasília-DF, 2013.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília-DF, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: 11 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Programa Mais Alfabetização: perguntas frequentes. Brasília-DF, 200-?a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=94521-pmalfa-perguntas-frequentes&category_slug=setembro-2018-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 5 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Educadores podem fazer curso de capacitação on-line do programa. Brasília-DF, 200-?b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/tags/tag/46201. Acesso em: 5 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Saiba Mais - Programa Mais Educação. Brasília-DF, 200-?c. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/programa-mais-educacao/apresentacao?id=16689. Acesso em: 5 mar. 2019.

DUARTE, Rosália. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Educar, Curitiba, n. 24, p. 213-25, dez. 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/er/n24/n24a11.pdf. Acesso em: 12 maio 2019.

GATTI, Bernadete A. O professor e a avaliação em sala de aula. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, n. 27, p. 97-114, jan./jun. 2003. Disponível em: https://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1150/1150.pdf. Acesso em: 10 maio 2019.

GOMES, Ana Valeska Amaral. Alfabetização na idade certa: garantir a aprendizagem no início do ensino fundamental. Brasília-DF: Câmara dos Deputados, Consultoria Legislativa, 2013.

HEINIG, Lizete de Oliveira Martins. Alfabetização e letramento no cenário escolar: compreensões de gestores educacionais. Perspectiva, Florianópolis, v. 28, n. 2, p. 509-40, 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA [IBGE]. Analfabetismo cai em 2017, mas segue acima da meta para 2015. Rio de janeiro, 2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de noticias/noticias/21255-analfabetismo-cai-em-2017-mas-segue-acima-da-meta-para-2015. Acesso em: 11 mar. 2019.

NÓVOA, António. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

RIGOLON, Walkiria de Oliveira. Formação continuada de professores alfabetizadores. 2007. 125 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP, 2007.

Publicado
2021-06-10
Seção
Artigos