Educação Ambiental das Infâncias na perspectiva sistêmica

Palavras-chave: desenvolvimento humano, educação ambiental, infâncias

Resumo

O artigo propõe analisar a tríade teórica no campo da educação das infâncias com o objetivo de encontrar as interfaces dos conceitos da Biologia do Conhecer, de Humberto Maturana e Francisco Varela, do Modelo Bioecológico do Desenvolvimento Humano, de Urie Bronfenbrenner, e da Perspectiva Sistêmica da Educação Ambiental, de acordo com seus arcabouços teórico-metodológico-sistêmicos. As dimensões a seguir foram inter-relacionadas como base da pesquisa bibliográfica: a educação como processo; os educadores e as crianças como as pessoas; os contextos como os ambientes educativos; e o tempo na trajetória educativa. Resultados indicam que a complexidade propositiva dos elementos é promotora de desenvolvimento humano com a Educação Ambiental das Infâncias.

Biografia do Autor

Eliane Lima Piske, Universidade Federal do Rio Grande (FURG)

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental na Universidade Federal do Rio Grande (PPGEA/FURG). Bolsista CAPES. Colaboradora no Centro de Referência em Apoio às Famílias (CRAF/FURG). Integrante do Grupo de Estudos Ecoinfâncias. Professora da rede pública no município de Pelotas, RS.

Narjara Mendes Garcia, Universidade Federal do Rio Grande (FURG)

Doutora em Educação Ambiental pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental (PPGEA/FURG). Professora do Instituto de Educação da Universidade Federal do Rio Grande (IE/FURG).

Maria Angela Mattar Yunes, Universidade Salgado de Oliveira (Universo)
Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia, UNIVERSO, Niterói, RJ.

Referências

ABREU-LIMA, Isabel; ALARCÃO, Madalena; ALMEIDA, Ana; BRANDÃO, Teresa; CRUZ, Orlanda; GASPAR, Maria Filomena; SANTOS, Milice Ribeiro dos. Avaliação de Intervenções de Educação Parental. CNPDPCJ, Portugal, 2010. Disponível em: https://www.cnpdpcj.gov.pt/documents/10182/14804/Avalia%C3%A7%C3%A3o+de+Interven%C3%A7%C3%B5es+de+Educa%C3%A7%C3%A3o+Parental/3adb734e-d851-40d0-bebd-12de4da307e9. Acesso em: 20 mai. 2021.

ALMEIDA, Ana Maria Tomás; ABREU-LIMA, Isabel; CRUZ, Orlanda; GASPAR, Maria Filomena; BRANDÃO, Teresa Madalena; ALARCÃO, Milice Ribeiro Santos; MACHADO, José Cunha. Parent education interventions: results from a national study in Portugal. European Journal of Developmental Psychology, Portugal, v. 1, n. 9, p. 149, 2011.

ARROYO, Miguel; VIELLA, Maria dos Anjos Lopes; SILVA, Mauricio Roberto. Trabalho infância: exercícios tensos de ser criança – haverá espaço na agenda pedagógica? Petrópolis: Vozes, 2015. p. 1-148.

BARCELOS, Valdo. Educação ambiental, infância e imaginação − uma contribuição ecologista à formação de professores(as). Quaestio: Revista de Estudos em Educação, Sorocaba, v. 6, n. 1, p. 61-80, 2004. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php?journal=quaestio&page=article&op=view&path%5B%5D=4&path%5B%5D=4. Acesso em: 10 fev. 2018.

BERSCH, Angela Adriane Schmidt. Resiliência profissional e a Educação Ambiental: promoção de ambientes de desenvolvimento em instituição de acolhimento. Tese (Doutorado em Educação Ambiental) – Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, RS, 2017. Disponível em: https://sistemas.furg.br/sistemas/sab/arquivos/bdtd/0000011532.pdf. Acesso em: 13 set. 2018.

BOFF, Leonardo. As Quatro Ecologias: ambiental, política e social, mental e integral. Rio de Janeiro: Mar de Ideias, 2012.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. Ministério da Educação. Documento de Referência para o Fortalecimento da Política Nacional de Educação Ambiental. Brasília-DF, 2014.

BRONFENBRENNER, Urie. Bioecologia do desenvolvimento humano: tornando os seres humanos mais humanos. Porto Alegre: Artmed, 2011.

BROFENBRENNER, Urie. A Ecologia do desenvolvimento humano: experimentos naturais e planejados. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

BRONFENBRENNER, Urie; MORRIS, Pamela. The ecology of developmental processes. In: DAMON, W. (Org.). Handbook of child psychology. New York: John Wiley Sons, 1998. p. 993. v. 1.

CAPRA, Fritjof. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. Tradução de Newton Roberval Eichemberg. São Paulo: Cultrix, 2006.

CAPRA, Fritjof; LUISI, Pier Luigi. A visão sistêmica da vida: uma concepção unificada e suas implicações filosóficas, políticas, sociais e econômicas. Tradução de Mayra Teruya Eichemberg e Newton Roberval Eichemberg. São Paulo: Cultrix, 2014.

CONSELHO EUROPEU. Estudo sobre o papel dos pais e o apoio dos governos na União Européia. Child On Europe, Europa, 2006. Disponível em: http://childoneurope.org. Acesso: out. 2018

CORSARO, William Arnould. Sociologia da infância. Porto Alegre: Artmed, 2011.

CRUZ, Dalísia Amaral; PONTES, Fernando Augusto Ramos; CAVALCANTE, Lília Iêda Chaves. Aproximações entre o conceito de Umwelt em Uexküll e a noção de ambiente em Bronfenbrenner. Complexitas, Belém, v. 1, n. 1, p. 139-52, 2016.

FERRO, Júlia Bucher Sursis Nobre. Reseña de “Pensamento Sistêmico: o novo paradigma da ciência”, de Maria José Esteves de Vasconcelos. Revista Mal-Estar e Subjetividade, Fortaleza, v. 3, n. 1, 2003. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/271/27130113.pdf. Acesso em: out. 2018.

FRIEDMANN, Adriana. Linguagens e culturas infantis. São Paulo: Cortez, 2013.

GARCIA, Narjara Mendes; YUNES, Maria Angela; ALMEIDA, Ana. Educação Parental e Pedagogia Social: uma proposta de intervenção. Revista Educação, Porto Alegre, v. 39, p. 94-104, 2016. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/viewFile/21396/14580, acesso em: 11 out. 2016.

GOMES, Marineide de Oliveira. Formação de professores na educação. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

GRÜN, Mauro. Ética e Educação Ambiental: a conexão necessária. Campinas, SP: Papirus, 1996.

HEATH, Harriet. Assessing and delivery parent support. In: HOGHUGHI, Masud; LONG, Nicholas (Ed.). Handbook of parenting: theory and research for practice. London: British Library, 2004. p. 1-416.

JULIANO, Andreia da Costa; BERSCH, Angela Adriane; PISKE, Eliane Lima; GARCIA, Narjara Mendes; COUSIN, Claudia. Psicomotricidade relacional na educação infantil: relações de pertencimento e reflexões com a Educação Ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, RS, v. 33, n. 3, p. 198-212, 2016. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/5832/4166. Acesso em: 27 set. 2018.

JULIANO, Andreia da Costa. Psicomotricidade Relacional: a via corporal propulsora de sensibilização ambiental no contexto da educação infantil. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação Ambiental) – Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, RS, 2017. Disponível em: https://argo.furg.br/?BDTD11502. Acesso em: 27 set. 2018.

LEÃO, Marluce Auxiliadora Claus; SOUZA, Zilda Regina; CASTRO, Maria Aparecida Diniz. Desenvolvimento Humano e teoria bioecológica: ensaio sobre “O contador de histórias”. Revista Quadrimestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 19, n. 2, p. 278, 2015. doi: http://dx.doi.org/10.1590/2175-3539/2015/0192846

LEWIN, Karl. Teoria de campo em ciência social. São Paulo: Pioneira, 1965.

MATURANA, Romesín Humberto. Emoções e linguagem na educação e na política. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

MATURANA, Romesín Humberto; PÖRKSEN, Bernhard. Los orígenes de la biología del ser al hacer. Título original: Vom Sein Zum Tun. Tradução para a língua española por Luisa Ludwig. São Paulo: Comunicaciones Noreste Ltda., 2004.

MATURANA, Romesín Humberto; VARELA, Javier Francisco. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athena, 2011.

MATURANA, Romesín Humberto; VERDEN-ZÖLLER, Gerda. Amar e brincar: fundamentos esquecidos do humano do patriarcado à democracia. Tradução de Humberto Mariotti e Lia Diskin. São Paulo: Palas Athena, 2011.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

NEIVA-SILVA, Lucas; ALVES, Paola Biasoli; KOLLER, Silvia. A análise da dimensão ecológica “tempo” no desenvolvimento de crianças e adolescentes em situação de rua. In: KOLLER, Silvia (Ed.). Ecologia do desenvolvimento humano: pesquisa e intervenção no Brasil. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004. p. 143-66.

NEUWALD, Mariana Costa. Educação Ambiental nas Famílias: interfaces entre as práticas e os saberes ambientais. 2018. Tese (Mestrado em Educação Ambiental) – Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, RS, 2018. Disponível em: https://argo.furg.br/?BDTD11876. Acesso em: 13 set. 2018.

NEUWALD, Mariana; PISKE, Eliane Lima; GARCIA, Narjara Mendes. Afetos e interações humanas como saberes da Educação Ambiental. In: ENCONTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL, edição do encontro., ENCONTRO E DIÁLOGOS COM A EDUCAÇÃO AMBIENTAL: EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO ESPAÇO DE RESISTÊNCIA, 9., 30-31 out./1º nov., 2017. Rio Grande. Anais [...]. Rio Grande, RS, 2017. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/0B6rmD_1H4no0NS1wMFVJWUlVTmIxWG1vV3VjMzNZalpPNlRn/view?ts=5ab3b487. Acesso em: 26 ago. 2018.

OLIVEIRA, Joyce Lúcia Abreu Pereira; CREPALDI, Maria Aparecida. A epistemologia do pensamento sistêmico e as contribuições de Humberto Maturana. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 22, n. 3, 2017. doi: https://doi.org/10.4025/psicolestud.v22i3.33944

PATIAS, Naiana Dapieve; SIQUEIRA, Aline Cardoso; DELL’AGLIO, Debora Dalbosco. Imagens sociais de crianças e adolescentes institucionalizados e suas famílias. Psicologia & Sociedade, Minas Gerais, v. 29, n. 29, e131636. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/3093/309350113004.pdf. Acesso em: 18 ago. 2020.

PISKE, Eliane Lima; YUNES, Maria Angela Mattar; BERSCH, Angela Adriane Schmidt; PIETRO, Angela Torma. Práticas educativas nas instituições de acolhimento sob o olhar das crianças. Revista de Educação Pública. Cuiabá, v. 27. n. 66, p. 905-23, 2018. doi: http://dx.doi.org/10.29286/rep.v27i66.

PISKE, Eliane Lima; BERSCH, Angela Adriane S.; YUNES, Maria Angela Mattar. Children’s perceptions of the relational and educational practices at shelter institutions. In: DELL'AGLIO, Debora; KOLLER, Silvia (Ed.). Vulnerable children and youth in Brazil. Cham: Springer, 2017, p. 282. doi: https://doi.org/10.1007/978-3-319-65033-3_13

PISKE, Eliane Lima; YUNES, Maria Angela Mattar; GARCIA, Narjara Mendes. Ambientes educativos como contextos microssistêmicos para o desenvolvimento humano na infância. Revista Eletrônica Itinerarius Reflexionis, Educação e Saúde - Dossiê do Meio Ambiente, Jataí, v. 15, n. 1, 2019. ISSN 1807-9342. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/rir/article/view/58821. Acesso: 6 dez. 2019.

PISKE, Eliane Lima; GARCIA, Narjara Mendes; YUNES, Maria Angela Mattar. Conversa(ação) sistêmica na/para/com a Educação Ambiental das Infâncias. Bio-Grafía – Escritos sobre la Biología y su Enseñanza, v. 1, n. 1, p. 895-905, 2019 . Disponível em: https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/bio-grafia/index. Acesso em: 10 abr. 2020.

PISKE, Eliane Lima; NEUWALD, Mariana Costa; GARCIA, Narjara Mendes. Sustentabilidade ambiental, a ética nas e com as relações humanas e as interações afetivas: tríade necessária às pesquisas em Educação Ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v. 33, n. 2, p. 88-101, 2018. E-ISSN 1517-1256. doi: https://doi.org/10.14295/remea.v0i1.8565

SÁNCHEZ, Celso. Ecologia do corpo. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2011.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Infância e cidade: restrições e possibilidades. Educação Revista Quadrimestral, Porto Alegre, v. 41, n. 2, p. 232-40, 2018. doi: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2018.2.31317

SCHLINDWEIN, Luciane Maria; DIAS, Julice. Avaliação de Contexto na Educação Infantil: diferenciação e conflito na formação docente. Pro.posições, Florianópolis, v. 29, n. 2, 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1980-6248-2017-0024.

SILVA, Keila Camila; SAMMARCO, Yanina Micaela. Relação ser humano e natureza: um desafio ecológico e filosófico. Revista Monografias Ambientais, Santa Maria, v. 14, n. 2, p. 01-12, 2015. doi: 105902/2236130817398.

SILVA, Luana Santos; GARCIA, Narjara Mendes. As infâncias indígenas MBYÁ-Guarani: os processos educativos e as contribuições para o re(pensar) da Educação Ambiental, 2017a. In: In: ENCONTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL, 9., 2017a, Local. Anais do IX Encontro e Diálogos com a Educação Ambiental: Educação Ambiental como espaço de resistência. Rio Grande, RS, 30, 31 out., 1º. Nov. 2017a. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/0B6rmD_1H4no0NS1wMFVJWUlVTmIxWG1vV3VjMzNZalpPNlRn/view?ts=5ab3b487.

SILVA, Luana Santos; GARCIA, Narjara Mendes. “Pequenos indígenas” da Tekoá Pindó Mirim e os entrecruzamentos com a natureza: contribuições para o campo da Educação Ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. v. 34, n. 1, p. 250-69, 2017b.

SILVA, Marcia Soares; GARCIA, Narjara Mendes. Olhar ecológico das crianças sobre o processo de aprendizagem nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Série-Estudos, Campo Grande, MS, v. 22, n. 45, p. 121-36, 2017. doi: http://dx.doi.org/10.20435/serie-estudos.v22i45.1039.

STONE, Michael; ZENOBIA, Barlow; ORR, David; CAPRA, Fritjof; DUAILIBI, Mirian. Alfabetização ecológica: a educação das crianças para um mundo sustentável. São Paulo: Cultrix, 2006.

VASCONCELLOS, Maria José Esteves. Pensamento sistêmico: o novo paradigma da ciência. 9. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

VARELA, Francisco. Sobre a competência ética. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70 Lda, 1995.

Publicado
2021-06-10
Como Citar
Piske, E. L., Garcia, N. M., & Yunes, M. A. M. (2021). Educação Ambiental das Infâncias na perspectiva sistêmica. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, 26(56), 41-70. https://doi.org/10.20435/serie-estudos.v26i56.1330
Seção
Artigos