O financiamento das IES brasileiras em 2005: recursos públicos, privados e custo dos alunos

  • Nelson Cardoso Amaral Universidade Federal de Goiás (UFG)
  • José Marcelino de Rezende Pinto Universidade de São Paulo (USP)

Resumo

O estudo analisa o financiamento das instituições de ensino superior (IES) brasileiras no ano de 2005, utilizando-se das informações do Censo da Educação Superior. São obtidas detalhadas informações sobre receitas, despesas e o que estas representam como percentuais do PIB. Apresenta-se uma metodologia que permite o cálculo do custo médio do aluno de graduação para cada categoria administrativa – federais, estaduais, municipais, particulares e comunitárias/confessionais/filantrópicas. Pode-se afirmar que as famílias pagam elevados valores com mensalidades, quando comparados aos valores aplicados pelos poderes públicos, e que o custo médio do aluno de graduação não é muito diferente no público e no privado, quando se consideram os gastos com pesquisa. Portanto, cai um mito: o de que as IES privadas são mais eficientes que as IES públicas na formação de um aluno de graduação.

Biografia do Autor

Nelson Cardoso Amaral, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Doutor em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba. Mestre em Física pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Professor do PPGE da Universidade Federal de Goiás (UFG).

José Marcelino de Rezende Pinto, Universidade de São Paulo (USP)

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Licenciado em Fisica e Bacharel em Direito pela Universidade de São Paulo. Professor da Universidade de São Paulo (FFCLRP-USP).

Referências

AMARAL, N. C. Autonomia e financiamento das IFES: desafios e ações. Avaliação, Rede de Avaliação Institucional - RAIES, v. 13, n. 3, p. 647-680, nov. 2008.

BATISTA, P. N. O consenso de Washington: a visão neoliberal dos problemas latino-americanos. In: LIMA SOBRINHO, B. et al. (1994). Em defesa do interesse nacional: desinformação e alienação do patrimônio público. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

BM. La Enseñanza Superior: las lecciones derivadas de la experiencia. Primeira edição em Espanhol. Washington-DC: Banco Mundial, 1995.

BRASIL.INEP. Censo da Educação Superior - 2005. Brasília-DF, 2010b. Disponível em: <www.inep.gov.br>. Acesso em: 8 set. 2010.

______. Censo da Educação Superior - 2008 (versão preliminar). Brasília-DF, 2010. Disponível em: <www.inep.gov.br>. Acesso em: 10 out. 2010.

CHAUÍ, M. A universidade operacional. Revista Avaliação. Separata CIPEDES – Centro Interdisciplinar de Pesquisa para o Desenvolvimento da Educação Superior, Campinas-SP, v. 4, n. 3 (13), set. 1999.

CLARK, B. R. Sustentabilidade de mudanças nas universidades: continuidades em estudos de casos e conceitos. Avaliação, Rede de Avaliação Institucional - RAIES, v. 11, n. 1, p. 9-28, mar. 2006.

EXPERTON, W. Financiamiento de la Enseñanza Superior. In: DELFINO, J. A.; GERTEL, H. R. (Edits.). Nuevas direcciones en el financiamiento de la educación superior: modelos de asignación del aporte publico. Buenos Aires: Ministerio de Cultura y Educación, 1996.

LOBO & ASSOCIADOS. O controle e o combate à inadimplência. São Paulo, 2002. (Mimeo).

MARTINS, C.B. Ensino pago: um retrato sem retoques. São Paulo: Cortez, 1988.

NEGRI, B. Financiamento da educação no Brasil. In: Textos para divulgação. Brasília: MEC/INEP, 1997. (Série Documental-1).

PINTO, J. M. R. A política recente de fundos para o financiamento da educação e seus efeitos no pacto federativo. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n.100, p. 877-897, Especial – out. 2007.

______. O acesso à educação superior no Brasil. Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 88, p. 727-756, Especial – out. 2004.

SCHWARTZMAN, J. Questões de financiamento nas universidades brasileiras. In: REUNIÃO PLENÁRIA DO CRUB, 63., 22 a 24 de março de 1998. Fortaleza, 1998.

SHEEHAN, J. Modelos para la asignación de los fondos publicos entre las Universidades. In: DELFINO, J. A.; GERTEL, H. R. (Edits.). Nuevas direcciones en el financiamiento de la educación superior: modelos de asignación del aporte publico. Buenos Aires: Ministerio de Cultura y Educación, 1996.

UNESCO & CRUB. Tendências da Educação Superior para o Século XXI. In: CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE O ENSINO SUPERIOR. 5 a 9 de outubro de 1998, Paris. Anais... Brasília-DF, 1999.

Publicado
2013-06-03
Seção
Dossiê