A política portuguesa de educação e de assistência social no período do Estado Novo (1930-1974)

  • Ernesto Candeias Martins ESE – Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco (Portugal).

Resumo

O estudo analisa historiograficamente as políticas educativas, sociais e assistenciais no Estado Novo (1930-1974), principalmente no período salazarista. Pretendemos verificar o impacto das medidas de política assistencial e social e, ainda, as reformas educativas (discurso normativo) referentes ao ensino como meios para se impor o desenvolvimento tecnocrático português e as suas consequências. A instauração de políticas e reformas de ensino (e de assistência social) tiveram muitas dificuldades de implementação, já que as reformas eram mais de origem urbana e reflectiam essa mentalidade, sendo muitas vezes inadequadas ou incompatíveis ao meio rural. O autor trata em dois pontos essa análise historiográfica, dando uma contextualização da sociedade portuguesa ao nível político, económico e de assistência social, antes e depois do Estado Novo, e por fim uma visão crítica da realidade educativa e do ensino nesse período histórico até à revolução de 1974.



Biografia do Autor

Ernesto Candeias Martins, ESE – Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco (Portugal).
* IPCB-Portugal. Licenciado em Filosofia e em Ciências da
Educação, Mestre em Educação (FCH/UCP-Lisboa) e Doutor
em Ciências da Educação pela Univ. das Ilhas Baleares – Palma de Mallorca (Espanha). Professor Adjunto de nomeação definitiva na ESE – Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco (Portugal).

Referências

ADÃO, Áurea. O estatuto socioprofissional do professor primário em Portugal (1901-1951). Oeiras: Instituto Gulbenkian de Ciência, 1984.

AMÉRICO, Pe. Notas da quinzena. Paço de Sousa: Casa do Gaiato, 1986.

______. Pão dos pobres. 5.ed. Paço de Sousa: Casa do Gaiato, 1990. v. 2.

ARRIAGA, Lopes. Mocidade portuguesa.: breve história de uma organização salazarista. Lisboa: Terra Livre, 1976.

BÁRBARA, A. Madeira. Subsídios para o estudo da educação em Portugal. Da reforma pombalina à 1ª República. Lisboa: Assírio e Alvim, 1979.

BARRETO, António. Tempo de mudança. Lisboa: Relógio d’Água, 1997.

CANDEIAS, António. A situação educativa portuguesa: raízes do passado e dúvidas do presente. In: Análise Psicológica, 4 (XI), p. 591-607, 1993.

______. Educar de outra forma. A Escola Oficina n. 1 de Lisboa 1905-1930. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 1994.

CARREIRA, Henrique Medina. Políticas sociais em Portugal. 2.ed. Lisboa: Gradiva, 1996.

CARVALHO, Rómulo de. História do ensino em Portugal. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1986.

CASTRO, Armando de. A economia portuguesa do Século XX (1900-1925). 2.ed. Lisboa: Edições 70, 1979.

CORREIA, Luís Grosso. Portugal pode ser, se nós quisermos, uma grande e próspera nação. O sistema educativo no Estado Novo. In: Ler História, Lisboa, n. 35, p. 71-80, 1998.

CORTESÃO, Luísa. Escola – sociedade. Que relação? Porto: Edições Afrontamento, 1981.

COSTA, António Bruto da; SILVA, Manuela; PEREIRINHA, José; MATOS, Madalena. A pobreza em Portugal. Lisboa: Cáritas Portuguesa, 1985.

CRUZ, Manuel Braga da. Partido e o Estado no Salazarismo. Lisboa: Presença, 1988.

DACOSTA, Fernando. As máscaras de Salazar. Lisboa: Círculo de Leitores, 1998.

FERREIRA, António Fonseca. Por uma nova Política de Urbanização. Porto: Afrontamento, 1988.

FERREIRA, Vítor Manuel. A cidade de Lisboa.: de capital do Império a centro da Metrópole. Lisboa: Publ. Dom Quixote, 1987.

LÉONARD, Yves. Salazarismo e Fascismo. Mem Martins: Inquérito, 1998.

MARQUES, Alfredo. Política económica e desenvolvimento em Portugal (1926-1959). Lisboa: Livros Horizonte, 1988.

MEDEIROS, F. A Sociedade e a economia portuguesa nas origens do salazarismo. Lisboa: A Regra do Jogo, 1978.

MEDINA, João. História de Portugal Contemporâneo, político e institucional. Lisboa: Universidade Aberta, 1994.

MOCIDADE PORTUGUESA. Objectivos e Actividades. Lisboa: Mocidade Portuguesa, 1955.

MÓNICA, Maria Filomena. Deve-se ensinar o povo a ler? A questão do analfabetismo (1926-1939. In: Análise Social, XII, n. 50, p. 321-353, 1977.

______. Educação e sociedade no Portugal de Salazar. Lisboa: Presença, 1978.

NOVOA, António. Educação Nacional. In: ROSAS, F. (coord.). Nova história de Portugal. Portugal e o Estado Novo (1930-1960). Lisboa: Presença, 1992. v. XII, p. 456-457.

PACHECO, António Carneiro. Portugal renovado. Lisboa: Livraria Bertrand, 1940.

PIMENTEL, Irene F. História das organizações femininas no Estado Novo. Lisboa: Círculo de Leitores, 2000.

PINTO, António Costa. O Salazarismo e o fascismo europeu. Lisboa: Estampa, 1992.

RAMOS, Rui. Culturas da alfabetização e culturas do analfabetismo: uma introdução histórica da alfabetização no Portugal contemporâneo. In: Análise Social, Lisboa, n. 103, p. 1100-1102, 1988.

______. O método dos pobres: educação popular e alfabetização em Portugal. In: Colóquio & Educação e Sociedade, n. 2, p. 41-68, 1993.

______. O chamado problema do analfabetismo. As políticas de escolarização e a persistência do analfabetismo em Portugal (séculos XIX-XX). In: Ler História, n. 35, p. 81-95, 1998.

RAMOS DO Ó, Jorge. Salazarismo e cultura. In: ROSAS, F. (coord.). Nova história de Portugal. Portugal e o Estado Novo. Lisboa: Editorial Presença, 1992. v. XII, p. 480-485.

ROSAS, Fernando. O Estado Novo nos anos 30. Lisboa: Estampa, 1986.

______. Salazar e o salazarismo: um caso de longevidade política. Lisboa: Dom Quixote, 1989.

______. Estado Novo. In: MATTOSO, José (dir.). História de Portugal. Lisboa: Círculo de Leitores, 1994. v. VII.

ROSAS, Fernando (coord.). Nova história de Portugal. Portugal e o Estado Novo (1930-1960). Lisboa: Presença, 1992.

SÁ, Victor de. A História em discussão. Lisboa: Dom Quixote, 1975.

SAMPAIO, José Salvado. O ensino primário, 1911-1969. Lisboa: Instituto Gulbenkian de Ciência, 1975-1977. 3 volumes.

SILVA, Francisco Ribeiro da. História da alfabetização em Portugal. In: NÓVOA; António; BÉRRIO, José Ruiz (eds.). A História da Educação em Espanha e Portugal. Lisboa: SPCE – Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação, 1993. p. 101-121.

SILVA, Manuela; COSTA, António Bruto da (coords.). Pobreza urbana em Portugal. Lisboa: Centro de Reflexão Cristã/Cáritas Portuguesa, 1989.

STOER, Setephan. Educação, Estado e Desenvolvimento em Portugal. Porto: Afrontamento, 1982.

TEODORO, António. Sete reflexões sobre as raízes do atraso educativo português. In: Educação e Ensino, 13 (8), p. 27-29, 1996.

TORGAL, Luís Reis. História e ideologia. Coimbra: Livraria Minerva, 1989.

VALÉRIO, N. As finanças públicas portuguesas entre as duas Guerras Mundiais. Lisboa: Edições Cosmos, 1994.

VARZIM, Pe. Abel, Entre o ideal e o possível – antologia de textos (1928-1964) (Compilação de A. Cerejo e M. Braga da Cruz). Lisboa: Editorial Multinova, 2000.

Publicado
2013-06-07
Seção
Artigos