Os pilares da educação Guarani Kaiowá: Kunumi há Chamiri – a criança Kaiowá

Palavras-chave: Saberes Tradicionais, Educação Kaiowá, Criança Kaiowá.

Resumo

A pesquisa aborda os vastos saberes indígenas que formam os pilares da educação Kaiowá, descrevendo o caminho da educação das crianças como menino (Kunumi) e menina (Chamiri). Apresenta dados sobre o espaço e os valores da escola, o caminhar da escola na busca de ser educação escolar indígena na comunidade e no sistema escolar, bem como aponta orientações para a educação escolar indígena. A pesquisa foi desenvolvida através de observação, visitas e conversas com os sábios, rezadores e crianças Kaiowá. Percebeu-se que, em consideração aos jovens e à geração atual, o retorno para casa será por meio de leitura e da escrita, e a escola é ferramenta especial para criar o novo caminho de retorno, em que haverá o fortalecimento da identidade e a compreensão da interculturalidade. É necessário que, hoje, a escola seja compreendida na sua dimensão e complexidade por professores, lideranças, jovens e pela própria comunidade, porque só será educação escolar indígena quando existir uma clareza do significado em relação à escola para a comunidade. Com isso, abre-se uma porta, um novo caminho de retorno da comunidade para casa, para o entendimento da sua identidade, para valorização de seus saberes e também para se ter a noção e a abertura no sentido de compreender que já não estamos sós, que existem outras sociedades, as quais devem ser compreendidas e respeitadas, assim como devemos ser respeitados por elas.

Biografia do Autor

Claudemiro Pereira Lescano, Universidade Federal da Grande Dourados. Programa de Pós-Graduação em História (PPGH).
Doutorando no Programa de Pós-Graduação em História (PPGH) da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Professor indígena da comunidade da aldeia Taquaperi, município de Coronel Sapucaia, Mato Grosso do Sul.
Heitor Queiroz de Medeiros, Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Programa de Pós-Graduação em Educação (Mestrado e Doutorado)
Doutor em Ciências pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Docente no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Líder do Grupo de Pesquisa Diversidade Cultural, Educação Ambiental e Arte (CNPq).

Referências

AZANHA, Gilberto. Sustentabilidade nas sociedades indígenas brasileiras. Revista Tellus, Campo Grande, MS, ano 5, n. 8/9, p. 11-28, abr./out. 2005.

BATALLA, Guillermo Bonfil. La teoría del control cultural en el estudio de procesos étnicos. Brasília: Universidade de Brasília, 1988.

BENITES, Eliel. Oguata Pyahu (Uma nova caminhada) no processo de desconstrução e construção da Educação Escolar Indígena da Aldeia Te’ýikue. 2014. 130f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS, 2014.

BRAND, Antônio; FERREIRA, Eva Maria L.; TSCKINKEL JÚNIOR, Rene; BATISTA, Suzana G. Os Kaiowá e Guarani em tempos da Cia Matte Larangeira. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA (ANPUH), 22., 2003, João Pessoa, PB. Anais [...]. João Pessoa, PB: ANPUH, 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI). Relatório Saúde Indígena etnia Kaiowá, MS. Brasília, DF, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução 05/2012. Brasília, 2012.

BRASIL. Congresso Nacional. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Presidência da República, 1988.

FLORES, Lucio Paiva. O lugar onde as pedras falam. In: MARKUS Cledes; ALTMANN, Lori; GIERUS, Renate (Org.). Saberes e espiritualidade indígena. São Leopoldo, RS: Oikos, 2014.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre a revolução cultural de nosso tempo. Educação e Realidade, Porto Alegre, RS, v. 22, n. 2, p. 15-46, jul./dez. 1997.

KLEIN, Carin; DAMICO, José. O uso da etnografia pós-moderna para a investigação de políticas públicas de inclusão social. In: MEYER, Dagmar Estermann; PARAÍSO, Marlucy Alves (Org.). Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2012. p. 63-86.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Metodologias de pesquisa pós-criticas em educação e currículo: trajetórias, pressupostos, procedimentos e estratégias analíticas. In: MEYER, Dagmar Estermann; PARAÍSO, Marlucy Alves (Org.). Metodologias de pesquisas pós-críticas em Educação. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2012. v. 1, p. 24-47.

Publicado
2019-12-04
Seção
Artigos