Clima escolar e suas implicações para o trabalho docente

Palavras-chave: clima escolar, trabalho docente, bem-estar docente.

Resumo

O texto apresenta os resultados de uma pesquisa realizada com o objetivo de analisar o clima escolar segundo a percepção dos professores de uma escola pública do Município de Campo Grande, MS e suas implicações para o trabalho docente. A pesquisa, de abordagem qualitativa descritiva, utilizou como procedimentos metodológicos para a coleta de dados um questionário sobre clima escolar e entrevistas semiestruturadas. Participaram da pesquisa 24 professores. Os resultados mostram que o clima dessa escola tem características de um clima aberto, isto é, um ambiente de trabalho participativo, promotor do desenvolvimento profissional e do reconhecimento dos indivíduos. Foi possível identificar, também, pelas falas dos professores, que existe uma relação entre clima escolar e o trabalho docente. Ao se sentirem satisfeitos pela possibilidade de participação nas decisões, ao serem reconhecidos pelo trabalho realizado e pela possibilidade de realizarem trabalhos coletivamente, os professores afirmam que estão mais motivados e que o trabalho é realizado de forma mais prazerosa. A partir desses resultados, pode-se afirmar que, para esses professores, as dimensões que compõem o clima escolar têm implicações sobre o trabalho que realizam. Espera-se que as discussões sobre a qualidade do ambiente de trabalho possam contribuir para melhorar a educação, tanto no aspecto dos processos de ensino e aprendizagem como na valorização e bem-estar dos professores.

Biografia do Autor

Peter Paul Pereira, Secretaria de Estado da Educação de Mato Grosso do Sul.
Mestre em Educação. Coordenador pedagógico da Secretaria de Estado da Educação de Mato Grosso do Sul.
Flavines Rebolo, Universidade Católica Dom Bosco
Doutora em Educação. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco.

Referências

ALONSO, Myrtes. Gestão escolar: revendo conceitos. São Paulo: PUC-SP, 2004.

BENDASSOLLI, Pedro F. Reconhecimento no trabalho: perspectivas e questões contemporâneas. Psicologia em Estudo, Maringá, PR, v. 17, n. 1, p. 37-46, jan./mar. 2012.

BRITO, Marcia de S. T.; COSTA, Marcio da. Práticas e percepções docentes e suas relações com o prestígio e clima escolar das escolas públicas do município do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 15, n. 45, p. 500-94, set./dez. 2010.

BRUNET, Luc. Clima de trabalho e eficácia da escola. In: NÓVOA, Antônio (Coord.). As organizações escolares em análise. Lisboa: Dom Quixote, 1992. p. 121-40.

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas. O novo papel dos RH nas organizações. Rio de Janeiro: Campos, 2010.

COSTA, Andreia F. L. da. Clima escolar e a participação docente: a percepção dos professores de diferentes ciclos de ensino. 2010. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, Coimbra, Portugal, 2010.

CUNHA, Marcela B.; COSTA, Márcio. O clima escolar de escolas de alto e baixo prestigio. In: REUNIÃO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO, 32., Caxambu, MG, 2009. Anais... Caxambu: Anped, 2009. p. 1-15.

CURVELLO, João J. A. Os estudos de comunicação organizacional e as novas abordagens sistêmicas. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO – INTERCOM, 32., Curitiba, PR. Anais eletrônicos... Curitiba: Intercon, 2009.

FEREIRA, Patrícia Itala. Clima organizacional e qualidade no trabalho. Rio de Janeiro: LTC, 2013.

FULLAN, Michael; HARGREAVES, Andy. A escola como organização aprendente: buscando uma educação de qualidade. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

FULLAN, Michael. O significado da mudança educacional. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

LIBÂNEO, José C. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2012.

LIMA, Maria R. C. de. Paulo Freire e a administração escolar: a busca de um sentido. Brasília: Líber Livro, 2007.

LUCK, Heloísa. Gestão da cultura e do clima organizacional da escola. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

LUZ, Ricardo S. Clima organizacional. Rio de janeiro: Qualitymark, 1995.

MAMEDES, Cleusa B. L. Democracia na escola pública e participação de professores. Cáceres, MT: Editora Unemat, 2005.

MANÉ, Yaya; LESSARD, Claude. A prática do acompanhamento no exercício da função de conselheiro pedagógico. In: THURLER, Monica G.; MAULINI, Oliver. (Org.). A organização do trabalho escolar: uma oportunidade para repensar a escola. Porto Alegre: Penso, 2012. p. 216-38.

NÓVOA, Antônio (Org.). As organizações escolares em análise. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

REBOLO, Flavinês. Fontes e dinâmicas do bem-estar docente: os quatro componentes de um trabalho felicitário. In: REBOLO, F.; TEXEIRA, L. R. M.; PERRELLI, M. A. S. (Org.). Docência em questão: discutindo trabalho e formação. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2012. p. 23-60.

ROTHMANN, Ian; COOPER, Cary. Fundamentos de psicologia organizacional e do trabalho. Rio de janeiro: Elsevier, 2009.

SEGURA, Daiane R. B. F. Clima organizacional escolar: implicações para o desenvolvimento profissional docente. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), Araraquara, SP, 2007.

VERGARA, Sylvia C. Gestão de pessoas. São Paulo: Atlas, 2000.

Publicado
2017-11-06
Seção
Artigos