O processo de objetivação nas representações sociais de escola para crianças

  • Taynah de Brito Barra Nova Universidade Federal de Pernambuco (UFRPE) - Unidade Acadêmica de Garanhuns
  • Laeda Bezerra Machado Universidade Federal de Pernambuco (UFRPE)

Resumo

As representações são explicações da realidade, criadas mediante dois processos: objetivação e ancoragem. Neste artigo discute-se o processo de objetivação partir de uma pesquisa sobre as representações sociais de escola entre crianças. Participaram da investigação 60 crianças de escolas municipais de Recife-PE. A análise de conteúdo guiou a interpretação dos dados, coletados através da entrevista e desenho. Os resultados revelaram no processo de objetivação da representação de escola o mascaramento de alguns elementos e acentuação de outros. O núcleo figurativo dessa representação apresentou duas faces: vida melhor, reservada aos escolarizados e condição de subalternidade, reservada aos não escolarizados. Para as crianças, a escola está objetivada como fonte de superação das adversidades e reconhecimento social.

Biografia do Autor

Taynah de Brito Barra Nova, Universidade Federal de Pernambuco (UFRPE) - Unidade Acadêmica de Garanhuns
Mestre em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco. Professora Assistente da Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE - Unidade Acadêmica de Garanhuns
Laeda Bezerra Machado, Universidade Federal de Pernambuco (UFRPE)
Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Professora Associado I do Departamento de Administração Escolar e Planejamento Educacional e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPE. Bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq

Referências

BARDIN, Laurence. (2004) Análise de Conteúdo. Lisboa: Portugal. Edições 70. 2004.

BONFIN, Z.A.C.; ALMEIDA, S.F.C. (1991) Representação social. Conceituação, dimensão e funções. Fortaleza. Revista de Psicologia. V. 9 (1/2). V. 10 (1/2). 75-89.

FERREIRA, S.(1998) Imaginário e linguagem no desenho da criança. Campinas: Papirus.

JODELET, D. (2001) Representações sociais um domínio em expansão. As Representações Sociais no campo da educação. Em JODELET, D. As representações sociais. Tradução: Lílian Ulup. (pp 17-44). Rio de Janeiro. EDUERJ.

LINS, C. P. A.; SANTIAGO, M. E. (2001) Representação Social: educação e escolarização. Em MOREIRA, A. P. S. (Org.). Representações sociais: teoria e prática. (pp.411-440). João Pessoa: EDUFPE, 2001.

MACHADO, L. B. (2011) A dimensão simbólica de escola para crianças. EccoS, São Paulo, n. 25, jan./jun; 143-158.

MINAYO, M. C. S. (1994.). Pesquisa social: teoria, prática e criatividade. 23 ed. Petrópolis, RJ: Vozes.

MOSCOVICI, S. (1978) A Representação Social da Psicanálise. Rio de Janeiro, Zahar.

MOSCOVICI, S. (2003) Representações Sociais: investigações em psicologia social. Tradução: Guareschi. Petrópolis, RJ: Vozes.

PEREIRA, L.T.K. (2006) O desenho infantil e a construção da significação: um estudo de caso. Trabalho apresentado no World Conference on Arts Education: Building Creative Capacities for the 21st Century - UNESCO.

SODRÉ, L.G.P.; REIS, I.T; GUTTIN, J.M.S. (2007) Análise dos elementos da natureza nos desenhos livres de crianças da Educação Infantil. Trabalho apresentado no VI Congresso Internacional de Educação. Concórdia - Santa Catarina.

Publicado
2014-11-25
Seção
Artigos