Bioexpressão: uma proposta de formação integral dos alunos do curso de Pedagogia

  • Lucia Helena Pena Pereira Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ)
  • Cíntia Lúcia Lima Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Resumo

Este trabalho apresenta a síntese de pesquisa de Mestrado que teve por objetivo geral analisar a Bioexpressão como possibilidade de formação integral dos graduandos do Curso de Pedagogia de uma universidade federal mineira. A Bioexpressão é um conjunto de conhecimentos teórico-vivenciais que visa à compreensão de si e das dificuldades de expressão própria que dificultam a vida, o exercício profissional e as inter-relações, considerando o desenvolvimento do ser em sua integralidade, o que abarca as dimensões cognitiva, afetiva, corporal, social e espiritual. O trabalho tem sua base nas teorias de Wilhelm Reich e seus continuadores – Alexander Lowen, Stanley Keleman e David Boadella. As atividades bioexpressivas se mostram como possibilidades de estimular o autoconhecimento do profissional em formação, seu olhar para o outro e seu entorno, gerando reflexões e propostas de novas formas de atuação.

Palavras-chave: Bioexpressão. Formação integral. Curso de Pedagogia.

Biografia do Autor

Lucia Helena Pena Pereira, Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ)
Profa. Doutora do Departamento das Ciências da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPEDU), da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).
Cíntia Lúcia Lima, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)
Mestra em Educação pela UFSJ. Professora da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG).

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2008.

BOADELLA, David. Correntes da vida. Uma introdução à Biossíntese. 2. ed. São Paulo: Summus, 1992.

BOFF, Leonardo. Espiritualidade. Um caminho de transformação. Rio de Janeiro: Sextante, 2001.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP 1/2006. Diário Oficial da União, Brasília, 16 de maio de 2006, Seção 1, p. 11.

CÂMARA, Marcus V. A. Reich, o descaminho necessário. Introdução à clínica e a política reichianas. Rio de Janeiro: Sette Letras, 1998.

DAMÁSIO, António R. O erro de Descartes. Emoção, razão e o cérebro humano. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

FREIRE, Madalena. O que é um grupo? In: GROSSI, Esther P. e BORDIN, Jussara (Org.). Paixão de aprender. 12 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001. p. 59-68.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários à prática educativa. 29. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2004.

KELEMAN, Stanley. O corpo diz sua mente. São Paulo: Summus, 1996.

______. Anatomia emocional: a estrutura da experiência. 3. ed. São Paulo: Summus, 1992.

LOWEN, Alexander. Medo da vida. São Paulo: Summus, 1989.

______. Prazer. Uma abordagem criativa da vida. 6. ed. São Paulo: Summus, 1984.

______. Bionergética. São Paulo: Summus, 1982.

______. O corpo traído. São Paulo: Summus, 1979.

MACHADO, Maria das Graças Queiroz. O brincar no contexto do adoecimento infantil: um recurso de aprendizagem para o fortalecimento da criança frente à doença e frente à vida. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, 2010.

MATTHIESEN, Sara Q. Reich para educadores. In: BRANDÃO, Carlos da Fonseca (Org.). Intelectuais do século XX e a educação no século XXI: o que podemos aprender com eles? Marília: Poiesis, 2009. p. 139-160.

MATURANA, Humberto. Emoções e linguagem na educação e na política. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001.

PEREIRA, Lucia Helena Pena. Bioexpressão. Corpo, movimento e ludicidade. Unindo fios, tecendo relações e propondo possibilidades. Curitiba, PR: Editora CRV, 2011.

______. Bioexpressão: a caminho de uma educação lúdica para a formação de educadores. 2005. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, 2005.

REICH, Wilhelm. Análise do caráter. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

______. A função do orgasmo. Problemas econômico-sexuais da energia biológica. 19. ed. São Paulo: Brasiliense, 1995.

TAVARES, José Pereira da Costa. A Resiliência na Sociedade Emergente. In: TAVARES, José Pereira da Costa (Org.). Resiliência e educação. São Paulo: Cortez, 2001. p. 43-75.

Publicado
2013-12-17
Seção
Artigos