Da nota ao relatório descritivo avaliativo: dificuldades dos professores de matemática

  • Maria José da Silva UFMT
  • Marta Maria Pontin Darsie UFMT

Resumo

Neste trabalho discutimos acerca das dificuldades apresentadas pelos professores de matemática na elaboração dos relatórios avaliativos de seus alunos. Com a nova organização curricular em ciclos de formação humana, as práticas avaliativas passam a ser repensadas e com elas as formas de registros sobre a avaliação dos alunos. Os relatórios descritivos avaliativos tomam o lugar do velho boletim e com eles aparecem as dificuldades dos professores em elaborá-los. Este é o foco da pesquisa aqui apresentada que tem como questão: Segundo os professores de matemática do 3° ciclo, quais são suas dificuldades na elaboração dos relatórios avaliativos? Para elucidarmos esta questão recorremos à entrevista aberta com seis professores de matemática do Ensino Fundamental. Apresentamos aqui os dados de duas professoras que elaboram relatórios avaliativos. Os outros sujeitos pesquisados, por opção da escola, utilizam-se de fichas avaliativas, o que também é revelador da existência de dificuldades, já que abandonam o relatório. Os resultados mostram que as dificuldades em elaborar o relatório são de ordem pessoal e estrutural e indicam a necessidade urgente de se tratar deste tema na formação inicial e continuada dos professores.

Biografia do Autor

Maria José da Silva, UFMT
Mestre em Educação pelo PPGE/UFMT. Profa. da Rede Estadual de Educação.
Marta Maria Pontin Darsie, UFMT
Dra. em Educação pela USP. Profa. Pesquisadora do PPGE/IE/UFMT.

Referências

AFONSO, Almerindo Janela. Avaliação educacional: regulação e emancipação - para uma sociologia das políticas avaliativas contemporâneas. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

ÁLVAREZ MÉNDEZ, Juan Manuel. Avaliar para conhecer, examinar para excluir. Trad. Magda Schwartzhaupt Chaves. Porto Alegre: Artmed Editora, 2002.

DARSIE, Marta Maria Pontin. Avaliação e Aprendizagem. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 99, p. 47-59, nov. 1996.

______. Avaliação da aprendizagem e seus registros. In: ENCONTRO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS, 2005, SEDUC/MT. Cuiabá/MT. (paper).

DARSIE, Marta Maria P.; ANDRÉ, Marli Elisa D. A. O diário reflexivo como instrumento de avaliação e investigação didática. In: Professor leitor crítico de sua prática. Painel apresentado no IX ENDIPE. Águas de Lindóia-SP. Maio/1998.

DEMO, Pedro. Mitologias da avaliação: de como ignorar, em vez de enfrentar problemas. 2. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2002. (Coleção Polêmicas do Nosso Tempo; 68).

DEPRESBITERIS, Lea. Avaliação educacional em três atos. 3. ed. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2004.

HAYDT, Regina Cazaux. A avaliação do processo ensino-aprendizagem. 6. ed. São Paulo: Ática, 2004. (Série Educação)

HOFFMANN, Jussara Maria Lerch. Avaliação na pré-escola: um olhar sensível e reflexivo sobre a criança. 11. ed. Porto Alegre: Mediação, 1996. (Cadernos Educação Infantil).

______. Avaliar para promover: as setas do caminho. Porto Alegre: Mediação, 2001.

______. O cenário da avaliação no ensino de Ciências, História e Geografia. In: SILVA, Janssen Felipe da; HOFFMANN, Jussara; ESTEBAN, Maria Teresa (Orgs.). Práticas avaliativas e aprendizagens significativas: em diferentes áreas do currículo. Porto Alegre: Mediação, 2003. p. 45-56.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 18. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

MATO GROSSO. Secretaria de Estado de Educação. Escola Ciclada de Mato Grosso: novos tempos e espaços para ensinar – aprender a sentir, ser e fazer. Cuiabá: SEDUC, 2000.

PERRENOUD, Philippe. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. Trad. Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

RABELO, Edmar Henrique. Avaliação: novos tempos, novas práticas. 7. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

RIBEIRO, Emerson da Silva. Concepções de professores em avaliação, Educação Matemática e Educação de Jovens e Adultos: buscando interfaces. 2007. 251f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências) - Instituto de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá/MT.

SILVA, Janssen Felipe da; HOFFMANN, Jussara; ESTEBAN, Maria Teresa (Orgs.). Práticas avaliativas e aprendizagens significativas: em diferentes áreas do currículo. Porto Alegre: Mediação, 2003.

SILVA, Maria José da. Concepções de Matemática e de avaliação expressas nos relatórios avaliativos de professores. 2008. 208p. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Instituto de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2008.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. 1. ed. 14. reimp. São Paulo: Atlas, 2006.

VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Avaliação da aprendizagem: práticas de mudança – por uma práxis transformadora. 7. ed. São Paulo: Libertad, 2005. (Cadernos Pedagógicos do Libertad; v. 6).

Publicado
2013-06-10
Como Citar
Silva, M. J. da, & Darsie, M. M. P. (2013). Da nota ao relatório descritivo avaliativo: dificuldades dos professores de matemática. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, (26). Recuperado de https://serie-estudos.ucdb.br/serie-estudos/article/view/222
Seção
Dossiê