Relato biográfico: uma tentativa de compreender as práticas pedagógicas de professoras da educação infantil

  • Maria Izete Oliveira Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)
  • Rinalda Bezerra Carlos Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Resumo

Este trabalho procede de duas pesquisas que objetivaram investigar a concepção de professoras da Educação Infantil sobre essa etapa da educação básica, e conhecer como desenvolvem suas práticas pedagógicas, respectivamente. Constatamos, salvo raras exceções, a inconsistência entre o discurso e a prática das professoras. Logo, nos sentimos instigadas a realizar uma nova pesquisa, tendo por objetivo compreender como as experiências de vida influenciam na prática pedagógica das professoras. Utilizamos o método autobiográfico, sob a forma de relatos de história de vida pelo fato de o nosso estudo configurar-se num instrumento, ao mesmo tempo, de formação e de pesquisa. Obtivemos 12 relatos que foram organizados em três categorias: Formação inicial, Formação continuada e Experiência de vida. Os resultados revelam a necessidade de promover estudos sobre profissionalidade docente, desmistificação da prática em detrimento da teoria e um aprofundamento no conceito de formação continuada.

Palavras-chave: Educação Infantil. Prática pedagógica. Relato biográfico.

Biografia do Autor

Maria Izete Oliveira, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)
Doutora em Educação. Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT).
Rinalda Bezerra Carlos, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)
Mestre em Educação. Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT).

Referências

ARCE, Alessandra. O Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil e o espontaneísmo. In: ARCE, Alessandra; MARTINS, Ligia M. (Orgs.). Quem tem medo de ensinar na Educação Infantil? São Paulo: Alínea, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988.

______. Ministério da Educação. Lei n. 9.394. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 1996.

______. Ministério da Educação. Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação. Parecer 022/98. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, 1998.

______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília, 1998.

______. Presidência da República. Casa Civil. Lei 11.274, Dispõe sobre a duração de 9 (nove) anos para o ensino fundamental, com matricula obrigatória a partir dos 6 (seis) anos de idade. Brasília, 2005.

______. Conselho nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP 01/06. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Brasília, 2006.

______. Ministério da Educação. Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação. Resolução CEB 05/09. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, 2009.

______. Casa Civil. Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Emenda Constitucional n. 59. Dá nova redação aos art. 208, 211, 212 e 214 da Constituição Federal. Brasília, 2009.

CÁCERES. Secretaria Municipal de Educação. Conselho Municipal de Educação. Resolução n. 008/2009. Estabelece normas para a Educação Infantil no âmbito do Sistema Municipal de Educação de Cáceres-MT, 2009.

CHAMLIAN, H. C. Pesquisa (Auto) Biográfica na formação de professores para o ensino superior. In: PINAZZA, M. A.; BARBOSA, R. L. L. (Orgs.). Modos de narrar a vida: cinema, fotografia, literatura e educação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

DOMINICE, P. La conpétence d’apprendre à l’âge adult: lectures biographiques des acquis de la scolatiré. Cahiers de la section des sciences de l’éducation, n. 87, Université de Genève, nov. 1999.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

JOSSO, Marie-Christine. Da formação do sujeito... ao sujeito da formação. In: NÓVOA, Antônio; FINGER, Mathias. O método autobiográfico e a formação. Natal: EDUFRN. São Paulo: Paulus, 2010.

MICARELLO, Hilda. Formação de profissionais da Educação Infantil: sair da teoria e entrar na prática? In: KRAMER, Sonia. Profissionais de educação infantil: gestão e formação. São Paulo: Ática , 2005.

OLIVEIRA, Maria Izete de. O olhar de professores da rede municipal de Cáceres/MT sobre a Educação Infantil. Revista da Educação Pública, Cuiabá, n. 31, v. 16, 2007.

PINO, A. A psicologia concreta de Vigotiski: implicações para a educação. In: PLACCO, M. N. S. (Org.). Psicologia & Educação: revendo contribuições. São Paulo: Educ, 2000.

ROLDÃO, Maria do Céu. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação, RJ, v. 12, n. 34, jan./abr. 2007, p. 94-103.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente. Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis, RJ, 2005.

Publicado
2013-12-17
Como Citar
Oliveira, M. I., & Carlos, R. B. (2013). Relato biográfico: uma tentativa de compreender as práticas pedagógicas de professoras da educação infantil. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, (36). Recuperado de https://serie-estudos.ucdb.br/serie-estudos/article/view/704
Seção
Artigos