A ensaística adorniana e o filosofar em educação

  • Divino José da Silva UNESP/Presidente Prudente

Resumo

Em “O ensaio como forma”, Theodor Adorno critica o pensamento filosófico dominante que, por diferentes vias, manifesta a pretensão de compreender o real em sua totalidade, em que o caráter universal do conceito anula a singularidade do objeto. Adorno vislumbra no ensaio a possibilidade de se pensar aspectos do objeto os quais foram, de modo coercitivo, negados pelo caráter identitário da razão. O nosso objetivo neste artigo foi pensar a importância do ensaio para a filosofia da educação enquanto um modo de reflexão sobre e na educação. O ensaio, nos termos adornianos, nos instiga a pôr em dúvida valores, crenças e estereótipos que limitam nossa experiência educativa, ao mesmo tempo em que nos possibilita resgatar nela o que foi esquecido pela razão, pelos saberes e pelas práticas pedagógicas, na atualidade.

Palavras-chave: Adorno. Filosofia da Educação. Prática Reflexiva.

 

Biografia do Autor

Divino José da Silva, UNESP/Presidente Prudente
Professor de Filosofia da Educação do Departamento de Educação e Programa de Pós-Graduação em Educação em nível de Mestrado e Doutorado da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNESP/Presidente Prudente, SP

Referências

ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. Tradução de Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

ADORNO, T. W. Sobre sujeito e objeto. In: ______. Palavras e sinais. Tradução de Maria Helena Ruschel. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995a.

______. Educação após Auschwitz. Tradução de Wolfgang Leo Maar. In: ADORNO, Theodor W. Educação e emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995b.

______. A atualidade da filosofia. Tradução de Bruno Pucci. Piracicaba, SP, 2000. Disponível em: <http://Adorno.planetaclix.pt/tadorno3.htm>. Acesso em: 27 abr. 2012.

______. O ensaio como forma. In: ADORNO, T. W. Notas de literatura I. Tradução de Jorge Almeida. São Paulo: Duas Cidades / Editora 34, 2003.

BARBOSA, Ricardo. O ensaio como forma de uma ‘filosofia última’. Sobre T. W. Adorno. Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: <www.artenopensamento.org.brpdf/>. Acesso em: 10 nov. 2011.

BARROS, Manoel. Menino que carregava água na peneira, 2005 Disponível em: <http://muroni.blogspot.com/2005/10_5.html>. Acesso em: 20 jul. 2010.

BUCK-MORSS, Susan. Origen de La dialéctica negativa. Theodor W. Adorno, Walter Benjamin y el Instituto de Frankfurt. Tradução de Nora Rabotnikof Maskivker. México: Siglo Veintiuno, 1981.

DUARTE, Rodrigo. A ensaística de Theodor W. Adorno. In: ______. Adornos: nove ensaios sobre o filósofo frankfurtiano. Belo Horizonte: UFMG, 1997.

FOUCAULT, M. O que é crítica? (Crítica e Aufklärung). Tradução de Antonio C. Galdino. Cadernos da Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília, v. 9, n. 1, p. 169-189, 2000.

GAGNEBIN, J. M. Do conceito de razão. In: ______. Sete aulas sobre linguagem, memória e história. Rio de Janeiro: Imago, 1997a.

______. Do conceito de mímesis no pensamento de Adorno e Benjamin. In: ______. Sete aulas sobre linguagem, memória e história. Rio de Janeiro: Imago, 1997b.

______. Após Auschwitz. In: SELIGMANN-SILVA (Org.). História, memória, literatura: o testemunho na era das catástrofes. Campinas, SP: UNICAMP, 2003.

HABERMAS, J. Teoria de la acción comunicativa: racionalidad de la acción y racionalización social. Tradução de Manuel de Jiminez Redondo. Madrid: Taurus, 1988.

LEO-MAAR, W. À guisa de introdução: Adorno e a experiência formativa. In: ADORNO, T. W. Educação e emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

MOREAU, Pierre. Montaigne: o homem e a obra. In: MONTAIGNE. F. Ensaios I. Tradução de Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Globo, 1961.

PORCHAT, O. Discurso aos estudantes de filosofia da USP sobre pesquisa em Filosofia. Dissenso - Revista de Estudantes de Filosofia, São Paulo, n. 2, p. 131-140, jan./jun. 1999.

PUCCI, Bruno. Sentido(s) da filosofia hoje. Revista Educação e Filosofia, Universidade Federal de Uberlândia, MG, v. 14, n. 27/28, p. 67-80, jan./jun; jul./dez. 2000.

______. Estética, educação e valores. In: SANTOS, G, A.; SILVA, D. J. (Org.). Estudos sobre ética. A construção de valores na sociedade e na educação. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.

ROUANET, Sérgio Paulo. As razões do iluminismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

SAFATLE, Vladimir. Theodor Adorno: unidade de uma experiência filosófica plural. In: ALMEIDA, Jorge de; BADER, Wolfgang (Org.). Pensamento alemão do século XX. Grandes protagonistas e recepção das obras no Brasil. São Paulo: Goethe-Institut / Cosac Naify, 2009, p. 159-179.

STARLING, Heloisa M. M. Ensaio capta a utopia e a dor do Brasil que não somos. Folha de São Paulo, São Paulo, 13 de jun. 2004. Ilustrada, p. 06.

Publicado
2013-12-16
Como Citar
Silva, D. J. da. (2013). A ensaística adorniana e o filosofar em educação. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, (36). Recuperado de https://serie-estudos.ucdb.br/serie-estudos/article/view/694
Seção
Artigos