Um estudo sobre a formação do professor de Educação Física no estado de São Paulo

  • Vima Leni Nista-Piccolo Universidade de Sorocaba
  • Regina Maria Rovigati Simões Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Alessandra Andrea Monteiro de Oliveira Universidade de Sorocaba (UNISO)

Resumo

As estruturas curriculares nos cursos de formação docente se apresentam como um aglomerado de disciplinas que não se articulam. Na área da Educação Física não é diferente. Diante dessa constatação analisamos as matrizes curriculares de 176 cursos de Licenciatura em Educação Física, das Instituições de Ensino Superior do estado de São Paulo. Nesse artigo discutimos os dados das instituições públicas. A partir das diretrizes específicas, identificamos as disciplinas das dimensões de Formação Ampliada e Específica, verificando uma predominância de carga horária na dimensão Didático Pedagógica. Há diferença significativa no total de horas de cada dimensão, demonstrando grande diversidade nas estruturas curriculares. Constatamos a necessidade de reformulação na formação inicial do professor, revisitando suas múltiplas relações. É preciso superar antigas propostas, para construir novos currículos, viáveis numa perspectiva de práxis.

Biografia do Autor

Alessandra Andrea Monteiro de Oliveira, Universidade de Sorocaba (UNISO)

Professora de Educação Física, formada pela Universidade de São Paulo. Mestre em Educação Física pela Universidade São Judas Tadeu. Doutoranda em Educação pela Universidade de Sorocaba.

Professora da Prefeitura de São Paulo.

Professora da Metrocamp, do Centro Universitário Senac e da Universidade Ibirapuera.

Referências

BENITES, L. C.; SOUZA NETO, S.; HUNGER, D. O processo de constituição histórica das diretrizes curriculares na formação de professores de Educação Física. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 34, no. 2, p. 343-360, 2008.

BRASIL. Conselho Federal de Educação. Resolução no. 03, de 16 de junho de 1987. Fixa os mínimos de conteúdo e duração a serem observados nos cursos de graduação em Educação Física (Bacharelado e/ou Licenciatura Plena). Diário Oficial da União, Brasília: DF, 10 set. 1987.

_______. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena (Resolução CNE/CP 1, de 18/02/2002 e Resolução CNE/CP 2, 19/02/2002). 2002

_______. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares para os cursos de graduação em Educação Física. CNE/CES. Resolução no 7. Brasília: MEC. 2004.

_______. Decreto Federal no. 5.626 de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no. 10. 436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras, e o artigo 18 da Lei no. 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União, Brasília: DF, 2005.

CANDAU, V. M. A didática em questão. 21 ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

CORREIA, R. N. P.; FERRAZ, O. L. Competências do professor de educação física e formação profissional. Motriz, Rio Claro, v. 16 no. 2 p. 281-291, abr./jun. 2010.

FELICIO, H. M. S.; OLIVEIRA, R. A. A formação prática de professores no estágio curricular. Educ. rev. [online]. 2008, no 32 [citado 2014-10-23], pp. 215-232. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sc Acesso em: 30 setembro. 2015.

GATTI, B. A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação & Sociedade. Campinas, v. 13, no. 131, p. 1355-1379, 2010.

MELO, L. F.; FERRAZ, O. L.; NISTA-PICCOLO, V. L. O Portfólio como Possibilidade de Avaliação na Educação Física Escolar. Revista da Educação Física/UEM (Impresso), v. 21, no. 01, p. 97-97, 2010.

NISTA-PICCOLO, V. L. Prolegômenos de uma pesquisa sobre o perfil do professor de Educação Física. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Educação Física. v. 02, no. 01, p. 111-125, jul. 2010.

__________________A Formação de Professores em Educação Física: desafios e propostas. In: Gimenez, R.; Souza, M. T. (orgs.) Ensaios sobre Contextos da Formação Profissional em Educação Física. Jundiaí: Editora Fontoura, 2011.

PERRENOUD, P. A prática reflexiva no ofício de professor: profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Formação de Professores: identidade e saberes da docência. São Paulo: Cortez, 1999.

_______. Estágio e docência: diferentes concepções. Revista Poiesis. v. 3, no. 3 e 4, p. 5-24, 2006.

SCHON, D. A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (Coord.). Os professores e sua formação. 2 ed. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

SOUZA, J. P. FORMAÇÃO DO PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA: O CASO DA UNIOESTE. 284f. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Universidade São Judas Tadeu, São Paulo, 2007.

TARDIF, M. Saberes Docentes e Formação Profissional. 2 ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2002.

Publicado
2015-12-01
Seção
Artigos