Tecnologia no cotidiano escolar: tensões na presença e na ausência

  • Luiz Fernando Gomes Uniso

Resumo

A tecnologia é líquida; permeia praticamente todas nossas práticas sociais. Ela é influenciadora, mesmo na sua ausência. Este trabalho discute algumas tensões provocadas pelas tecnologias da comunicação e da informação no contexto escolar. Tendo como base duas pesquisas realizadas em 2009 com alunos e professores universitários sobre o uso de tecnologias na educação e à luz das teorias sobre escrita multimodal e redes sociais de aprendizagem, procurou-se responder à questão: quais os usos que professores e alunos têm feito das tecnologias digitais no cotidiano escolar? As análises dos dados revelaram alguns pontos nevrálgicos que tensionam as certezas da escola e dos professores, tais como a desterritorialização da escola, o crescente uso das linguagens visuais e suas relações com o letramento digital e a exclusão tecnológica.

Biografia do Autor

Luiz Fernando Gomes, Uniso
Professor titular do Programa de Mestrado em Educação da Uniso, coordenador do Centro de Educação e Tecnologia da Uniso e presidente da ABEHTE – Associação Brasileira de Estudos de Hipertexto e Tecnologias Educacionais.

Referências

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

COSTA, R. da. Por um novo conceito de comunidade: redes sociais, comunidades pessoais, inteligência coletiva. In: ANTOUN, Henrique (Org.). Web 2.0: participação e vigilância na era da comunicação distribuída. Rio de Janeiro: Mauad X, 2008. p. 29-48.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs. Capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995-1997. 715p.

JENKINS, H. Confronting the Challenges of Participatory Culture.: Media Education for the 21st Century. Cambridge, USA: The MIT Press, 2006.

KRESS, G. Literacy in the new media age. London: Routldge, 2003.

MAFFESOLI, M. Du nomadism: vagabondages iniciatiques. LGF. Livre de Poche, 1997.

MALINI, F. Modelos de colaboração nos meios sociais da internet: uma análise a partir dos portais de jornalismo participativo. In: ANTOUN, Henrique (Org.). Web 2.0: participação e vigilância na era da comunicação distribuída. Rio de Janeiro: Mauad X, 2008. p. 83-100.

NEW LONDON GROUP, The. A pedagogy of multiliteracies: Designing social futures. In: COPE, B.; KALANTZIS, M. (Eds.). Multiliteracies: Literacy learning and the design of social futures. London: Routledge, 2000. p. 9-38.

PRENSKY, M. Digital Natives, Digital Immigrants. On the Horizon, v. 9, n. 5, October 2001. Disponível em: <http://www.marcprensky.com/writing/Prensky%20-%20Digital%20Natives,%20Digital%20Immigrants%20-%20Part1.pdf >. Acesso em: 12 nov. 2009.

SNYDER. I. Ame-os ou deixe-os: navegando no panorama de letramentos em tempos digitais. In: ARAÚJO, Júlio César; DIEB, Messias (Orgs.). Letramentos na Web: gêneros, interação e ensino. Fortaleza: Edições UFC, 2009.

Publicado
2013-06-07
Seção
Artigos