A qualidade da escola pública, na perspectiva democrática e popular

  • Cristiano Amaral G. di Giorgi Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)
  • Yoshie Ussami Ferrari Leite Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)

Resumo

Este texto tem por finalidade discutir a questão da qualidade do ensino na rede pública, trazendo elementos para sua defesa, numa perspectiva popular e democrática, com o uso polissêmico da expressão “qualidade da educação”.Para isso, realizamos inicialmente uma análise das iniciativas educacionais no Brasil, desde o período colonial até o presente, para dar ênfase ao fato de que a expansão quantitativa de vagas e de alunos matriculados representou uma conquista para a maioria da população brasileira, gerando uma nova situação histórica. Em seguida, mostramos como a qualidade da educação pode ser reinterpretada, dentro dessa nova situação histórica, a partir do que novas perspectivas de respostas e de sentidos se fazem presentes em nossas reflexões e em nossas lutas, na mencionada perspectiva popular e democrática.

Biografia do Autor

Cristiano Amaral G. di Giorgi, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)
Professor titular da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), campus de Presidente Prudente.
Yoshie Ussami Ferrari Leite, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)
Professora assistente, doutora da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), ­campus de Presidente Prudente.

Referências

BARROSO, João. O Estado, a educação e a regulação das políticas públicas. Educ. Soc., v. 26, n. 92, p. 725-751, out. 2005.

BEISIEGEL, Celso Rui. A qualidade do ensino na escola pública. Brasília: Líber Livro, 2006.

CARREIRA, Denise; PINTO, José Marcelino Rezende. Custo aluno-qualidade inicial.: rumo à educação pública de qualidade no Brasil. São Paulo: Global, 2007.

FREITAS, Luiz Carlos de. Qualidade negociada: avaliação e contra-regulação na escola pública. Educ. Soc., v. 26, n. 92, p. 911-933, out. 2005.

HABERMAS, Juergen. A nova intransparência. Novos Estudos - Revista do CEBRAP, São Paulo, n. 18, set. 1987.

OLIVEIRA, Romualdo Portela de. Estado e política educacional no Brasil.: desafios do Século XXI. 2006. Tese (Livre docência) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

OLIVEIRA, Romualdo Portela de; ARAUJO, Gilda Cardoso de. Qualidade do ensino: uma nova dimensão da luta pelo direito à educação. Rev. Bras. Educ., n. 28, p. 5-23, jan./abr. 2005.

PAIVA, Vanilda. Educação popular e educação de adultos. São Paulo: Loyola, 1987.

RIBEIRO, Vera Masagão; RIBEIRO, Vanda Mendes; GUSMAO, Joana Buarque de. Indicadores de qualidade para a mobilização da escola. Cad. Pesquisa, v. 35, n. 124, p. 227-251, jan./abr. 2005.

SAVIANI, Dermeval. O Plano de Desenvolvimento da Educação: análise do projeto do MEC. Educ. Soc., v. 28, n. 100, p. 1231-1255, out. 2007.

SINGER, Paul. Poder, política e educação. Revista Brasileira de Educação, v. 1, n. 1, jan./abr. 1996

TEDESCO, Juan Carlos. Igualdad de oportunidades y política educativa. Cad. Pesquisa, v. 34, n. 123, p. 557-572, set./dez. 2004.

VIEIRA, S. L.; FARIAS, I. M. S. de. Política educacional no Brasil. Introdução histórica. Brasília: Líber Livro, 2007.

Publicado
2013-06-05
Seção
Artigos