Diálogos sobre formação docente comprometida com uma escola pública popular

Palavras-chave: formação docente, educação popular, escola pública, professora pesquisadora

Resumo

O artigo aborda articulações entre formação docente e educação das classes populares, focalizando relações entre escola básica e universidade. Tem como principais referências os trabalhos de Paulo Freire e de Regina Leite Garcia, que oferecem as bases para a construção de uma escola pública popular e convocam a pensar em pedagogias emancipatórias. Fundadas no diálogo, tais pedagogias convidam ao trabalho coletivo, reflexivo, crítico, comprometido e esperançoso. Uma perspectiva em que os vínculos entre o fazer docente e a pesquisa se estreitam, conforme indica a conclusão do trabalho ao assinalar a potência dos princípios da Educação Popular e a relevância da noção de professora pesquisadora para a problematização de questões escolares cotidianas e a busca de alternativas para sua transformação.

Biografia do Autor

Maria Teresa Esteban, Universidade Federal Fluminense
Doutora em Filosofia e Ciências da Educação pela Universidade de Santiago de Compostela, com Pós-Doutorado na UNAM e na Universidade do Minho. Professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense (UFF), atuando na Graduação em Pedagogia e no Mestrado e Doutorado em Educação. 

Referências

AFONSO, Almerindo J. Escola pública, comunidade e avaliação. Resgatando a avaliação formativa como instrumento de emancipação. In: ESTEBAN, Maria Teresa (Org.). Avaliação: uma prática em busca de novos sentidos. Rio de Janeiro: DP&A,1999. p. 83-99.

ARROYO, Miguel G. Políticas educacionais, igualdade e diferenças. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 27, n.1, p. 83-94, jan./abr. 2011.

BECKER, Fernando. Epistemologia. In: STRECK, Danilo; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime (Org.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 152-4.

BRZEZINSKI, Iria. Formação de profissionais da educação (2003-2010). Brasília: INEP, 2014.

DUSSEL, Enrique. Ética de la liberación en la edad de la gobalización y de la exclusión. 5. ed. Madrid: Trotta, 2006.

ESCOBAR, Miguel. Ad-mirar. In: STRECK, Danilo; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime (Org.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 24-6.

ESTEBAN, Maria Teresa. Provinha Brasil: desempenho escolar e discursos normativos sobre a infância. Sísifo: Revista de Ciências da Educação, Lisboa, n. 09, p. 47-56, maio/ago. 2009.

ESTEBAN, Maria Teresa; ECKHARDT, Fabiana. Subalternidade e libertação: questões e perspectivas para a formação docente. In: TAVARES, José; CUNHA, Maria Isabel da; SHIGUNOV NETO, Alexandre; FORTUNATO, Ivan (Org.). Docência no ensino superior: experiências no Brasil, Portugal e Espanha. São Paulo: Edições Hipótese, 2019. p. 289-308.

FOUCAULT, Michel. É preciso defender a sociedade. Porto, Portugal: Livros do Brasil, 2006.

FREIRE, Paulo. A importância o ato de ler. 51. ed. São Paulo: Cortez, 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 43. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.

FREIRE, Paulo; SHOR, Ira. Medo e ousadia. O cotidiano do professor. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

GARCIA, Regina L. (Org.). Método: pesquisa com o cotidiano. São Paulo: Cortez, 2003a.

GARCIA, Regina L. A difícil arte/ciência de pesquisar com o cotidiano. In: GARCIA, Regina L. (Org.). Método, métodos, contramétodo. São Paulo: Cortez, 2003b. p. 193-208.

GARCIA, Regina L. (Org.). Novos olhares sobre alfabetização. São Paulo: Cortez, 2001.

GARCIA, Regina L. (Org.). Formação de professoras alfabetizadoras – reflexões sobre a prática. São Paulo: Cortez, 1996.

GARCIA, Regina L. (Org.). Alfabetização dos alunos das classes populares. São Paulo: Cortez, 1992.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2016-2018. Rio de Janeiro: IBGE, 2018.

MIGNOLO, Walter. Histórias locais/Projetos globais – colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

PATTO, Maria Helena de Souza. A produção do Fracasso escolar - histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: T.A.Queiroz, 1989.

PEREIRA, Thiago I. Epistemologia freireana e pós-colonialidade reflexões a partir da pesquisa participante na América Latina. Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais, Recife, v. 4, n. 02, p. 33-48, jul./dez. 2014.

ROMANOWSKI, Joana P. Apontamentos em pesquisas sobre formação de professores: contribuições para o debate. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 12, n. 37, p. 905-24, set./dez. 2012.

STRECK, Danilo (Org.). Fontes da pedagogia latino-americana – uma antologia. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

TORRES, Alfonso. A Educação Popular como prática política e pedagógica emancipadora. In: STRECK, Danilo; ESTEBAN, Maria Teresa (Org.). Educação Popular – lugar de construção social coletiva. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013. p. 15-32.

VALLA, Victor V. Sobre participação popular: uma questão de perspectiva. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 14, supl. 2, p. 7-18, 1998.

Publicado
2019-12-04
Seção
Artigos