Educação infantil e currículo: Uma Análise da proposta da rede municipal de Curitiba/PR

Romilda Teodora Ens, Jaqueline Salanek de Oliveira Nagel, Édina Dayane de Lara Bueno

Resumo


O presente artigo apresenta uma reflexão acerca do documento “Educação Infantil: Caderno I – princípios e fundamentos” da Rede Municipal de Ensino de Curitiba (RMEC), que norteia o currículo da Educação Infantil no município. A pesquisa buscou verificar a relação entre o documento da RMEC com a versão final da Base Nacional Curricular Comum (BNCC) e as Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil (DCNEI) no que diz respeito ao currículo e ao processo de avaliação, bem como analisar como são sugeridas essas práticas na RMEC. O suporte da análise crítica do discurso de Fairclough (2001. 2012) e “Decifrar textos para compreender a política: subsídios teórico-metodológicos para análise de documentos” de Shiroma, Campos e Garcia (2005) subsidiaram esta pesquisa documental, possibilitando inferir que o documento que contempla a proposta de Educação Infantil para a Rede Municipal de Ensino de Curitiba assegura as especificidades para essa modalidade de ensino. A construção do documento que norteia a RMEC foi coletiva, expondo a concepção de currículo e avaliação na Educação Infantil defendida, além de propor a organização e estruturação para que se efetive um trabalho nas escolas e centro de educação infantil desse município.

Palavras-chave


Educação Infantil; Documentos Oficiais; Currículo e Avaliação.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 dez. 2009. Disponível em: https://www.mprs.mp.br/areas/gapp/arquivos/resolucao_05_2009_cne.pdf . Acesso em; 20 maio 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular – versão final. Brasília, DF: MEC, SEB, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf . Acesso em: 20 maio 2017.

BUJES, Maria Isabel Edelweiss. Escola Infantil: Pra que te quero? In: CRAIDY, Carmem; KAERCHER, Gládis E. (Org.). Educação infantil: pra que te quero? Porto Alegre: Artmed Editora, 2001. p. 13-22.

CAMPOS, Maria Malta. A legislação, as políticas educacionais de educação infantil e a realidade: desencontros e desafios. In: MACHADO, Maria Lúcia de A. (Org.). Encontros e desencontros em educação infantil. São Paulo: Cortez, 2002. p. 27-33.

CURITIBA. Prefeitura Municipal de Curitiba. Secretaria Municipal de Educação. Educação Infantil- Caderno I: princípios e fundamentos. 2016. Disponível em: http://www.educacao.curitiba.pr.gov.br/conteudo/curriculo-da-educacao-infantil/8229 . Acesso em: 20 maio 2017.

EYNG, Ana Maria. Currículo e avaliação: duas faces da mesma moeda na garantia do direito à educação de qualidade social. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 15, n. 44, p. 135-157, 2015.

FAIRCLOUGH, Norman. Análise crítica do discurso como método de pesquisa científica. Linha d’Água, São Paulo, v. 25, n. 2, p. 307-329, 2012.

FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Revisão técnica e prefácio à edição brasileira Izabel Magalhães. Brasília, DF: Editora Universidade de Brasília, 2001.

FAVORETO, Elizabeth Dantas de Amorim. Creche e pré-escola: representações Sociais de Estudantes de Pedagogia e Políticas para Educação Infantil. 194f. Dissertação (Mestrado em Educação) – PUCPR. Curitiba, 2013.

HOFFMANN, Jussara. Avaliação e educação infantil: um olhar sensível e reflexivo sobre a criança. 20 ed. Porto Alegre, RS: Mediação, 2015.

KRAMER, Sonia. A política do pré-escolar no Brasil: a arte do disfarce. 3 ed. Rio de Janeiro: Dois Pontos, 1987.

KRAMER, Sonia. A infância e sua singularidade. In: BRASIL, Ministério da Educação. Ensino Fundamental de nove anos: orientações para a inclusão da criança de seus anos de idade. Brasília, DF: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica, 2007.

MAINARDES, Jefferson; MARCONDES, Maria Inês. ENTREVISTA COM STEPHEN J. BALL: um diálogo sobre justiça social, pesquisa e política educacional.

Educação & Sociedade, Campinas, SP, vol. 30, n. 106, p. 303-318, jan./abr. 2009. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em 20 jun. 2017.

MORAES, Roque. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, Bauru, v. 9 n. 2, p.191-211, 2003.

OLIVEIRA, Stela Maris Lagos. A legislação e as políticas nacionais para a educação infantil: avanços, vazios e desvios. In: MACHADO, Maria Lúcia de A. (Org). Encontros e desencontros em Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 2002. p. 35-42.

OLIVEIRA, Zilma Ramos de et.al. Um campo de disputa e concepções. In: _____. (Orgs.). O trabalho do professor na Educação Infantil. São Paulo: Biruta, 2012. p.19-42.

PÉREZ, Justa Bejarano. O currículo da educação infantil. In: SACRISTÁN, José Gimeno. Saberes e incertezas sobre o currículo. Porto Alegre: Penso, 2013. p. 336 – 354.

PIAGET, Jean; INHELDER, Bärbel. A psicologia da criança. Rio de Janeiro: Difel, 2003.

ROSEMBERG, Fúlvia. Educação Infantil pós-LDB: avanços e tensões. In: SOUZA, Gisele de (Org.). Educar na infância: perspectivas histórico-sociais. São Paulo: Contexto, 2010. p.171-186.

SARMENTO, Manoel Jacinto. A Sociologia da infância e a sociedade contemporânea: desafios conceituais e praxeológicos. In: ENS, Romilda Teodora Ens; GARANHANI, Marynelma Camargo. Sociologia da Infância e a formação de professores. Curitiba: Champagnat, 2011. p. 13-46.

SHIROMA, Eneida Oto; CAMPOS, Roselane Fátima; GARCIA, Rosalba Maria Cardoso. Decifrar textos para compreender a política: subsídios teórico-metodológicos para análise de documentos. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 23, n. 02, p. 427-446, jul./dez. 2005. Disponível em: ttp://www.ced.ufsc.br/nucleos/nup/perspectiva.html . Acesso em: 10 maio 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/serie-estudos.v23i49.1136

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2318-1982
ISSN impresso: 1414-5138 (até n.34, jul./dez.2012)

 

Indexada em: