A educação escolar primária na Primeira República (1889-1929)

Ednéia Regina Rossi

Resumo


Este artigo se propõe a refletir sobre a relação entre os projetos educacionais da Primeira República no Brasil (1899-1929) e o pensamento moderno e iluminista. A Primeira República se caracterizou pela implantação de reformas de ensino em diferentes estados brasileiros.  Esses projetos, embora possuíssem particularidades de estado para estado, em termos gerais, partilharam do ideal de normalizar, profissionalizar e sistematizar a escolarização das camadas populares. Em termos de finalidades formativas, a escola possuía objetivos explícitos de aculturação e socialização. Por meio dela, por exemplo, as crianças se tornariam homens e mulheres com sentimentos nacionais e subjugados à autoridade não pelo temor, mas pela razão que julga e decide. Esse novo mecanismo de controle, feito de racionalidade, a ser desenvolvido pela escola, pode ser observado nas intenções estruturadoras da escola primária e nos conhecimentos por ela transmitidos.  Ao mesmo tempo, esses projetos intencionavam homogeneizar costumes, hábitos e quereres, delineando um sistema de ensino dirigido e controlado, de forma a produzir a unificação da nação brasileira e produzir a equidade requerida pela democracia moderna.

Palavras-chave


história da educação brasileira; Primeira República e modernidade; educação homogeneizadora e soberania

Texto completo:

PDF

Referências


ANUÁRIO do ensino do Estado de São Paulo: Diretoria Geral da Instrução Pública, 1911-1912, 1913, 1914, 1915, 1916, 1917, 1918, 1919,1920-1921, 1922, 1923. São Paulo: Tipografia Siqueira, [s/d].

AZEVEDO, Fernando de. A educação pública em São Paulo, problemas e discussões: inquérito para O Estado de São Paulo em 1926. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1937.

______. O segredo da renascença e outras conferências. São Paulo: Nova Era, 1925.

BRASIL. Lei n.1579, de 19 de dezembro de 1917. Coleção das Leis e Decretos do Estado de São Paulo (1892-1920). Tipografia do Diário oficial, [s/d].

______. Decreto n. 248, de 26 de julho de 1894. Coleção das Leis e Decretos do Estado de São Paulo (1892-1920). Tipografia do Diário oficial, [s/d].

CANDEIAS, António. Modelos alternativos de escola na transição do século XIX para o século XX. In: SOUSA, Cynthia Pereira; CATANI, Denise Barbara (Org.). Práticas educativas, culturas escolares, profissão docente. São Paulo: Escrituras Editora, 1998. p. 131-141.

CARVALHO, José Murilo. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a república que não foi. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. Notas para reavaliação do movimento educacional brasileiro (1920-1930). Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 66, p. 4-11, ago. 1988.

CHERVEL, André. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, Porto Alegre, n. 2, p. 177-229, 1990.

COUTO, Miguel. A educação popular. Educação, Rio de Janeiro, v. 10, n. 5-6, p. 13- 15, 1925.

DORIA, Sampaio. O espírito das democracias. São Paulo: Editora Monteiro Lobato, 1924.

HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence. A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

KANT, I. Resposta à pergunta: que é o Iluminismo? (1784). In: KANT, I. A paz perpétua e outros opúsculos. Lisboa: Edições 70, 1989.

LOBATO, Monteiro. Urupês: contos. São Paulo: Revista do Brasil, 1918.

ROSSI, Ednéia Regina. Insuladas tribos - a escola primária e a forma de socialização escolar: São Paulo (1912-1920). 2003. Tese (Doutorado em História) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), Assis, SP, 2003.

VINCENT, Guy et al. Sobre a história e a teoria da forma escolar. Texto extraído do original francês da obra coordenada por Guy Vincent L’éducation prisonnière de la forme scolaire: scolarisation et socialisation dans les sociétés industrielles. Lyon: Presses Universitaires de Lyon, 1994. p. 11-48. [Texto xerografado].

VINCENT, Guy; LAHIRE, Bernard; THIN, Daniel. Sobre a história e a teoria da forma escolar. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 33, jun. 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/serie-estudos.v22i45.1048

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2318-1982 
ISSN impresso: 1414-5138 (até n.34, jul./dez.2012)

 

 


Indexada em: